Terça-feira, 26 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº959

PRIMEIRAS EDIçõES > ARGENTINA

O Estado de S.Paulo

Por lgarcia em 15/08/2001 na edição 134

ANJ

"Congresso da ANJ discute o futuro dos jornais", copyright O Estado de S. Paulo, 10/8/01

"O escritor Paulo Coelho será um dos principais palestrantes do 3.? Congresso Brasileiro de Jornais e 1.? Fórum de Editores, a ser promovido pela Associação Nacional de Jornais (ANJ), no Rio de Janeiro, na próxima semana, nos dias 13 e 14.

Sob o tema O homem, a informação e o desconhecido, Paulo Coelho abrirá caminho para as discussões sobre o futuro dos jornais e o papel dos profissionais de imprensa.

A relação entre as áreas comercial e de redação será um dos temas em debate.

O cenário atual do mercado e o desafio que impõe aos veículos de comunicação será outro. O presidente do Grupo de Mídia de São Paulo e diretor da DPZ, Daniel Barbará, apresentará números precisos sobre o que está ocorrendo no mercado editorial brasileiro, especialmente com as verbas publicitárias.

Desde que assumiu a presidência da ANJ, Francisco Mesquita Neto, presidente do Conselho de Administração do Grupo Estado, vem estimulando o debate sobre esses temas, buscando tendências que possam servir como ferramentas para as empresas e os profissionais de imprensa.

Maiores informações sobre o Congresso e inscrições, via Internet, no site www.anj.org.br ou pelo telefone 0XX61 – 223.7488."

SIP

"?Estado? recebe quatro prêmios em concurso realizado pela SIP, copyright O Estado de S.Paulo, 9/8/01"

"A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) anunciou ontem os vencedores dos prêmios de jornalismo em 2001. O Estado recebeu um prêmio na categoria Direitos Humanos e Serviço para a Comunidade e três menções honrosas.

O prêmio foi concedido às jornalistas Marisa Folgato e Andrea Portella por uma série de reportagens realizada na favela de Heliópolis, em São Paulo, publicada em março do ano passado. No trabalho, elas mostraram a face normal e trabalhadora do cotidiano dos moradores da comunidade em contraponto à imagem de marginalidade e delinqüência que prevalece.

As menções honrosas foram concedidas a Valeria Rossi e equipe pelo trabalho de investigação sobre as pessoas que vivem sob pontes e viadutos. O fotógrafo Epitacio Pessoa e o caricaturista José Carlos Santos também tiveram seus trabalhos reconhecidos.

A imagem do menino escondendo-se atrás de uma porta, captada por Pessoa, está sendo premiada pela segunda vez: ela já recebeu uma menção honrosa do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, responsável pelo prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos. Santos foi premiado por uma caricatura de Alan Greenspan, presidente do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

Além dos prêmios distribuídos em dez categorias, também foram anunciados ontem os vencedores do Grande Prêmio Sip para a Liberdade de Imprensa. O prêmio foi concedido aos jornais peruanos El Comercio, La República , La Industria de Trujillo e à revista Caretas, de Lima. Os veículos destacaram-se na luta em prol da liberdade de imprensa durante o regime de Fijimori.

Os vencedores receberão os prêmios durante a 57.? Assembléia Geral da SIP, que será realizada em Washington entre 12 e 16 de outubro."

ARGENTINA

"Imprensa mundial quer socorro rápido", copyright O Estado de S. Paulo, 11/8/01

"A imprensa mundial está pressionando os Estados Unidos a ajudarem a Argentina. Ontem, a revista inglesa The Economist e o jornal americano The Washington Post publicaram editoriais sobre o tema.

A The Economist destacou que os EUA devem agir com rapidez. Ela avalia a possibilidade de o Fundo Monetário Internacional (FMI) oferecer, com o decisivo aval do governo americano, um socorro para a economia argentina.

Segundo a revista, o FMI e o Tesouro norte-americano vêm enviando sinais contraditórios sobre qual o apoio que a Argentina poderá ter. Ela comparou o drama argentino à agonia de um homem que está se afogando e vê um grupo de salva-vidas repetidamente jogando e tirando a bóia. ?Pior ainda, não há sinal de que alguém em Washington tenha uma estratégia séria para tirar a Argentina dessa confusão ou para lidar com um colapso do país.? A revista diz que a atual fórmula para evitar um default argentino – cortes draconianos nos gastos e pequenas somas de dinheiro do FMI – ?não vai funcionar?.

Já o The Washington Post destacou o fato de o país não ter sido um ?aluno-modelo? do FMI, como alega Buenos Aires, pois preferiu endividar-se cada vez mais a cortar gastos. O jornal, porém, afirmou que há ?fortes argumentos a favor? de uma ajuda do Fundo, já que ?negar um resgate traz o risco de um contágio maior e vai provocar muitos danos a um país que, pelo menos, mostrou algum compromisso com as reformas?."

    
    
    
          

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem