Terça-feira, 24 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº963

PRIMEIRAS EDIçõES > ELEIÇÕES

Rádio, corrupção e picaretagem

Por lgarcia em 20/07/1998 na edição 49

M.M.

 

E

ste texto é um apelo a todos os leitores do OBSERVATÓRIO para que, no exercício da vigilância cívica sobre o comportamento dos meios de comunicação na campanha eleitoral – momento em que se fazem todas as barganhas e se usam todas as armas – prestem atenção no rádio e nos relatem abusos.

Publicar aqui as denúncias é um meio de ajudar os meios de comunicação e a Justiça Eleitoral a exercer seu papel fiscalizador.

Todos as informações sobre abuso, fraude e corrupção, em qualquer tipo de veículo, são importantes. Mas as emissoras de rádio merecem atenção especial, por várias razões:

1) A importância do rádio é inversamente proporcional ao acesso de massas de eleitores da base da pirâmide aos outros meios de comunicação. O rádio é o mais universal dos veículos, sobretudo no Brasil.

2) As rádios são muito numerosas e espalhadas, é difícil fiscalizar.

3) Muitas rádios pertencem a políticos e empresários, ou famílias poderosas em suas cidades e regiões.

4) O que há de mais rentável em muitas emissoras de rádio, hoje, infelizmente, é a venda (mal) disfarçada, por “comunicadores”, de horário para políticos e empresas, a exemplo da venda generalizada de espaço para execução de músicas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem