Sábado, 23 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Projeto Yeltsin

Por lgarcia em 12/06/2002 na edição 176

TELETIPO

Jeff Goldblum, Anthony Lapaglia e Liev Schreiber interpretarão no filme The Yeltsin project os consultores políticos americanos que foram contratados por empresários russos para conseguir a improvável reeleição de Boris Yeltsin em 1996, quando estava com baixíssimos índices de popularidade. Com ajuda da filha e conselheira de Yeltsin, Tatyana Dyachenko, os marqueteiros americanos aplicaram técnicas eleitoreiras ocidentais para convencer o eleitorado russo, descontente com as reformas econômicas, a proliferação do crime organizado e a guerra da Chechênia. Como informa The Hollywood Reporter [30/5/02], Yeltsin se manteve no poder, mas renunciou no final de 1999 devido a problemas de saúde, dando lugar ao atual presidente, Vladimir Putin.

O editor-chefe do semanário egípcio Al-Maydan, Saeed Abdel Khaliq, foi demitido por ter publicado uma fotografia do corpo do presidente Anwar Sadat, assassinado em 1981 por militantes islâmicos que se opunham ao acordo de paz estabelecido com Israel. A imagem mostra o líder, que foi morto a tiro, sem camisa, deitado em um lençol branco. Uma bandagem cruza o peito, que, nas partes visíveis, está repleto de pequenos buracos vermelhos. O jornal não explicou onde conseguiu a foto de autenticidade não comprovada. Khaliq perdeu o emprego depois que o presidente do Conselho da Shura, uma das câmaras do parlamento, reclamou da publicação. As informações são da AP [28/5/02].

A Comissão Britânica de Classificação de Filmes (British Board of Film Classification ? BBFC) publicou dados de 2001 que revelam que a censura de cenas de sexo aumentou consideravelmente com relação a 2000, ano que teve índice mais baixo da história. No ano passado, 2,8% dos filmes para cinema tiveram cortes exigidos pelo órgão regulador. No ano anterior, haviam sido 2,3%. Entre os vídeos, o crescimento foi de 2,7% para 3,8%. Segundo o diretor da BBFC, Robin Duval, os produtores estão aproveitando uma decisão judicial para usar cenas mais fortes. Em 2000, a Suprema Corte impediu a Comissão de censurar sete produções eróticas (com títulos como Nympho nurse Nancy ? Nancy, a enfermeira ninfomaníaca) e sugeriu que ela fosse mais liberal, permitindo até cenas de sexo de verdade nos filmes "R18", aqueles que só se comercializam em sex shops. As informações são da Reuters [29/5/02].

A produtora Artisan Pictures vai tentar explicar, através de filme, o que motivou o californiano John Walker Lindh, de 21 anos, a integrar as forças do Talibã, no Afeganistão, até ser capturado pelo exército americano. "Fui instigado pelo profundo mistério psicológico e político deste garoto", conta o diretor John Romano, que é roteirista e produtor do seriado O quinteto. Por enquanto, a única fonte de informação do longa-metragem, que tem nome provisório American taliban, é o que saiu na imprensa, mas os idealizadores do projeto esperam conseguir algo mais exclusivo. Enquanto isso, reporta a AP [30/5/02], Lindh aguarda ser julgado por conspirar para matar cidadãos americanos, servir ao Talibã e à al Qaeda e usar armas de fogo para praticar violência.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem