Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

Programa nº

>>A fome no mundo
>>Perguntas sem respostas

Por Luciano Martins Costa em 08/07/2008 | comentários

Ouça aqui

Download

A fome no mundo

Ganha espaço no noticiário de hoje a repercussão, durante a cúpula dos países mais ricos, de um estudo do Banco Mundial afirmando que a produção de biocombustíveis forçou um aumento de 75% nos preços mundiais de alimentos nos últimos seis anos.

A fonte da informação era um jornal, o britânico The Guardian, que na sexta-feira havia publicado uma reportagem citando o estudo, que contraria os dados divulgados pelos governos dos Estados Unidos e da Europa.

O jornal circulou entre os jornalistas presentes ao evento. Os jornalistas questionaram autoridades e especialistas, e o estudo acabou se tornando o tema central dos debates.

Assim, uma notícia de jornal acabou influenciando a pauta da cúpula dos países ricos e produziu a repercussão que é amplificada hoje pela imprensa.

Mas nem todos os jornais se preocuparam em destacar os dados contidos no estudo original divulgado por The Guardian.

O estudo do Banco Mundial condena especificamente a produção de combustíveis a partir de milho e sementes oleaginosas, como é feita nos Estados Unidos e na Europa, minimizando os efeitos do etanol fabricado no Brasil a partir da cana-de-açúcar.

Mas apenas o Globo reproduziu a defesa do etanol brasileiro feita pelo secretário-geral da ONU, o coreano Ban Ki-moon.

Segundo a Folha de S. Paulo, a questão brasileira, discutida publicamente pelo presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, é garantir que o biocombustível seja produzido de forma sustentável, ou seja, que não substitui a produção de alimentos nem destrói o patrimônio natural.

A questão será respondida pelo Brasil num seminário internacional marcado para novembro, conforme anunciou o secretário-geral da ONU.

O ponto central do encontro, destacado por toda a imprensa, é o risco de um desastre  de proporções globais, que poderia aumentar a miséria no mundo.

Segundo a FAO, órgão da ONU dedicado à agricultura e alimentação, existem hoje 850 milhões de pessoas submetidas permanentemente à subnutrição.

A crise de alimentos pode aumentar esse contingente de miseráveis em 100 milhões.

Essa é a notícia que pode mudar alguma coisa.

Perguntas sem respostas

Os jornais de hoje seguem acompanhando os efeitos da libertação da ex-senadora colombiana Ingrid Betancourt.

Quase em unanimidade, afirma-se que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Farc – estão com os dias contados.

No entanto, restam ainda muitos fatos a serem esclarecidos na operação de resgate.

Os jornais brasileiros, que enviaram repórteres à Colômbia e acompanham a visita da ex-refém à França, informam que o governo francês teria pago um resgate por ela, mas seu representante foi enganado por um falso emissário das Farc, que ficou com o dinheiro.

Entre os fatos que continuam sem esclarecimento, um dos pontos centrais é o papel dos mediadores estrangeiros nos contatos com os guerrilheiros.

Hoje os jornais informam que o governo da Colômbia acusa um dos mediadores de manter ligações com as Farc e proibiu a continuidade das atividades dos mediadores europeus no país.

A Folha de S.Paulo levanta essas e outras questões, como a possibilidade de a operação de resgate ter tido a participação de militares americanos e israelenses.

O tema ainda está longe de ser esgotado. O trabalho da imprensa no episódio será discutido esta noite pelo Observatório da Imprensa na TV.

Alberto Dines:

– Talvez faltem algumas explicações na  história da libertação de Ingrid Betancourt. De qualquer forma é um episódio extraordinário, candidato a Fato do Ano ou pelo menos Fato do Semestre e cujos efeitos ainda mal divisamos. Hoje à noite no Observatório da Imprensa algumas histórias que a imprensa ainda não contou. À meia noite e dez pela TV-Cultura. Pela TV-Brasil, ao vivo, às 22:40.

Todos os comentários

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem