Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

PRIMEIRAS EDIçõES > DANIEL PEARL

Militante condenado à morte

Por lgarcia em 17/07/2002 na edição 181

DANIEL PEARL

O militante islâmico Ahmed Omar Saeed Sheikh foi condenado à morte por enforcamento por ter planejado o seqüestro e o assassinato do repórter americano Daniel Pearl. Os três cúmplices também em julgamento ? Salman Saqib, Fahad Naseem e Shaikh Adil ? foram sentenciados à prisão perpétua, mas passarão no máximo 25 anos na detenção, segundo leis paquistanesas. Os réus foram condenados a pagar uma multa coletiva de US$ 32 mil à viúva de Pearl. Outros sete suspeitos de terem participado da ação ainda não foram encontrados.

Nascido na Inglaterra, Omar, de 28 anos, recebeu treinamento no Afeganistão e jurou dedicar-se à causa islâmica. Ele chegou a ser preso na Índia em 1994 pelo seqüestro de quatro turistas estrangeiros, mas foi solto em 1999 numa troca de reféns. Anunciado o veredicto, Omar enviou mensagem, lida por seu advogado aos repórteres, dizendo querer ver "quem vai morrer antes, eu ou as autoridades que arrumaram esta pena de morte para mim".

Daniel Pearl, correspondente do Wall Street Journal, desapareceu em Karachi no dia 23 de janeiro enquanto pesquisava a ligação de militantes paquistaneses com Richard Reid, passageiro de avião preso num vôo para Miami com explosivos nos sapatos. Os amigos e familiares do jornalista publicaram no sítio de internet da Fundação Daniel Pearl um agradecimento "aos esforços incansáveis das autoridades no Paquistão e nos Estados Unidos para trazer os culpados à justiça". Em Londres, o governo britânico saudou a condenação, mas se opôs à sentença de morte para Omar. Informações de Kathy Gannon [AP, 15/7/02] e Imran Maqbool [Reuters, 15/7/02].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem