Sábado, 23 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES > INTERNET II

Terrorismo na Casa Branca

Por lgarcia em 03/10/2001 na edição 141

SERIADOS DE TV

Os criadores do seriado The West Wing (NBC), que se passa na Casa Branca, estão se apressando para gravar um episódio especial sobre terrorismo para o primeiro capítulo da série neste outono, em 3 de outubro. Neste capítulo, independente do resto da trama, chamado Isaac e Ishmael", o presidente americano Jed Bartlett (Martin Sheen) tem de enfrentar um ataque terrorista. O episódio não fará referências específicas aos atentados de 11/9.

"Não nos sentimos bem voltando à nossa ficcional Casa Branca sem dar uma parada", disse o produtor executivo do show, John Wells. "Esperamos poder dizer algo útil, e não de uma maneira que pareça que estamos tentando explorar estes eventos trágicos. Não se pode fingir que isto não aconteceu." Segundo a Daily Variety, o capítulo abrirá com os atores falando ao público diretamente antes de começar a representar.

Conta Steve Gorman [Reuters, 24/9/01] que West Wing vai contra a tendência seguida pela maioria das redes, que têm adiado ou mudado seus shows para evitar tocar no assunto. A CBS adiou o primeiro episódio da série The agency, baseada na CIA, por causa de referências a Osama bin Laden e a um plano ficcional de explodir um prédio em Londres. A Fox disse que cortará uma cena de explosão de avião do capítulo inicial da série 24, também sobre agentes da CIA. E a NBC engavetou um script para uma próxima série, UC: Undercover, sobre agentes federais que se infiltram em organizações criminosas.

INTERNET II

Quando a CBS começou a cobrar pelo acesso a vídeos extras do reality show Big Brother 2 na internet, houve quem protestasse ? mas o sucesso da experiência estimulou toda a indústria televisiva a ver a internet não apenas como um meio para promover shows, mas também para vendê-los. Muitas redes já planejam cobrar pelo acesso a notícias exclusivas, esportes e programação especial.

Segundo Jon Healey [Los Angeles Times, 24/9/01], a CBS foi pioneira ao começar, em julho, a vender vídeos do set de Big Brother 2 por US$ 19,95. Em um mês, mais de 250 mil pessoas se registraram para acessar os vídeos.

O interesse das redes de TV foi também intensificado pelo crescente número de casas com conexão de alta velocidade, o que melhora significativamente a qualidade do vídeo no computador. Companhias que planejam adotar conexão à internet via cabo também incentivam a experiência. RealNetworks Inc., empresa à qual a CBS se uniu para distribuir os vídeos, deve anunciar em breve uma nova versão do software GoldPass, para executar programas de internet. O serviço de assinatura online do Real Player, que custa menos de US$ 10 por mês, já atraiu mais de 300 mil clientes no primeiro ano.

Outro possível parceiro no pacote da Real é a ABCNews, que poderá oferecer replays online do World News Tonight e do Nightline. "Achamos que a internet é um ótimo mecanismo de distribuição do nosso conteúdo", disse Bernard Gershon, vice-presidente sênior e administrador-geral da ABCNews.com.

A Intertainer também oferece pacote de filmes e shows por conexão de alta velocidade via cable modem. Embora tenha menos de 50 mil assinantes, Intertainer tem o apoio de importantes empresas de tecnologia e mídia, que incluem Microsoft e Sony. Para o executivo-chefe da companhia, Jonathan Taplin, a internet dá às redes uma nova maneira de reciclar programas já exibidos, ao colocá-los num sistema de assinatura pay-per-view.

    
    
                     

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

Siga o Observatório da Imprensa
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Termos de Uso
x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem