Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

PRIMEIRAS EDIçõES > NA TELONA

O papa viu, mas não disse nada

Por lgarcia em 27/01/2004 na edição 261

NA TELONA

O secretário do papa João Paulo II, arcebispo Stanislaw Dziwisz, negou, em entrevista à correspondente do Catholic News Service, que o papa tenha oferecido qualquer tipo de apoio ao novo filme de Mel Gibson, conforme havia sido espalhado na imprensa. Ainda inédito, The passion of the Christ conta a história das últimas 12 horas da vida de Jesus.

Alguns líderes cristãos e judeus expressaram receio de que o filme pudesse trazer à tona a velha crença de que os judeus seriam responsáveis pela crucificação de Jesus. Mel Gibson e seus associados afirmaram que essa não foi sua intenção, e nem a mensagem que o filme deseja passar. Mesmo assim, os produtores do filme foram cuidadosos, e entregaram uma fita para o papa.

A partir daí, começaram os boatos na imprensa de que João Paulo II teria dito que o filme mostrava a crucificação de Cristo da maneira como ela havia sido. A notícia logo se espalhou, mas não havia sido confirmada por nenhum representante do Vaticano.

Na entrevista para o Catholic News Service, Dziwisz afirmou que o papa assistiu ao filme, mas não expressou a ninguém sua opinião. [The New York Times, 20/1/04]

O ex-piloto da Força Aérea americana Scott O?Grady aceitou acordo com a Twentieth Century Fox Film Corporation, no processo que estava movendo contra a empresa. Em 1995, O?Grady voltou aos EUA como herói, após sobreviver à queda de seu avião na Bósnia. Seu F-16 foi atingido por um míssil enquanto patrulhava um espaço aéreo proibido. Durante uma semana, o piloto se escondeu das hostis forças servias, e sobreviveu bebendo água escorrida de suas meias e comendo grama, até ser resgatado por soldados da Marinha norte-americana.

O?Grady processou a Twentieth Century Fox por causa do filme Behind enemy lines, exibido em 2001. Com os atores Gene Hackman e Owen Wilson nos papéis principais, o filme conta a história de um piloto que teve seu F/A-18 derrubado enquanto fazia um vôo de reconhecimento na Bósnia. Na trama, o piloto luta para se esquivar de forças inimigas e acaba salvo por militares norte americanos.

O?Grady alega que Behind enemy lines foi baseado em sua história. O filme, que abocanhou US$ 59 milhões em apenas quatro meses, foi promovido pelo canal de TV paga Discovery. Na mesma época, o canal exibia também um documentário produzido pela BBC sobre a experiência de O?Grady em 1995.

Os advogados do piloto afirmaram que a promoção do filme em conjunto com a exibição do documentário proporcionou a falsa idéia de que O?Grady endossava o filme, o que na realidade não aconteceu. O processo foi movido num tribunal em Texarkana, no Texas. O valor e os termos do acordo não foram divulgados. [Reuters, 20/1/04]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem