Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > ***

Painel do Leitor, FSP

Por lgarcia em 05/06/2002 na edição 175

LINHA DIRETA

"?Linha Direta?", copyright Folha de S. Paulo, 30/5/02

"A reportagem ?No aniversário, ?Linha Direta? sai do ar? (Ilustrada, pág. E5, 23/ 5) traz números errados a respeito da audiência do ?Linha Direta?. Na semana anterior à reportagem, por exemplo, entrando 45 minutos depois de nosso horário normal (depois de ?BBB2? e do horário político), a Globo teve 55% do público ligado no ?Linha Direta?. Isso equivale a 33 pontos, contra 13 da concorrência. É uma prova do erro na frase que diz que o programa hoje ?não consegue passar dos 27, 28?. Mas isso não ocorreu apenas naquela semana. Desde a estréia da programação da Globo deste ano, por exemplo, estamos entre 34 e 35 pontos. O caderno TV Folha há cinco semanas indica o programa como o quarto ou quinto -dependendo da semana- mais visto do país. Sobre a suposta ?geladeira?, a explicação é mais simples: com a Copa, nem todos os programas cabem na grade de programação. Alguns mudarão de horário e outros também sairão do ar nessas cinco semanas. Como o ?Linha Direta? nunca saiu do ar em três anos -como ocorre com outros programas, que param entre dezembro e março-, chegou a hora de tirarmos férias.? Milton Abirached, diretor do programa ?Linha Direta? (Rio de Janeiro, RJ)

Nota da Redação – Sobre a audiência do programa, leia a seção ?Erramos?, abaixo."

 

JORNALISTA ASSASSINADO

"Jornalista é seqüestrado e assassinado a pedradas", copyright O Estado de S. Paulo, 28/5/02

"O jornalista Egberto Tavares Costa, de 57 anos, secretário de comunicação da prefeitura de Feira de Santana, foi seqüestrado e morto a pedradas por dois homens que, aparentemente, pretendiam roubar o seu carro.

Os suspeitos, Paulo Roberto Gomes, de 19 anos, e seu tio Josevan Alves, de 27, foram presos na manhã de ontem e confessaram o crime. Costa foi abordado pelos bandidos na madrugada de domingo e levado para um canavial, onde foi morto."

BISPO EDIR COLEGUINHA

"Bispo Macedo consegue registro de jornalista", copyright Comunique-se, 27/5/02

"Os bispos da Igreja Universal do Reino de Deus Edir Macedo e Natal Wellington conseguiram o tão sonhado registro de jornalista na DRT-RJ, em dezembro do ano passado. A revelação foi feita pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio de Janeiro. Eles aproveitaram a decisão da juíza Carla Rister de dispensar o diploma para o exercício da profissão.

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) constestou a decisão na Justiça. Tenta derrubar a tutela antecipada, utilizando inúmeros argumentos. Ainda não há previsão para o encerramento da questão.

Segundo o Sindicato do Rio, o documento apresentado pelo bispo contém uma falha da DRT: a palavra jornalista no registro de colaborador, que não existe no texto da lei que regulamenta a profissão. O sindicato diz também que o registro foi concedido através do Sindicato dos Jornalistas Liberais do Município do Rio, do qual é associado. ?Esta entidade não representa os profissionais de imprensa, não é filiada à Fenaj e ainda fere a Constituição, que prevê a unicidade sindical na mesma base territorial?.

O Bispo vem tentando há anos tirar o registro de jornalista.

Desde a decisão de Carla Rister, 108 registros já foram concedidos só no município do Rio."

***

"Registro de Bispo provoca polêmica", copyright Folha de S. Paulo, 28/5/02

"A concessão de registro de jornalista ao Bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, revoltou representantes de sindicatos e até mesmo aqueles que são contra a exigência do diploma. Fred Ghedini, presidente do Sindicato de São Paulo, afirmou que ?uma decisão judicial irresponsável pode sujar para sempre uma categoria e uma luta pela legalização profissional?.

Ghedini pergunta: ?Qual a finalidade dele de conseguir o registro??. Segundo o jornalista, há várias pessoas que ?não deveriam estar nessa profissão? no mercado. ?Vejo muita gente trabalhando nas redações do interior de São Paulo que conseguiram o registro depois da liminar concedida pela juíza (Carla Ríster)?.

Mino Carta, que é contra o diploma porque ?é decisão dos tempos da ditadura?, disse que é ?ridículo? Macedo se tornar jornalista. ?Sou tão contra o Bispo ser jornalista quanto contra o Roberto Marinho. Eles são patrões, pertencem a uma outra turma. Em país civilizado, dono de empresa jornalística não é jornalista?.

?Enquanto a liminar da juíza não for julgada, qualquer vira-lata pulguento terá o registro?, limitou-se a dizer o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amazonas."

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem