Terça-feira, 17 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

PRIMEIRAS EDIçõES > CAPTURA DE SADDAM

No Brasil, iG foi o primeiro

Por lgarcia em 16/12/2003 na edição 255

Edição: Beatriz Singer (com Dennis Barbosa)

CAPTURA DE SADDAM

Beatriz Singer

Nahum Sirotsky, correspondente do iG em Israel, foi o primeiro jornalista a serviço de um veículo brasileiro a dar a notícia da captura de Saddam. O Último Segundo saiu com a informação às 8h32 no sábado.

A Folha Online anunciou às 8h26, mas a partir da informação de "agências internacionais". No texto, cita a agência iraniana IRNA. O Terra anunciou às 8h40, também com informações da IRNA.

Já a GloboNews, publicou a notícia exatamente no mesmo horário que o iG, às 8h32. Como os outros dois sítios, porém, colheu informações junto a agências estrangeiras, não informando quais lhe serviram.

A página de notícias da edição online do Estado de S.Paulo deu a informação às 8h43, com informações da Associated Press.

O anúncio da captura de Saddam Hussein seguiu um plano cuidadoso, construído ao longo de meses, que pretendia, de acordo com pessoas que trabalharam nele, desfazer quaisquer dúvidas entre os iraquianos e o mundo árabe em geral de que o ditador estava em mãos americanas.

O plano, de nome-código HVT-1 ? de High-Value Target n? 1 ?, escrito por relações públicas e seguido à risca pelo Pentágono, foi montado a partir do ceticismo generalizado que se seguiu ao anúncio das mortes dos filhos de Saddam, Uday e Qusay, por tropas americanas em julho.

Aprovado pelo presidente George W. Bush, o HVT no 1 estipulou que os iraquianos desempenhassem uma função no anúncio das notícias e que imagens fossem transmitidas ao mundo todo o mais rápido possível, diminuindo as chances da proliferação de teorias de conspiração no Iraque.

De acordo com reportagem de Jim Rutenberg [The New York Times, 15/12/03], o Exército americano, os governantes no Iraque e funcionários em Washington seguraram a notícia da captura por 18 horas no sábado, 13/12. Quando da morte dos filhos do ditador, as notícias se espalharam antes que suas identidades fossem confirmadas e, quando as fotos foram divulgadas, muitos iraquianos não estavam convencidos de que os corpos eram de Uday e Qusay. Os militares tiveram de reconstituir o corpo e fornecer as mórbidas imagens para uso de emissoras de televisão ? com isso, descobriram que a audiência árabe considera imagem a fonte mais confiável de informação, particularmente desde o surgimento das emissoras de notícias 24h al-Jazira e al-Arabiya; daí a chuva de imagens repetidas do ditador sendo examinado.

A primeira notícia de que Saddam havia sido encontrado foi fornecida pouco depois das 4h da manhã (horário local) de sábado. Às 7h a informação foi adornada com alguns detalhes.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem