Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > CÁSPER LÍBERO

Valor Econômico

Por lgarcia em 26/02/2003 na edição 213

BBC BRASIL

“BBC aumenta serviço brasileiro”, copyright Valor Econômico in Comunique-se (www.comunique-se.com.br), 21/02/03

“O Brasil foi definido como um dos países estratégicos para a expansão da rede segundo o serviço de noticias mundiais BBC. Para uma emissora, que quer se consolidar como a maior do mundo, o Brasil, que é um país em que o número de rádios só é superado pelos EUA e com um volume crescente de internautas, é um prato cheio de oportunidades.

A partir de março, os serviços no país já começam a ser modificados. No mundo inteiro os sites da BBC serão redesenhados e o Brasil foi um dos poucos escolhidos a ter novo desenho estreado ao mesmo tempo que a Inglaterra.

Para reforçar a marca entre os brasileiros, a BBC passará por um processo de rejuvenescimento. O diretor da BBC Brasil, Américo Martins, acredita que o público da emissora seja composto por homens com mais de 40 anos e das classes A e B.

Com o objetivo de baixar essa faixa etária, a BBC já começou a fazer atividades voltadas aos jovens. Está acontecendo, por exemplo, um ciclo de palestras gratuitas em universidades federais de oito Estados do país. Participam do evento profissionais da BBC e de outros veículos nacionais. Para os estudantes de jornalismo, há um concurso com direito a duas semanas de estudos em Londres. As palestras já passaram por Brasília, Bahia e Minas Gerais. Comunique-se divulgará os próximos estados em breve.”

 

CÁSPER LÍBERO

“Com sapos de borracha, chega ao fim crise na Cásper Líbero”, copyright Último Segundo (www.ultimosegundo.com.br), 18/02/03

“No Egito Antigo, após devastadoras enchentes, o rio Nilo se apaziguava com as áreas à sua margem ao deixar resíduos que rendiam profícua fertilidade. Uma crença dos povos da região apontava o ?canto? de sapos, durante as fases de alagamento, como música de conciliação. Os animais eram o símbolo do acordo entre o rio e a terra.

Quem contou a história (verdadeira?) do parágrafo acima, nesta quarta-feira, foi o professor da Faculdade Cásper Líbero e articulista da ?Folha de S. Paulo?, Marcelo Coelho. Minutos antes da lembrança dos egípcios, os professores da coordenadoria de Jornalismo chegaram a um acordo com a diretoria da faculdade. E terminou a crise que tomou, nos últimos meses, os corredores de uma das mais renomadas faculdades de comunicação social do País.

O professor Mário Vitor Santos foi nomeado coordenador, tendo o professor Wellington Andrade como seu vice. ?Agradeço, e muito, ao apoio dos alunos e dos professores?, disse Mário Vitor aos cerca de 70 alunos presentes à posse.

?A superação dessa crise é possivelmente um marco para a faculdade. Um marco de maturidade, em que o debate político foi estimulado. Venceu a opinião e não a violência?, comemorou o coordenador.

A crise

Professores e diretoria discordavam em diversos pontos estratégicos da Faculdade Cásper Líbero. O conflito era aberto: alunos, professores e funcionários da instituição não se cansaram de enviar e receber e-mails de ataque e defesa no período de férias escolares. Depois de demitir, sem justa causa, o coordenador – em fim de mandato – Marco Antônio Araújo, o diretor Erasmo de Freitas Nuzzi ignorou duas eleições da coordenadoria.

A primeira, unânime entre os professores, era composta pelos professores Mário Vitor Santos e Wellington de Andrade (o vice). Foi anulada por ferir alguns pontos do regimento da faculdade. ?Eu não tive nenhuma relação com essa anulação?, disse o diretor Nuzzi nesta quarta-feira. ?Estava sob licença médica?, alegou.

Na segunda eleição, a chapa formada pelos professores Luiz Costa Pereira Jr. e Marcelo Coelho derrotou por 19 votos a 8, no dia 31 de janeiro, a candidatura de Wellington Andrade (que se afastara do outro grupo) e Carlos Costa, que se dizia ?moderada?.

A diretoria não reconheceu a votação e nomeou a chapa derrotada para a coordenação do curso. Inconformados, os professores eleitos democraticamente não reconheceram a nomeação e a crise ganhou teor ainda mais grave. Por meio de telegramas, a diretoria os ameaçou de demissão na última quinta-feira.

Na última sexta-feira, contudo, a situação tomou guinada bem favorável aos professores. A demissão foi refutada pela superintendência da Fundação Cásper Líbero, que controla também a TV Gazeta, o site Gazeta Esportiva.net e a Rádio Gazeta. No sábado, 12 dias depois de empossados, Wellington Andrade e Carlos Costa renunciaram, surpreendentemente, aos seus cargos.

Em meio a esse revertido contexto, os professores de ?oposição? negociaram com a fundação. Por comunicado escrito nesta terça-feira pelo superintendente-geral Sérgio Felipe dos Santos, os professores receberam garantias de que seus pedidos seriam atendidos.

A partir de 2004, as salas de Jornalismo voltarão a ter 45 alunos – ao contrário dos 48 deste ano. Será implantada também uma comissão para reforma regimental da faculdade. O professor Marco Antônio Araújo deve ser readmitido no segundo semestre deste ano.

Fazia parte do acordo com a fundação que a primeira candidatura anulada, de Mário Vitor Santos e Wellington Andrade, assumisse a coordenadoria. Apesar do clima de armistício, o novo coordenador afiou o discurso: ?Todas as atitudes arcaicas e decrépitas tomadas até aqui não podem voltar a acontecer?, disse Mário Vitor. ?Mas o esforço dos alunos, dos professores e dos administradores enobreceu a faculdade frente à arbitrariedade?, aliviou-se.

Depois de o professor Marcelo Coelho remeter os alunos e colegas ao Egito Antigo, ele abriu sua maleta. Dela, tirou dois objetos verdes de borracha. Eram dois ?sapinhos?. Um era para Mário Vitor Santos. O outro, para o diretor Erasmo de Freitas. Ele aceitou o presente e os alunos comemoraram.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem