Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > a imprensa ignora ou finge ignorar

No mais absoluto silêncio da imprensa

Por lgarcia em 12/06/2002 na edição 176

DURAÇÃO DOS CURSOS

Victor Gentilli

Os psicólogos estão chiando; a Ordem dos Advogados do Brasil começa a chiar. As diretrizes curriculares para os cursos superiores (licenciaturas e bacharelados) foram aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação no decorrer dos últimos dois anos sempre ignorando vários trechos dos documentos originais encaminhados pelas Comissões de Especialistas ao Conselho Nacional de Educação. Silêncio total da imprensa.

Agora que já está tudo regulamentado, as entidades vão se dando conta de que se as escolas montarem projetos para cursos de duração e carga horária inferiores às definidas durante o debate, estão teoricamente dentro da lei. Em outras palavras, pode haver um curso de Direito com três anos de duração. Eis a chiadeira da OAB.

A imprensa começa a tratar do caso, mas o jornalismo declaratório permite apenas que se conheça as versões dos reclamantes e do MEC. O ministro Paulo Renato afirmou que não há motivo para preocupação, pois o CNE estaria produzindo um documento específico regulando a carga horária e a duração dos cursos e que até lá nenhum curso pode contar com carga-horária total inferior a 2.800 horas.

Mas a pressão dos grupos privados é muito forte, e a imprensa ignora ou finge ignorar. Ora, se o próprio empresário maior do ensino, João Carlos Di Gênio, diz que a capacidade de o setor privado absorver alunos já foi alcançada e agora é a vez do setor público crescer, é porque o ensino privado busca alternativas. Hoje, os maiores problemas chamam-se inadimplência e evasão. Evidentemente vinculados. Primeiro o aluno deixa de pagar, depois abandona o curso. Com duração menor, o problema é atenuado, os alunos recebem os diplomas fresquinhos saídos das fábricas em menos tempo e menor custo e novos alunos ingressam, ajudando até mesmo as estatísticas oficiais.

Eis o que a imprensa deveria contar, mas não conta. Os grandes do ensino são grandes anunciantes.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem