Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

PRIMEIRAS EDIçõES > DIPLOMA DE JORNALISMO

O canudo de condão

Por lgarcia em 05/08/2003 na edição 236

DIPLOMA DE JORNALISMO

Carlos Silva Zalamena (*)

Compreende-se perfeitamente a posição da Federação dos Jornalistas ao defender a obrigatoriedade do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão. Cumpre a sua função corporativista. O que causa estranheza, porém, é a Justiça, apesar de em decisão provisória, endossar essa injustiça.

É sabido que incessantemente aportam no mercado de trabalho semianalfabetos ? assim como profissionais competentes ? devidamente rotulados de “jornalistas”. Estes, sim, verdadeiros “portadores de ilusão” comercializada pelas faculdades. Muitos apenas esvaziam os bolsos para se encherem de esperança. Tornam-se, então, “vendedores de ilusão”, que não demora muito para virar uma rotunda decepção.

Exigir o diploma para o exercício da profissão, além de injusto, é um desserviço a jovens atraídos pelo falso glamour do jornalismo.

Com o canudo na mão, acham que tudo podem. Percebem, tarde, que investiram quatro dos melhores anos e muito dinheiro para verificar que o verdadeiro jornalista não se fabrica em sala de aula.

Além do mais, quem não tem o “canudo mágico” precisa mostrar competência de verdade. Impedir que trabalhe é algo ilógico e inadmissível.

(*) Advogado, Campo Grande, MS

Leia também

Notícia aos titulares de ilusão ? Luciano Martins Costa

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem