Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

PRIMEIRAS EDIçõES > ÉTICA DE MERCADO

O cúmulo da submissão

Por lgarcia em 20/06/2001 na edição 126

ÉTICA DE MERCADO

O Daily News está há quase dois meses tentando se recuperar das conseqüências que uma série de reportagens sobre supermercados de Nova York trouxe ao orçamento do jornal. Segundo Felicity Barringer [The New York Times, 14/6/01], as maiores redes de supermercados da cidade ? com exceção de uma ?, acusadas de manterem padrões de limpeza abaixo do nível exigido, retiraram seus anúncios do jornal.

Na quarta-feira, dia 13, numa tentativa de recuperar os anúncios, o Daily News publicou um suplemento incomum de quatro páginas, com efusivos elogios à indústria de supermercados, assinado por um freelancer e aparentemente custeado pelo próprio jornal. Depois da série investigativa, iniciada no começo de maio, a fuga dos anunciantes gerou perda entre US$ 50 mil e US$ 100 mil, segundo executivos da área.

A bajuladora propaganda da última semana foi questionada pelos próprios jornalistas do Daily News. "Não é isso que fazemos", disse Michael Goodwin, editor-executivo. "Isso é produto da área comercial do jornal." Segundo o editor Ed Kosner, as prioridades da redação continuarão a ser as reportagens, garantindo que dois grandes novos projetos de reportagens investigativas já estão em andamento.

Às vésperas da comemoração do 6? aniversário, a Cnet ? que partiu do conceito original, um canal a cabo acompanhado de um site ? festeja a posição de sítio líder em notícias de tecnologia, sinopses de produtos e download de software. Segundo Jefferson Graham [USA Today, 13/6/01], a última pesquisa do instituto americano Jupiter Media Metrix mostra o site entre os 10 mais consistentes, sem concorrente direto entre os "top 50". A situação financeira da companhia, no entanto, não é das melhores. Financiada por anunciantes, a CNet também sofre com a queda deste mercado, e estima perda de US$ 55 milhões este ano. Mesmo assim, não pretende modificar sua estratégia original de conteúdo gratuito, apostando na fidelidade de seu público. "As pessoas que consomem informação de tecnologia mudaram para a internet, são as mais apaixonadas pelo assunto e as que se sentem mais confortáveis tendo a rede como mídia", disse o presidente da companhia, Shelby Bonnie.

As mulheres e a AOL Time Warner dominam a rede. O Napster afunda. Essas foram as conclusões dos analistas da Jupiter Media Metrix, divulgada na quarta-feira passada, contou Martin Stone [Newsbytes, 13/6/01]. Segundo os dados, as americanas maiores de 18 anos representam 40,9% dos usuários da internet, e os homens, 39,3%. O número de visitantes do Napster ? serviço de troca de arquivos MP3 ? caiu de 12,3 milhões em abril para 10,9 milhões em maio. A AOL Time Warner é a líder entre as 50 empresas de mídia digital mais visitadas, seguida pelos sites Microsoft, Yahoo!, Lycos, X10.com e Excite Network.

    
    
                     

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem