Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Sra. Condit quer reparação

Por lgarcia em 24/07/2002 na edição 182

TELETIPO

A mulher do senador democrata californiano Gary Condit vai pedir ao National Enquirer US$ 10 milhões de indenização por difamação. O jornal insinuou que Carolyn Condit teria envolvimento no rapto e no assassinato da estagiária Chandra Levy. O artigo “Mulher de Condit atacou Chandra” explicava que foi um ataque por telefone, mas em processo aberto em fevereiro Carolyn alega nunca ter tido contato algum ? nem telefônico ? com a jovem de 24 anos, cujo corpo foi encontrado em maio num parque de Washington, após mais de um ano de seu desaparecimento. Condit admitiu que tinha relação “muito próxima” com a estagiária, e nega participação no crime. Segundo a Reuters [10/7/02], o Inquirer alega que a matéria não foi difamatória.


Dainik Uttarbanga Barta, diário de Bangladesh, foi fechado pelo governo no dia 5/5 porque identificou a primeira-ministra, Khaleda Zia, como a líder oposicionista Sheikh Hasina e vice-versa. Antes de Khaleda vencer Sheikh nas eleições de outubro de 2001, as duas tinham de fato papéis invertidos. Segundo a AP [8/7/02], o pedido de desculpas e a justificativa de que o erro foi causado por falha de computador não foram aceitos. Sadar Uddin Ahmed, funcionário que cancelou a licença de funcionamento do jornal, disse que a argumentação foi fraca. “O jornal não conseguiu provar que não houve motivação política na descrição incorreta.”. “Ganhamos o ódio do governo por expormos a corrupção”, rebateu o editor Hanif Ali Sheikh.


O Parents Television Council, entidade que monitora a TV americana, pagará US$ 3,5 milhões à World Wrestling Entertainment(WWE), organização profissional de luta livre, após acordo num processo de difamação. Em 1999, Lionel Tate, 12 anos, matou Tiffany Eunick, de 6 anos. Seu advogado, Jim Lewis, argumentou que o garoto imitava os lutadores da WWE. Tate foi considerado culpado e condenado a prisão perpétua. O Council usou a argumentação de Lewis para convencer empresas a não patrocinarem mais a entidade de luta livre. A WWE processou a instituição e o advogado, mas, pelo acordo firmado, ele só terá de pedir desculpas. As informações são da AP [8/7/02].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem