Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

PRIMEIRAS EDIçõES > VASCO & MÍDIA

Meus amigos, que mosca!

Por lgarcia em 31/01/2001 na edição 106

VASCO & MÍDIA

Sempre acompanhei o Observatório, desde os tempos de UOL, e gosto muito das críticas, sempre equilibradas. Mas, a respeito do artigo "Meus amigos, que mosca!", a nossa amiga teve tanta ânsia de ser imparcial que acabou por escrever um monte de bobagens. Meu Deus… Essa Marinilda não manja nada.

Kadu

Simplesmente genial o texto "Vasco com SBT" escrito pela jornalista, tricolor, Marinilda Carvalho. É tanta omissão e falta de coragem da grande maioria de jornalistas que não trabalham nas Organizações Globo!

J. Oliveira

Gostaria de parabenizar a repórter pela matéria. Por acaso sou vascaíno, mas muito além de amante do futebol sou amante da verdade. Verdade tantas vezes camuflada pela imprensa, principalmente em nosso país.

Luis Carlos Ramos Cassis

DEZ!

Vinicius Lopes

Se a mídia é flamenguista, você o que é?

Carlos Affonso

Parabéns pela excelente reportagem! É tudo que eu esperava que algum repórter colocasse há muito tempo. Como disse a autora, nossa imprensa é radicalmente flamenguista, e tem problemas pessoais com Eurico Miranda. Nem no Observatório da Imprensa eu havia visto uma reportagem racional e imparcial sobre este assunto. Infelizmente, a direção da Globo resolveu tomar as dores de seus repórteres, que haviam sido proibidos de entrar em São Januário, por motivos óbvios.

O Vasco, finalista em todas as competições e modalidades de esportes, não recebe a devida atenção por parte da imprensa, que insiste em noticiar somente o Flamengo, e os demais clubes do Rio dividem o espaço pequeníssimo que sobra. E ainda fazem comentários os mais imparciais possíveis sobre Eurico Miranda. Nem parece que falam sobre um dirigente altamente vitorioso, por mais que não queiram. Ele é competente, e isto ninguém fala. É só olhar os resultados.

Sou Fluminense, como a autora do artigo, e afirmo que jornalismo não se faz assim! Isto é um crime! Problemas pessoais são problemas pessoais. Foi gritante demais a forma criminosa com que a Globo tratou o episódio em São Januário, chegando ao cúmulo de montar somente as imagens que queria mostrar para incriminar o dirigente vascaíno. E ainda incitaram a torcida a processar o clube. E deram uma cobertura maior que a qualquer outro fato, inclusive ao do juiz Nicolau.

Minha maior tristeza é constatar o quanto o nosso povo é manipulável. Todos compram as idéias vendidas da imprensa sem se questionar a respeito. Um amigo meu do trabalho chegou a me dizer que o Eurico prejudicava o seu Botafogo e o meu Fluminense. Quando perguntei o porquê, ele respondeu: "Sei lá!" Pior é que até nossos famigerados políticos aproveitam para aparecer e fazer suas propagandas, como nosso governador e outros que chegaram a falar em cassar seu mandato por sonegação de imposto. Ora, qual dos nossos políticos tem moral para cassar alguém por um motivo desses? Os outros cometem crimes muito piores e nada acontece. Veja o caso do juiz Nicolau. Ele como juiz não tem poder para liberar verba como aquela gasta na obra do TRT. O Tribunal de Contas teria de aprovar o orçamento votado na Assembléia Legislativa. Ele não está sozinho nisso. Mas parece que a imprensa não pode falar sobre isto. Ninguém toca nesse assunto.

É uma pena que apenas uma parte ínfima da sociedade consiga ler jornais com outros olhos, como diz Alberto Dines, enxergando o que está por trás: os interesses de quem escreve.

Hody

A observação é perfeita, peca somente pela data. Os repórteres-flamenguistas já tomaram conta da redação há muito tempo, desde a ascensão do time no início da década de 80 (Zico, Júnior e outros).

Para os donos da mídia é sopa no mel. Como o Flamengo tem a maior torcida, inclusive fora do Rio, a audiência é volumosa. Em São Paulo temos o mesmo com o Corinthians. Basta ver: qualquer jogo Flamengo x Corinthians é sempre exibido na TV, mesmo que o jogo não seja decisivo. Para ver outros times, só torcendo para que cheguem à final.

Resumindo, para a mídia o que importa é audiência.

Helvécio

O São Caetano não é o timeco que Marinilda Carvalho está pensando (e olha que eu nem sou torcedor do time do ABC), timeco é o seu, que já que não tem estrutura ou competência, e tem de ser içado da 2? divisão pelo nosso amigo Ricardo Teixeira. Depois você ainda diz que a imprensa paulista é bairrista… já se olhou no espelho?

Clebão

Gostei muito do texto. As vezes sinto-me exilado num país cuja língua mal sei expressar e entender. Ha uma espécie de alienação-fanatismo-despreparo dos meios de comunicação. Saiu o regime militar, permanece a Globo dedetizando qualquer sinal de oposição aos seus interesses. Agora a truculência é via mídia. Até quando isto permanecerá?

Wagner Cintra de Carvalho

Até que em fim alguém escreveu séria e objetivamente, pois a imprensa no RJ é totalmente FRAMENGUISTA (por isto que a torcida grita "MENGO" no Maracanã).

Reinaldo Bouzan

Realmente achei muito interessante a colocação feita no artigo. Diga-se de passagem, a Globo é um câncer que os americanos fazem até hoje a gente engolir. Lembram-se de quando o Robertinho se aliou à ditadura para ganhar de presente este dinossauro de canal de televisão? Infelizmente são poucos que enxergam isso pois, como se diz, este é o pais do Povão ou Povinho, não sei…

Gostaria de dizer que em qualquer pais civilizado o titulo da Copa João Melange ? Ops, quer dizer, João Havelange ?, teria que ser endereçado a um único time. (Não preciso nem dizer qual é). Agora dizer que o São Caetano é um timeco, isto eu definitivamente não concordo. O Vasco não passa de um timinho razoável (perdeu por mais de 3 para o São Paulo na 1? fase. Agora, querer que um time que reúne seu elenco 3 dias antes da uma decisão esteja apto a jogar…

Para mim, o que valeu foi o Euricão bater de frente com a Globo. De resto, o que fica de bom é o excelente e moderno futebol apresentado pelo São Caetano.

Fernando Lúcio Pereira, Campinas, SP

Finalmente alguém fala sobre o que todos os que não são flamenguistas sabem mas ninguém da imprensa gosta de falar. Apesar de achar também que o Eurico é um pouco prejudicial ao futebol, pior seria se ele fosse do Flamengo. Você acha que ele seria atacado desta maneira se ele fosse do Flamengo? Ele apareceu numa hora em que o Flamengo mandava na Federação do RJ, com Márcio Braga & Cia. Se não fosse por ele, talvez o Flamengo estivesse mandando lá até hoje.

Para ajudar nos argumentos, peço para observar qualquer vinheta da Globo que anuncie uma programação de futebol. Você vai ver apenas o Vasco tomando gols e o Flamengo fazendo. Já reparou? Meus parabéns pelo escrito.

Wagner Luis Marques das Neves

Acompanho regularmente o programa e aprecio a forma como as notícias são comentadas. Como espectador tenho o direito de discordar de alguns posicionamentos dos debatedores e moderadores. Porém, concordo com eles quando dizem que o papel do jornalista é cobrir um fato de maneira profissional e "imparcial". Quem é imparcial? Ninguém. Então, fiquemos apenas com a primeira opção. É o caso dessa senhora Marinilda. Em seu artigo desfia seu veneno com "ar" de feiticeira ao descobrir em artigos as preferências clubísticas de alguns jornalistas. Jornalista, por mais fanático que seja, jamais é leviano de não admitir o óbvio, pois seria burrice. Assim, pode-se concluir que o que acontece nas matérias jornalísticas é a reprodução fiel do que somos, de nossos interesses.

Gerson Alves de Azeredo

É lamentável instrumento de comunicação tão importante permitir comentários passionais que normalmente estragam a imparcialidade que um órgão de imprensa deve ter. Não gostei desse comentário. O mundo é muito maior que Rio de Janeiro e São Paulo. Mas é preciso ter olhos para enxergar isso…

Milton Pereira

Achei ótimo o artigo. Pena que repórteres-flamenguistas não sejam verdade. Quando o Vasco sapecou uma goleada histórica no Flamengo estampou-se na capa do Globo: "Goleada histórica" etc. Já quando o Flamengo devolveu com 3×0 e 2×1… a empolgação foi menos da metade, apesar de o time ter sido campeão.

E o melhor de tudo foi este ano, quando o Flamengo ganhou de 4×0. Sabe o que saiu na primeira página do Globo? "Flamengo vence Vasco por 4×0". Ora bolas, 4×0 é goleada, como 3×0 também é. Que porcaria de imprensa flamenguista é essa que não festeja quando a gente deixa o bacalhau de quatro? É melhor começar a ler melhor os jornais, principalmente depois de jogos importantes.

Marcelo Coli, rubro-negro, mas não cego

Sensacional a crônica, parabéns, a autora escreveu tudo o que penso acerca dessa questão envolvendo a briga "jornalistas flamenguistas" e o Eurico.

Wildson Cordeiro

É visível e lamentável o teor ofensivo contra a emissora Globo. Talvez seja frustração por não pertencer ao seu quadro de funcionários. A emissora tem lá seus defeitos, mas não se deve esquecer que detém os direitos de transmissão por méritos próprios. A atitude de Eurico foi de falta de ética, e não pode ser vista como "vingança hilária", pois o cartola teve claramente uma deplorável atitude ao solicitar que as pessoas fossem retiradas para continuar a partida. Quanto aos timecos que o São Caetano eliminou, acredito que há falta de conhecimento na afirmação, pois o Palmeiras só não ganhou a Mercosul por acaso. Qualquer time que fosse o vencedor seria justo naquela partida, sendo que esse mesmo Palmeiras chegou à final deste torneio importante e de extrema dificuldade.

Marcio Oliveira Garcia

Meu único comentário a respeito do artigo "Meus amigos, que mosca!" vem a ser uma pergunta: de onde vocês tiraram essa idiota chamada Marinilda Carvalho? Lamentável que um espaço importante como este seja utilizado por profissionais desse nível, que dão a um assunto sério e bem interessante de ser debatido um tratamento de deboche e ironia. Se fosse só isso mas abordado com inteligência tudo bem, mas o enfoque rasteiro e desinformado não passou de um desserviço à imprensa brasileira. Bola fora.

Eduardo Pereira, Rio de Janeiro

Seu comentário é muito bom, mas por que ninguém faz nada contra Eurico Miranda? Acho todos têm o rabo preso com o poderoso. Se ele abrir a boca vai ter caca no ventilador. Quando isso vai ter fim?

Alcir Aparecido Benevid, palmeirense

Se a cruz de Cristo tivesse caído momentos após ELE ter sido crucificado, a culpa, certamente, teria sido de Deus. Certo? Afinal era filho Dele. Quem culparia Deus? Que lado defenderia Deus? Os fariseus esbravejariam: "Terroristas, com ajuda deste Deus que eles adoram sabotaram a crucificação do pregador louco, mentiroso e tão justamente condenado". Os anjos, santos e arcanjos diriam: "A culpa foi daqueles romanos incompetentes. Que cruz malfeita, que madeira de segunda categoria". Deus não se meteu nesta questão, porque já estava escrito.

No caso do Eurico, a "grande imprensa" ficou de que lado?

Tamburro

Assino embaixo. Como santista me vem sempre à mente casos de sumiço de mala de dinheiro de excursões, a quota do clube dobraria se Pelé jogasse (e ele hoje está jovem aos 60 porque não se deixou dopar para jogar e satisfazer diretores) ou cairia à metade na falta dele, quando a própria diretoria jogava por terra o prestígio dos outros dez (Pelé nunca jogou sozinho).

Entregar o campeonato a uma só emissora de TV em pura troca de dinheiro ? dinheiro para eles… Ela transmite o que lhe convém e quando lhe convém (só preocupada com a audiência), prática que alcança vários profissionais contratados por ela e colocados à espera de vaga na grade de programação, só para desbancar a audiência dos concorrentes. No futebol é igualzinho.

A culpa é do Cabral, o Pedro.

Muito oportuno o artigo, Luiz Antonio Magalhães foi muito feliz, e foi até superficial: podia ir mais fundo. Mas isso daria um livro.

José Walter Martins Rollo, São Paulo

Artigo extremamente lúcido, como há muito não via na imprensa brasileira. Como morador de São Paulo, tive que conviver diariamente com uma campanha do rádio, da TV e dos jornais a favor do São Caetano e contra Eurico Miranda, Vasco e Rio, como se todos não desejassem que os cartolas de seus próprios times os defendessem tanto quando Eurico Miranda. Notei a camisa (do SBT) e achei irônico, em relação às acusações feitas por EM à Globo na CPI (acusações bastante lógicas e que a imprensa e a CPI fizeram questão de não dar o devido valor), mas não pensei em vingança até porque assistia no Sportv, que tem um comportamento mais isento, embora pertença à Globo (há muito tempo não tenho mais paciência para assistir aos jogos pela Globo, e ter que ficar sabendo qual o apelido de infância de um jogador, quantos anos ele foi coroinha, o nome de sua mãe, de seu tio, de sua vizinha, enquanto as jogadas não são narradas).

Fico satisfeito de saber que alguém ainda tem um juízo crítico do que realmente está acontecendo na imprensa esportiva (será só a esportiva?) brasileira. Parabéns.

Maurício Vilela

Li, com muita atenção, seu artigo. Faço parte de uma comunidade virtual formada por torcedores palmeirenses que vem discutindo ao longo de sua existência (1 ano e meio) alguns abusos da imprensa esportiva, e em especial a Folha de S.Paulo, cujas reportagens claramente tentam manchar a imagem do clube. Por diversas vezes enviamos à Renata Lo Prete (ombudsman do jornal) algumas ponderações sobre a postura da equipe de esportes, sem nenhum retorno.

Caso se interesse pelo assunto, temos um material que pode servir de base para, quem sabe, pautar um artigo sobre a imprensa esportiva paulista.

Victor Gil Neto


Leia também

Meus amigos, que mosca! ? Marinilda Carvalho

A culpa foi só dele? ? Luiz Antonio Magalhães

Volta ao índice

Caderno do Leitor ? próximo bloco

Caderno do Leitor ? bloco anterior


Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem