Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > NET EM CRISE

Renato Cruz

Por lgarcia em 20/05/2003 na edição 225

NET EM CRISE

“Prejuízo da Net diminui para R$ 76,5 milhões”, copyright O Estado de S. Paulo, 15/05/03

“Apesar da redução na base de assinantes, o prejuízo líquido da Net Serviços, maior empresa de TV por assinatura do País, baixou 8,1% no primeiro trimestre, somando R$ 76,5 milhões. A receita líquida da companhia subiu, passando de R$ 286,7 milhões entre janeiro e março de 2002 para R$ 289,5 milhões.

O processo de renegociação da dívida está em andamento. ?A companhia continua buscando uma estrutura adequada de capital, avaliando diariamente o seu fluxo de caixa. Dessa forma, não ocorreram amortizações de principal e juros no decorrer do trimestre e todo o endividamento continuava classificado no curto prazo ao final do primeiro trimestre de 2003?, informou a empresa em comunicado.

Em relação a 2002, o endividamento bruto da Net subiu 1,5%, para R$ 1,318 bilhão, 66,2% em moeda estrangeira. Os assinantes pagantes ficaram em 1,302 milhão, queda de 1,6%.”

“Net reage, mas perde 21,4 mil assinantes”, copyright Folha de S. Paulo, 15/05/03

“Maior operadora de TV paga do país, a Net continua perdendo assinantes. A empresa fechou o primeiro trimestre de 2003 com uma base de 1.301.900 assinantes, contra 1.323.300 em 31 de dezembro de 2002. A queda, de 21,4 mil clientes, foi de 1,6%, segundo relatório divulgado ontem pela Net.

Durante todo o ano passado, a Net registrou uma redução de 105,1 mil assinantes. A queda no primeiro trimestre de 2003 só não foi pior porque em março a companhia voltou a fazer campanhas publicitárias. Consequentemente, naquele mês as vendas cresceram 41% em relação a fevereiro.

Dos clientes que se desconectaram voluntariamente da Net entre janeiro e março, apenas 3% alegaram troca de operadora (contra 7% no quarto trimestre de 2002). Outros 19% (contra 28% no trimestre anterior) deixaram a empresa por dificuldades financeiras. Mudança para áreas não cabeadas foi o principal motivo de desconexão (43%).

Uma das principais reclamações dos assinantes, o serviço de atendimento telefônico piorou em março. Em São Paulo, foram atendidas 67% das ligações, contra 80% em dezembro. No Rio, o tempo de espera subiu de 26 segundos para mais de 2 minutos.

A Net registrou praticamente a mesma receita líquida do quarto trimestre de 2002, R$ 290,8 milhões. A queda na base de assinantes foi compensada pelo reajuste nas mensalidades.”

“Net consegue reduzir perdas, mas não estanca sangria de clientes”, copyright Cidade Biz (www.cidadebiz.com.br), 14/05/03

“A Net Serviços de Comunicação, maior operadora de TV a cabo do país, teve desempenho financeiro um pouco melhor no primeiro trimestre deste ano, reduzindo o prejuízo para R$ 76,5 milhões. Custos de programação mais baixos e um resultado financeiro negativo menor favoreceram o desempenho, mas a empresa ainda não conseguiu conter a sangria de clientes.

A base de assinantes pagantes do serviço de TV a cabo caiu 1,6% entre dezembro e março, para 1,301 milhão. Na comparação com o primeiro trimestre de 2002, a queda na base foi ainda maior, de 7%.

Mesmo com essa queda, a receita líquida cresceu na comparação ano a ano por causa de reajuste no preço de mensalidades e de uma ligeira alta nos pagamentos de ?pay-per-view?. O faturamento líquido foi R$ 289,5 milhões, 1% maior do que no primeiro trimestre de 2002. Em relação ao final de 2002, caiu 0,5%.

Com nova campanha publicitária no ar, a partir de março houve um aumento de 40% nas vendas da TV por assinatura. Em compensação, a taxa de desconexão (churn) cresceu para quase 15% na comparação com o último trimestre, mas ficou ainda muito abaixo dos 21% de março de 2002.

A renegociação dos contratos de programação, agora convertidos em real, ajudou na redução dos custos operacionais, que ca&iacuteiacute;ram 9,3% no trimestre.

Outros gastos, incluindo revisão dos processos de vendas, tiveram impacto negativo sobre o desempenho operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

O Ebitda foi de R$ 67,5 milhões no primeiro trimestre do ano, 4,5% menor do que no mesmo período de 2002. No último trimestre do ano passado, o Ebitda havia sido negativo em mais de R$ 20 milhões.

A dívida líquida da empresa estava em 1,242 milhão de reais em março. A Net continua estudando uma reestruturação da dívida depois de ter ficado inadimplente no ano passado.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem