Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

PRIMEIRAS EDIçõES > **

Olhar o passado para seguir em frente

Por lgarcia em 01/01/2003 na edição 205

IMPRENSA & GOVERNO DE TRANSIÇÃO

Os partidos estão se reposicionando, os políticos estão se reposicionando, os grandes lobbies estão se reposicionando. Nada de novo ? por isso são partidos, políticos, lobbies.

Mas a imprensa precisa realmente reposicionar-se?

O poder é transitório e volátil; aqueles que lidam com o poder precisam agarrar todas as oportunidades. É a sua missão, paranóia, obsessão ou o que for. Mas a imprensa é uma instituição com compromissos permanentes, em defesa das causas públicas imutáveis. Razão pela qual entram governos e saem governos mas não pode alterar-se o compromisso jornalístico de informar e buscar a verdade.

É uma questão retrospectiva e prospectiva. Não envolve apenas o futuro (o governo que assume em 1? de janeiro) mas tem muito a ver com o passado (o governo que estendeu-se ao longo dos dois últimos mandatos).

Este intermezzo deveria estar sendo aproveitado pelas direções dos grandes veículos para rever o que fizeram desde 1994. Com os recursos oferecidos pela tecnologia à consulta de coleções antigas, é uma sopa. Pode requerer algum tempo ? melhor assim: fazem-se menos reuniões intermináveis para discutir coisa nenhuma e investe-se mais em trabalho de campo.

Antes de atacar, defender ou assumir a balela do tal "acompanhamento crítico" no tocante à nova equipe de governo, os grandes veículos precisam ver como se comportaram no passado.

** Houve oposição sistemática?

** Houve partidarização do noticiário?

** Conseguiu-se impedir a contaminação do material informativo pelas idiossincrasias particulares?

** Praticou-se o canibalismo denuncista?

** Controlou-se a tentação de participar do estouro da manada?

** Interesses empresariais puderam ser barrados por meio da cobertura eqüidistante (remember privatizações das teles)?

** Os lobbies (institucionais ou individuais) conseguiram enfiar nos grandes veículos matéria de seu interesse?

** ACM e Sarney, para citar apenas os mais ostensivos, conseguiram controlar em seu benefício o fluxo das informações?

** A arrogância e a presunção foram mantidas à distância na tomada de decisões editoriais?

Outros decálogos podem ser acrescentados ao rol de questionamentos. Perguntas são bem-vindas. As respostas, mais ainda.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem