Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > CÂMERAS OCULTAS

Uma sugestão de pauta, na Globo

Por lgarcia em 05/06/2002 na edição 175

CÂMERAS OCULTAS

Antônio Brasil (*)

Há muito venho tentando alertar sobre os perigos da utilização das câmeras ocultas pelos nossos telejornais. Penso que, assim como grampear telefones, essa prática é perigosa para o jornalista e, do ponto de vista da justiça, ilegal. Trata-se de uma invasão perigosa da privacidade de pessoas que podem ser corruptas mas também podem não ser. Quem decide? A resposta requer um critério ético isento e uma autorização judicial.

Esse é mais um recurso extremamente útil para a prática do jornalismo, principalmente o jornalismo preguiçoso. Aquele que acredita que uma imagem não mente jamais e que devemos fazer o que o outros deveriam fazer mas não fazem. Passamos a agir como polícia ou procurador de Justiça.

Mas já que a prática continua e cresce, gostaria de sugerir uma pauta para aqueles que a defendem no telejornalismo brasileiro. Tenho uma sugestão de pauta baseada numa situação recente e pertinente.

Os alunos de Jornalismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro se inscreveram num programa muito interessante de visitas ao departamento de jornalismo da Globo, com direito a passar um dia na redação do Jornal Nacional ? um verdadeiro sonho para qualquer aluno. Todos ficaram entusiasmados e, como bons futuros jornalistas de TV, pediram aos organizadores da visita para levarem suas pequenas e poderosas câmeras de vídeo. O pedido foi surpreendentemente negado, sem maiores explicações. E precisa?

Ficou bastante claro que a Globo quer colaborar com o ensino de Jornalismo mas que não gosta de câmeras, sejam elas ocultas ou não, em suas redações. Pena. Teria sido muito útil para todos os alunos e demais telespectadores dos nossos telejornais universitários. Principalmente para aqueles que não tiveram o privilégio participar dessa excelente oportunidade para conhecer um pouco mais de perto a produção do nosso principal telejornal.

Gostaria de sugerir aos defensores da utilização jornalística das câmeras ocultas que mostrem como funciona a redação da Globo. Seria uma matéria relevante, com provável direito a um Prêmio Esso. Afinal, TV é uma concessão pública e o telejornalismo é a nossa principal fonte de informações. Principalmente considerando que estamos às vèsperas de uma eleição presidencial com grande, porém nem sempre muito clara, participação do nosso principal meio de comunicação de massa.

Seria ótimo ver o trabalho de um jornalista corajoso, que acredite no poder das imagens para revelar a verdade dos fatos, mostrando, por exemplo, as reuniões de pauta dos telejornais. Poderíamos assim comprovar a objetividade e isenção dos colegas jornalistas que trabalham em televisão.

A verdade é que "pimenta (ou câmeras) nos olhos dos outros é sempre refresco". Mas sempre para os outros, claro.

Fica aqui registrada a sugestão de pauta. Quem se habilita?

(*) Jornalista, coordenador do laboratório de TV, professor de telejornalismo da UERJ e doutorando em Ciência da Informação pelo convênio IBICT/UFRJ


Leia também

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem