Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Venezuela violenta

Por lgarcia em 18/12/2002 na edição 203

TELETIPO

Doze jornalistas que cobriam protestos contra o presidente venezuelano Hugo Chávez ficaram feridos nos dias 3 e 4/12/02. Oito deles foram atacados por chavistas na cidade de Barquisimeto, acusados de "traidores" e de fazerem cobertura tendenciosa. Em Caracas, dois jornalistas foram atingidos por balas de borracha, entre eles José Antonio Dávila, que já ficara seriamente ferido em abril. Dois repórteres da Globovision foram agredidos por manifestantes e pela polícia. O governo recebeu dos Repórteres Sem Fronteiras [6/12/02] um pedido para que autoridades e manifestantes respeitem o trabalho da imprensa.

A Justiça de Paris analisa processo do general turco Hüseyin Kivrikoglu, ex-chefe das Forças Armadas, contra os Repórteres Sem Fronteiras [6/12/02]. O grupo pode ser condenado a pagar 100 mil euros de indenização por incluir a foto do militar como "predador da liberdade de imprensa" em mapa-múndi gigante colocado numa estação de trem parisiense. Houve manifestações na Turquia contra os RSF. A entidade esclarece que a situação do país não melhorou para os jornalistas, apesar do suposto esforço democrático da Turquia para ingressar na União Européia. Repórteres que abordam temas como o poder do exército e a questão curda são perseguidos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem