Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

PRIMEIRAS EDIçõES > SEQÜESTROS

  Vasconcelo Quadros

Por lgarcia em 29/08/2001 na edição 136


SEQÜESTROS
Flávio Freire

“Filha de Silvio Santos é seqüestrada”, copyright Jornal do Brasil, 22/08/01

“A estudante de administração de empresas Patrícia Abravanel, 23 anos, filha do apresentador de TV Silvio Santos, proprietário do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), foi seqüestrada ontem pela manhã. Um grupo de seis homens invadiu a mansão onde ela mora com o pai, sua mulher Íris, e três irmãs de Patrícia, no bairro do Morumbi, Zona Sul da capital. As polícias civil e militar informaram, no início da noite, que saíram do caso.

Em nota assinada pelo apresentador, Silvio Santos disse ter ?prometido aos responsáveis pelo acontecimento? que não envolveria a polícia e a imprensa no caso. Até o início da noite de ontem, o apresentador conversou somente uma vez por telefone com um dos seqüestradores. O teor da conversa não foi divulgado. Pela manhã, peritos da Superintendência Técnico-Científica do Instituto de Criminalística estiveram no local para tentar encontrar qualquer pista deixada pelos seqüestradores. O capitão da 1? Companhia do 16? Batalhão da PM, Edmilson Miranda, foi um dos policiais que conversou pessoalmente com o empresário. ?Ele está bastante abatido ?, disse.

O Jornal do Brasil publica, desde 1990, quando foi seqüestrado o empresário Roberto Medina, noticiário sobre seqüestros para evitar que a omissão beneficie os criminosos.

A ação – A única testemunha do seqüestro, o vigilante da casa, José Ramos da Silva, contou à polícia detalhes da ação. Ele disse que por volta das 8h, dois homens, disfarçados de carteiros tocaram o interfone, alegando que entregariam uma encomenda à família. Ao deixar a guarita, localizada em frente à casa, Ramos foi dominado. Por um telefone celular, os seqüestradores avisaram outros quatro homens que estavam dentro de um Corsa prata estacionado próximo à mansão.

Segundo o depoimento de Ramos, os homens desceram encapuzados e invadiram a residência. A partir daí, não há informações oficiais. A possibilidade mais provável é a de que Patrícia se aprontava para ir à faculdade – ela estuda na Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) -, quando foi surpreendida pelos seqüestradores. De acordo com colegas de classe, Patrícia sempre estava acompanhada de seguranças. A quadrilha fugiu levando a estudante em um Passat da família. Também foi levado um jipe Cherokee. O Corsa usado na ação foi deixado à porta da garagem de Silvio Santos.

Visitas – Silvio Santos, sua mulher Íris e as filhas do casal permaneceram durante todo o dia em casa. Apenas policiais militares e da Divisão Anti-Seqüestro da Polícia Civil estiveram na casa. As janelas não foram abertas em nenhum momento e alguns parentes foram prestar solidariedade à família, entre eles, Henrique Abravanel, irmão de Silvio, que chegou no meio da tarde. Fabio, um primo de Íris, também compareceu, mas preferiu manter o silêncio.

Por volta das 17h, o empresário abriu uma das portas da mansão e entregou a um assessor a nota que seria divulgada à imprensa. A íntegra da nota é a seguinte: ?Gostaria que vocês me ajudassem neste momento tão aflitivo. Prometi aos responsáveis pelo acontecimento que não envolveria no caso a polícia e a imprensa. A vida da minha filha Patrícia depende da minha palavra empenhada e da colaboração de vocês. Quando este sofrimento terminar, prometo que tudo será revelado pela própria Patrícia (se Deus permitir). Por favor deixem que nós tenhamos um pouco de paz para esperarmos com paciência os próximos dias de angústia e aflição. Que Deus ouça nossas preces e que tudo termine bem?, diz a nota escrita em próprio punho pelo apresentador.”

“PF oferece ajuda para achar Patrícia”, copyright Jornal do Brasil, 23/08/01

“Como a investigação do seqüestro de Patrícia Abravanel, filha do apresentador de televisão e dono do SBT, Silvio Santos, é uma atribuição legal da polícia estadual de São Paulo, a Polícia Federal ainda aguarda uma ordem formal para entrar no caso. O superintendente da Polícia Federal em São Paulo, Itanor Neves Carneiro, telefonou para o secretário de Segurança, Marco Vinicio Petrelluzzi e ao delegado geral da Polícia Civil, Marco Antônio Desgualdo, colocando-se à disposição. Os dois agradeceram, mas responderam que, por enquanto, a polícia paulista é quem cuida do caso.

A pedido de Silvio Santos a polícia se afastou do caso. Nenhuma informação sobre contato dos seqüestradores foi divulgada. Um médico que não se identificou esteve ontem à tarde durante duas horas na mansão do dono do SBT. Ninguém da família saiu da casa, localizada no bairro do Morumbi, Zona Sul da capital. A movimentação se restringiu à visita de alguns amigos da família. Henrique Abravanel, irmão de Silvio, chegou por volta de 17h e disse que não havia novidades sobre o seqüestro de Patrícia. ?Quando houver, a família se pronunciará?, afirmou.

Prontidão – Uma equipe de delegados e agentes federais está de prontidão, aguardando solicitação da polícia paulista para entrar no caso. É basicamente o mesmo grupo que, em abril de 1999, esclareceu o seqüestro do compositor Wellington Camargo, irmão da dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano, mantido em cativeiro por mais de dois meses e libertado depois que a família pagou um resgate de R$ 300 mil.

O coordenador do grupo é o delegado José Pinto de Luna, de 36 anos, há há quatro na Polícia Federal. Luna é lotado em Brasília, atualmente na Polícia Federal de Brasília, onde comanda o núcleo de uma futura divisão de combate a crimes contra o patrimônio. ?Acredito que estamos diante de um seqüestro clássico, com um longo processo de negociações?, disse o delegado a um colega, referindo-se à ousadia dos bandidos, que invadiram a mansão de Silvio Santos para seqüestrar Patrícia.

Na avaliação do delegado Luna, o caso da filha de Silvio Santos é diferente dos seqüestros de desfecho rápido que ocorrem em São Paulo, tendo como alvos empresários de porte médio pelos quais os bandidos pedem resgates em torno de R$ 100 mil. Além de Patrícia, quatro pessoas são mantidas atualmente em cativeiro em São Paulo. A Secretaria de Segurança Pública registrou no primeiro trimestre deste ano 15 seqüestros na capital e 26 na Grande São Paulo. Não houve registro de casos no interior.

Solidariedade – Alguns visitantes que estiveram ontem na casa de Silvio Santos tiveram que se identificar. Cinco mulheres que chegaram juntas entraram direto pelo portão da casa. Alguns só se aproximavam da casa para deixar cartas de solidariedade com o porteiro. Uma delas era de Cintina Maluf, nora do ex-prefeito Paulo Maluf e amiga da família Abravanel. A família também recebeu flores e telegramas.

O seqüestro foi realizado por seis homens, segundo o vigia da casa, José Ramos da Silva. Dois deles, disfarçados de carteiros, se aproximaram da residência dizendo que tinham uma encomenda para entregar. Eles renderam o vigia, entraram na garagem da casa e levaram Patrícia. Deixaram na garagem da casa um carro da marca Corsa. Patrícia foi levada quando entrava em seu carro para ir à faculdade.

No meio da manhã de ontem dois homens, provavelmente policiais, entraram na casa e ficaram cerca de uma hora. Depois, um deles saiu dirigindo o Corsa prata usado pelos seqüestradores. (Colaboraram Fabiana Marinello, da Agência JB, e Flávio Freire)”

 

    
    
                     

Mande-nos seu comentário

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem