Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES >

Mudanças na TV a cabo irritam clientes

Por Maria Alice Rosa em 20/11/1997 na edição 34

“Chegou a vez de os assinantes de TV a cabo de São Paulo enfrentarem os mesmos problemas vividos pelos cariocas no mês passado. A exemplo do que ocorreu com a Net no Rio, a Multicanal alterou a programação há uma semana e retirou do pacote básico a CNN International em inglês, passando a fornecer a versão em espanhol. A Net chegou a anunciar a mesma decisão em São Paulo, mas acabou recuando. A CNN, no entanto, é apenas a vedete das mudanças: a Multicanal já cortou nove canais que constavam do pacote básico e do chamado Advanced 95, em troca de sete novos no básico e cinco no Advanced. A Net, segundo sua assessoria de imprensa, não fará alterações. Mas a hipótese não está descartada, pois pode haver mudanças no fornecimento dos pacotes.

É a Net Brasil que fornece os pacotes de programação à Net São Paulo e à Multicanal. E o diretor-geral da Net Brasil, Antônio Barreto, declarou durante o lançamento do pacote Advanced 98 que a empresa pretende retirar da programação os chamados canais étnicos (os internacionais mais específicos), que passariam a ser oferecidos em pacote pago à parte. Isso poderá levar a Net/SP a seguir o caminho da Multicanal. Procurada pelo Estado, a Net Brasil respondeu, conforme sua assessoria de imprensa, que prefere não se pronunciar sobre o assunto.

A TVA também alterou a programação e não está cumprindo a promessa de transmitir os principais jogos do Campeonato Brasileiro. Segundo sua assessoria de imprensa, a empresa está impedida de transmitir os jogos por causa de uma briga judicial com a concorrente. Agora, a única maneira de os clientes paulistas da Multicanal recuperarem a CNN em inglês é entrar no pacote Advanced 95, pagando R$ 19,50 a mais por mês.

Além dessas alterações, Net e Multicanal estão lançando o Advanced 98. A mensalidade do Advanced 95 é de R$ 53,12 e quem quiser o 98 passará a pagar R$ 59,90, além do custo de instalação do decodificador de canais (R$ 80), conforme a gerente de Comunicação da empresa, Vera Buzanello.

Segundo a empresa, as mudanças refletem a vontade da maioria. Vera diz que pesquisas com assinantes revelaram audiência ínfima nos canais eliminados. A questão, segundo o advogado Bartolomeu Gonçalves, que tem uma atuação intensa nas causas de consumidores, é que a empresa é obrigada a cumprir os contratos feitos com cada um dos seus clientes, a menos que haja motivo alheio à sua vontade, o que não é o caso da audiência. É uma mudança por conveniência e não por motivo de força maior??, afirma Gonçalves.

– Reclamar foi a única arma utilizada pelos cariocas contra a Net Rio. Embora a empresa não admita relação entre os protestos e sua decisão, em menos de um mês voltou atrás. Os cariocas denunciaram o caso à imprensa, abriram uma home page exclusiva contra a Net e ensaiaram até a criação de uma associação só para protestar contra a empresa. Em Santos, o Procon registrou 50 queixas em um único dia, como apurou a repórter Zuleide de Barros, e o consulado da França recebeu dezenas de ligações pedindo providências contra a exclusão da TV5, francesa.

(*) O Estado de S. Paulo, 10/11/97.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem