Domingo, 22 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

PRIMEIRAS EDIçõES > REALITY SHOWS

Pedro Doria e Roberta Salomone

Por lgarcia em 31/01/2001 na edição 106

QUALIDADE NA TV

REALITY SHOWS

"Amor japonês", copyright no. (www.no.com.br), 19/01/01

"No Japão não se fala em outra coisa. O programa ‘Mirai nikki’ – Futuro diário – levou o conceito dos ‘No limite’ da vida ao máximo, desenvolvendo uma série de mini-séries meio verdade, meio ficção. Um rapaz e uma menina, solteiros, que não se conhecem, são convidados a encenar uma história de amor. O que recebem é um roteiro geral, onde situações são apresentadas, mas sem diálogos. Tudo é improviso, inclusive o desfecho de cada cena. ‘Existe um senso de realidade na expressão de alegria ou incômodo dos participantes que rivaliza com o trabalho até dos melhores atores profissionais’, afirma reportagem no site ‘Trends of Japan’. No ar desde meados de 1999, a quinta temporada da série foi a que fez maior sucesso até agora. Nela, um japonês e uma tailandesa venceram a barrira da língua. Seu primeiro beijo abalou a terra do Sol nascente – fazendo muito bem para os produtores do programa. A música-tema do casal, ‘Sakurazaka’, virou hit. Um parque de diversões em Tóquio promoveu durante 40 dias no último ano uma versão ao vivo da série atraindo 123 mil pessoas. Virou, claro, cinema, formando filas no circuito de Tóquio. ‘Outro dos motivos para a popularidade do programa é que a história é pontuada por uma série de viradas nas quais os atores, apesar de estarem começando a se apaixonar, são forçados a agir contra o que sentem. Tais frustrações ajudam a aumentar a noção de que precisam lutar um pelo outro.’ É claro, não podia faltar a opinião do psicólogo de plantão. Neste caso, aposta o profissional anônimo, o cenário e as situações apresentadas atiçam um fenômeno chamado ‘efeito Romeu e Julieta’ – enfim, um clima. Nas palavras de uma fã, ‘’Mirai nikki’ nos faz sentir como se nós também fizéssemos parte de uma história de amor.’ Hoje na oitava temporada, o programa não parece dar sinais de cansar a audiência – já esquecida há muito do mestre Akira Kurosawa. E provavelmente é só questão de tempo para que versões comecem a pipocar pelas tevês de todo mundo.

O norte da Califórnia está no topo da tecnologia. Não há casa sem computador, dinheiro que se saque que não seja em caixa automático – e até o transporte público é parcialmente movido a eletricidade. Por conta do medo de terremotos, gás não entra em casa. O fogão? Elétrico. Imagina-se a crise por conta dos blecautes. E é justamente as mudanças no dia-a-dia que contam os repórteres do ‘LA Times’, hoje. ‘Em San Francisco, 40 cruzamentos ficaram sem os sinais de trânsito, e quase 60 policiais orientavam motoristas e pedestres.’ Os problemas são de todo tipo. ‘Essa senhora, acabei de terminar seu permanente e não posso secá-lo’, resmungava Tina Tu no New Style Beauty Salon. ‘Tenho um filho de doze anos com fome e não posso fazer comida’, protestava Jacalyn Gordon, em Fresno. É o caos.

Criatividade nunca é demais. Gene Weingarten, do ‘Washington Post’, entrou na sala de chat do site oficial de Britney Spears para perguntar o que as pessoas acham do futuro presidente George W. Bush. Não fez matéria, apenas transcreveu o papo. ‘Alguém tem fotos da Britney nua?’ pergunta um Buki7, enquanto o pobre jornalista insiste. ‘Acho Bush quente, alguém concorda?’ O papo continua, uma tal ChickDx se rende: ‘NOJENTO!!!’, ofende-se. ‘Quantos anos você tem, Chick?’, ele pergunta. ‘14, e você?’ 49, a resposta, ‘wow’ é a deliciosa tréplica. Scoobdoo1fan reclama que ‘odeia Bush e Gore’ porque ‘Gore tenta, Bush mente’ e o papo, simplista mas maravilhoso se estende.

No dinamarquês ‘The Earth Times’, Michael Littlejohns entrega-se a uma análise da difícil disputa que o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, deve enfrentar se decidir concorrer a um segundo mandato. As Nações Unidas dificilmente viram assunto na imprensa tupiniquim, então nunca é demais ler sobre o assunto. Para que Annan se reeleja, precisa do apoio – ou pelo menos não ser vetado – pelos membros do Conselho de Segurança: EUA, China, Rússia, França e Reino Unido. E justamente porque seus interesses são quase inconciliáveis, seu trabalho fica bastante difícil. A China pode pular fora, os EUA de Bush são por enquanto uma incógnita. Neste meio tempo, a Ásia quer o cargo – Jayantha Dhanapala, do Sri Lanka, é nome forte. Não concorrendo, Annan gostaria de ver um nome latino-americano. Um nome quente é do ex-embaixador da Venezuela nos EUA, Diego Aria. É briga de cachorro grande.

Há dez anos, o correspondente Patrick Cockburn, do ‘Independent’ de Londres, estava no hotel Al-Rashid quando a primeira saraivada de bombas atingiu Bagdá no que viria a ser a Guerra do Golfo. Agora, ele relembra. ‘Lembro que minha maior preocupação era que em outro canto do hotel Peter Arnett, da CNN, estava reportando explosão a explosão para gente em todo o mundo. Isso queria dizer que não importa o que eu escrevesse, poderia parecer velho para meus leitores’, conta. ‘Não percebi que os aliados estavam apresentando a campanha no ar como um tipo de guerra nova na qual apenas alvos militares e governamentais eram atingidos. Mas precisão só conta se você conhece seu alvo. O general Wafiq al-Samarrai, então chefe de inteligência iraquiana, hoje no exílio, mais tarde me contou que durante toda a guerra ‘o exército iraquiano não perdeu um único oficial.’‘ Virou história."

"‘Survivor’ estréia na TV paga no dia 8 de março", copyright Folha de S. Paulo, 20/01/01

"Programa sensação da TV norte-americana no ano passado, ‘Survivor’, que inspirou o brasileiro ‘No Limite’, estréia no canal pago Multishow (operadoras Net e Sky) em 8 de março.

Os 14 episódios do ‘reality show’ serão exibidos às quintas-feiras, às 21h30, com legendas. As negociações entre a Globosat (programadora das Organizações Globo) e a rede americana CBS foram fechadas nesta semana.

Disputado numa ilha da Malásia, o primeiro ‘Survivor’ foi vencido por Richard Hatch, homossexual assumido. O último episódio, em 23 de agosto, foi visto por cerca de 40 milhões de pessoas nos EUA -a terceira maior audiência da história da TV norte-americana.

‘Survivor’ foi copiado em vários países e gerou projetos como o da NBC (concorrente da CBS), que quer fazer um ‘reality show’ na estação espacial Mir.

A segunda edição do programa estréia nos EUA dia 28 (mesmo dia do novo ‘No Limite’). Será disputada na Austrália. Recentemente, os produtores do programa disseram em entrevistas que querem fazer a terceira versão de ‘Survivor’ na selva amazônica.

Tensão 1

Rolou o maior estresse na mesa de corte de imagens da TV Globo durante a exibição da final da Copa João Havelange, anteontem. Os editores suaram a camisa tentando evitar imagens que mostrassem o logotipo do SBT, estampado no uniforme do Vasco. Quem estava por perto ouviu muita gritaria.

Tensão 2

A audiência de Vasco x São Caetano foi de 29 pontos na Grande São Paulo. Para o horário, foi um bom resultado. Mas muito abaixo do esperado para uma final do campeonato que substituiu o Brasileiro. O primeiro jogo da final, dia 27 de dezembro, deu 44 pontos -mas foi à noite.

Fica

A Globo mudou de idéia e não vai mais deixar de exibir o ‘Planeta Verão’ neste domingo. O programa está mantido, mas o ‘Xuxa Park’ de hoje será substituído por desenhos, numa espécie de luto pelas vítimas do incêndio do dia 11.

Pílulas

O canal pago People + Arts exibe desde ontem, nos intervalos, programetes de 30 segundos sobre o Rock in Rio. São trechos de entrevistas coletivas dos artistas. No final do mês, irão ao ar edições de até três minutos com imagens dos shows."

Volta ao índice

Qualidade na TV – próximo texto

Qualidade na TV – texto anterior

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem