Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

PRIMEIRAS EDIçõES > TELETIPO

Vitória de Oriana

Por lgarcia em 04/12/2002 na edição 201

TELETIPO

A Justiça francesa negou pedido do Movimento Contra o Racismo e Pela Amizade Entre os Povos (MRAP, sigla em francês) de proibição do livro A raiva e o orgulho, da jornalista italiana Oriana Fallaci. Best seller na Itália, na Alemanha e na França, a obra incitaria o ódio aos muçulmanos. Numa passagem é dito que os islâmicos "se multiplicam como ratos". "As crianças de Alá gastam seu tempo com os traseiros no ar rezando cinco vezes por dia", diz outro trecho. O advogado de Oriana, Gilles Goldnadel, defendeu o livro em nome da liberdade de expressão. "Ela pede o direito de odiar, de declarar guerra aos filhos de Alá", disse o defensor. O livro foi escrito após os ataques terroristas nos EUA, em setembro de 2001, informa a AP [20/11/02].

Foi libertado no Líbano o jornalista Habib Younis, preso por 15 meses por ter colaborado com Israel quando trabalhava para o jornal Al-Hayat, sediado em Londres. A soltura aconteceu poucos dias após a libertação de Toufic Hindy, da milícia cristã Forças Libanesas, preso sob acusação semelhante. Antoine Bassil, que foi para a prisão junto com os dois porque trabalhava para uma estação de TV pró-Israel segue cumprindo pena de 30 meses. Segundo a AP [19/11/02], os três teriam prejudicado as relações entre Líbano e Síria na época da ocupação de uma faixa fronteiriça libanesa por Israel em 2000.

Três fotógrafos que registraram a cena do acidente de carro em que morreram a princesa Diana e o namorado, Dodi Al Fayed, vão a julgamento na França. Jacques Langevin, da agência Sygma, Christian Martinez, da Angeli, e o freelancer Fabrice Chassery estão sendo processados pelo pai de Dodi, Mohamed Al Fayed, por violação das leis de privacidade francesas, ao tirar fotos dos mortos nas ferragens da Mercedes, em 1997. Segundo Vikram Dodd [Guardian, 21/11/02], o juiz retirou acusações contra outros cinco fotógrafos. Langevin, por exemplo, só chegou ao local 15 minutos após a batida e não fazia parte do grupo de paparazzi que perseguia o carro de Diana.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem