Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

PRIMEIRAS EDIçõES >

Tutti buona gente.com

Por lgarcia em 05/06/2000 na edição 91

“Dia da Imprensa”, copyright Correio Braziliense, 1/6/00

“‘O primeiro dever do homem em sociedade é ser útil aos membros dela; e cada um deve, segundo as suas forças físicas, ou morais, administrar, em benefício da mesma, os conhecimentos, ou talentos, que a natureza, a arte, ou a educação lhe prestou. O indivíduo, que abrange o bem geral de uma sociedade, vem a ser o membro mais distinto dela: as luzes, que ele espalha, tiram das trevas, ou da ilusão, aqueles, que a ignorância precipitou no labirinto da apatia, da inépcia, e do engano. Ninguém mais útil pois do que aquele que se destina a mostrar, com evidência, os acontecimentos do presente, e desenvolver as sombras do futuro. Tal tem sido o trabalho dos redatores das folhas públicas, quando estes, munidos de uma crítica sã, e de uma censura adequada, representam os fatos do momento, as reflexões sobre o passado, e as sólidas conjecturas sobre o futuro.

Devem à nação portuguesa as primeiras luzes destas obras, que excitam a curiosidade pública. Foi em Lisboa, na imprensa de Craesbeck, em 1649, que este redator traçou, com evidência, debaixo do nome de boletim de acontecimentos da guerra da aclamação de D. João o Quarto. Neste folheto se viam os fatos, tais quais a verdade os devia pintar, e desta obra interessante se valeu, depois, o Conde de Ericeira, para escrever a história da aclamação com tanta censura, e acertada crítica, como fez.’ [Editorial de Hipólito José da Costa no lançamento do Correio Braziliense em Londres, 1808]”

 

“Imprensa comemora sua data com debate sobre novas mídias”, copyright O Estado de S.Paulo, 2/6/00

“Pela primeira vez, o Dia da Imprensa foi comemorado no 1º de junho, em vez de 10 de setembro. A mudança é resultado de uma proposta do deputado Nelson Marchesan aprovada no ano passado. Foi no dia 1º de junho de 1808 que foi publicado o primeiro jornal genuinamente brasileiro, o Correio Braziliense, impresso em Londres.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI), comemorou o Dia da Imprensa com o que a casa sabe fazer de melhor: o debate. Assuntos variados fizerem parte do seminário, realizado durante a tarde de ontem, que contou com profissionais de diferentes meios de comunicação e conselheiros da ABI.

Internet e jornal – O advento da Internet, a liberdade de expressão e os jornalistas na era da globalização foram alguns dos assuntos discutidos. A platéia, composta basicamente de alunos do curso de Comunicação Social, acompanhou atentamente à palestra sobre imprensa e Internet, que abordou tópicos como a notícia em tempo real, a linguagem que está sendo utilizada na Internet e como os jornais estão se posicionando diante do surgimento da linguagem do computador.

O surgimento da ABI e o seu papel em diferentes momentos históricos do país foi o tema da palestra de Henrique Miranda. ‘A história da ABI se integra à história de nosso povo’, afirmou Miranda. Ele lembrou de episódios em que a ABI esteve à frente como o movimento de defesa da economa nacional e a campanha do ‘petróleo é nosso’, na década de 40.”

 

LEIA TAMBEM

Projeto Folha chega ao fim – Alberto Dines

Os barões de Limeira – Luiz Egypto

A palavra da Folha de S.Paulo – Otavio Frias Filho

Retrato da prepotência:o reizinho está nu – Alberto Dines

A patologia do coice – A.D.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem