Domingo, 21 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Provão: efeitos perversos

Por lgarcia em 05/04/1998 na edição 42

Victor Gentilli

 

I

ntenções e resultados, sabem muitos, nem sempre se correspondem. Quantas vezes na história determinadas intenções alcançaram resultados exatamente inversos daqueles pretendidos por seus autores. Quando o governo federal sinalizou mudanças na Previdência Social, uma penca de funcionários adiantaram-se e solicitaram aposentadoria. O anúncio de que um problema iria ser enfrentado produziu como efeito o agravamento do problema. O desfalque maior se deu nas universidades federais.

Ao exigir titulação dos professores, o MEC tinha a intenção de valorizar os cursos de pós-graduação e estimular as escolas – principalmente as privadas – a buscarem qualificar seus professores.

O resultado, pelo que demonstram os primeiros indícios, parece não corresponder às intenções.

Já chamara a atenção no meu primeiro artigo sobre o provão neste OBSERVATÓRIO que o governo estava dando um presente para as escolas particulares, com os aposentados titulados. O movimento parece ser maior e mais grave ainda. Além dos aposentados, as escolas estão demitindo professores com experiência nas redações para buscar mestres nem sempre experientes. O resultado pode mais uma vez não corresponder à intenção.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem