Sábado, 19 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

PRIMEIRAS EDIçõES > GOVERNO SCHWARZENEGGER

Rancores do LA Times

Por lgarcia em 14/10/2003 na edição 246

GOVERNO SCHWARZENEGGER

Reconciliação será o tema de governo anunciado por Schwarzenegger. Mas continua a fúria pelo que alguns chamam de parcialidade liberal do Los Angeles Times, que noticiou nas vésperas da eleição as acusações de violência sexual contra o ator.

John S. Carroll, editor do Times, disse em entrevista que os leitores continuam cancelando assinaturas do jornal, o maior da Califórnia, desde a publicação do primeiro artigo sobre as alegações comprometedoras contra o novo governador, em 2/10. Já foram registrados em torno de 1.000 cancelamentos em protesto. Para Bill O?Reilly, comentarista da Fox News, "não há dúvida de que o Times usou seus numerosos recursos para tentar manter Gray Davis [democrata] no cargo".

Schwarzenegger assumiu na maior parte das acusações um comportamento abusivo, mas não entrou em detalhes e disse que algumas das alegações eram falsas, de acordo com reportagem de James Sterngold [San Francisco Chronicle, 9/10].

Carroll, de sua parte, ignora as críticas a seu jornal por acreditar que as alegações são verdadeiras e refletem o caráter do candidato, ponto importante de uma campanha. Os conservadores discordam. Muitos republicanos acham que a postura do Times é apenas reflexo de seu apoio aos democratas, o que Carroll veementemente nega.

Leia também

Maria Shriver, mulher de Arnold Schwarzenegger, recém-eleito governador da Califórnia, pretende voltar ao posto de correspondente e âncora ocasional do programa Dateline, da rede NBC, após ter participado da campanha eleitoral do marido. Funcionários da emissora, porém, dizem não saber qual será seu futuro ali, pois sua imagem de imparcialidade pode ser afetada.

Quando ela pediu licença da NBC, com o anúncio da candidatura de Schwarzenegger, em agosto, a direção da TV imaginava que ela manteria certa discrição. Contudo, ela se expôs muito durante a campanha, principalmente quando pesquisas mostraram que o eleitorado feminino californiano tinha receio de votar no ator e, depois, quando ele foi acusado de "apalpar" algumas mulheres, nas últimas três décadas.

O presidente da NBC News, Neil Shapiro, disse que a recente atuação política de Maria não deve manchar uma carreira premiada, iniciada em 1977. As informações são do New York Times [8/10/03].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem