Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

The Washington Post

Por lgarcia em 02/12/2003 na edição 253

TELETIPO

Para a equipe do presidente americano George W. Bush, o pior inimigo dentro de uma imprensa (na visão deles) desfavorável ao governo, é o editor-executivo do Washington Post, Leonard Downie. Harry Jeff, da Washingtonian [26/11/03], foi ouvir um “funcionário sênior do governo” sobre o que acha do jornalista e ele o chamou de “Osama bin Downie”, acusando seu jornal de travar “uma jihad contra a administração Bush”. Ao saber do comentário, Downie logo concluiu que seu autor – ou melhor, autora – só poderia ser Anna Perez, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança. “Anna é minha amiga. Tenho certeza de que disse isso de brincadeira”, amenizou. De fato, o Post tem dado trabalho à Casa Branca. Tem cobrado Bush por afirmar que Saddam Hussein havia tentado comprar urânio na África e segue investigando quem do governo deixou vazar a identidade da agente secreta Valerie Plame. “Levamos esse negócio de responsabilidade a sério”, observa o correspondente do diário na presidência, Dana Milbank. “Mas não é só com essa Casa Branca. Ou eles esqueceram quem é que deu o furo do caso Monica Lewinsky?”

Konrad Adenauer, chanceler que comandou a Alemanha Ocidental após a 2a Guerra Mundial, foi eleito o maior alemão de todos os tempos em concurso da emissora de TV ZDF. O programa, inspirado em similar da BBC britânica na qual Winston Churchill foi vencedor, teve a participação de mais de 1,5 milhão de espectadores votantes. O nome da atração inglesa era Grandes Britânicos, mas como nacionalismo é algo visto com receio na Alemanha, a versão local foi batizada de Nossos Melhores. O gênio da música erudita Sebastian Bach ficou em segundo, seguido do unificador da nação no século 19, o prussiano Otto von Bismarck. Willy Brandt, chanceler social-democrata que buscou aproximação com a Alemanha Oriental nos anos 70, ficou em quarto. Uma boa surpresa foi a décima colocação dos irmãos Sophie e Hans Scholl, líderes de um movimento antinazista que agiu em plena 2a Guerra, presos e guilhotinados em 1943. O atual chanceler Gerhard Schröder conseguiu a 82a posição, bem atrás, por exemplo, do participante de reality show Daniel Küblböck, que terminou em 16o. Com informações do Guardian [28/11/03] e do sítio da ZDF.

O Conselho de Governo do Iraque, sustentado pelos americanos, expulsou o canal al-Arabyia do país, sob acusação de incitar a violência “pela voz de Saddam Hussein”. A emissora, com sede em Dubai, transmitiu mensagem do ex-ditador no dia 16/11 em que ele pede que iraquianos continuem resistindo à invasão da coalizão. O secretário de Defesa americano, Donald Rumsfeld, disse haver evidências de que a al-Arabyia e a al-Jazira colaboram com as forças que têm matado americanos no Iraque. Ele afirmou que equipes das estações estavam em “grande proximidade” de ataques, mesmo antes de acontecerem. Segundo The Guardian [26/11/03], Rumsfeld não disse se foi a favor do banimento da al-Arabyia, mas segundo o Washington Post [25/11/03], uma fonte do governo dos EUA revelou que o administrador americano no Iraque, Paul Bremer, aprovou a ação.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem