Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

Programa nº 562

Mauro Malin

>>Contra provocação, isenção
>>Declarações encomendadas

Por Mauro Malin em 11/07/2007 | comentários

Ouça aqui

Download

Contra provocação, isenção


Está embutido nas declarações do senador Renan Calheiros um convite para que a imprensa se envolva numa luta sem quartel e sem princípios em torno de sua punição. A imprensa não deve aceitar esse convite.


Até aqui, nada no noticiário sobre a vida financeira do presidente do Senado extrapolou os limites de denúncias pertinentes, embora não tenha sido provado que a empreiteira Mendes Júnior deu dinheiro para pagar contas de Renan.


O tratamento desse caso com toda a devida isenção será um balizamento importante para a condução de casos futuros, que, ninguém pode ter dúvida, ganharão manchetes.


Olavo Calheiros


Desponta hoje, no Painel da Folha, nota sobre a evolução patrimonial do deputado federal Olavo Calheiros, irmão de Renan.


Declarações encomendadas


A antropóloga Haydée Caruso participou, com a antropóloga Luciane Patrício e o tenente-coronel da Polícia Militar do Rio de Janeiro Antonio Carlos Carballo Blanco, do terceiro debate sobre raízes da violência no Rio de Janeiro, realizado pelo Observatório da Imprensa no fim de junho. A transcrição desse debate será publicada em breve neste site. Haydée Caruso criticou a instrumentalização, pela mídia, de declarações de especialistas universitários.


Haydée:


– Vou falar um pouco da perspectiva de alguém que, de vez em quando, a mídia aciona para falar. A impressão que eu tenho, muitas vezes, é que os “ólogos” todos de plantão, os antropólogos, sociólogos, os psicólogos, enfim, todos os “ólogos” disponíveis, vão florear frases da construção de uma narrativa que o jornalista já tem pronta. Ele precisa justamente daquela frase-chave que fecha a sua matéria.


É óbvio que nós sabemos que o timing da mídia é diferente, que tem um espaço limitado, que os “ólogos” falam demais, dão uma volta, vão lá no início do século para explicar uma coisa, tudo bem. Sei tudo isso. Entretanto, me causa um pouco de inquietude essa idéia de pegar “não, sim, mas eu quero…” E a gente não consegue desenvolver uma idéia.


Um ponto que seria interessante seria explorar melhor as argumentações. Os temas estão colocados. A minha questão é como o tema é trabalhado. Nos jornais de grande circulação, os mais importantes para uma classe média, eu explicito e publiciza demais um recorte da minha cidade. A Zona Sul para a Zona Sul. Reitera-se, através da análise jornalística, uma cidade partida.


Notícias da Grota


O jornalista Zuenir Ventura foi à comunidade da Grota, no Alemão. Como havia acontecido com o repórter do Estadão Bruno Paes Manso, Zuenir ouviu queixas da população. No Globo de hoje, escreve: “Só quem mora num território dominado por um poder tirânico e crudelíssimo sabe como é injusto afirmar, como já ouvi muitas vezes, que a população das favelas, composta em sua maioria de gente honesta, colabora com o tráfico. (….) Não vi ninguém querendo que a polícia trate os bandidos com pétalas de rosa. Gostariam, isso sim, de que ela tivesse mais eficácia na pontaria e na escolha dos alvos. Pode-se imaginar como se sentem ao ver que, entre os cerca de 40 mortos e 70 feridos dessa guerra de mais de dois meses, há parentes e amigos inocentes”.


Zuenir termina sua crônica informando que o chefe do tráfico local, Tota, não só escapou do cerco como montou um “tribunal” para torturar e matar moradores acusados de terem colaborado com a polícia durante a ocupação.


Delegado empresário


A Folha de S. Paulo confirma hoje que o chefe do Departamento de Investigações Criminais, Deic, delegado Youssef Chahin, era sócio de uma empresa de segurança privada, da qual agora se desligou.


Companhia de Habitação


O PSDB de São Paulo, sob o comando de seus governadores, desde Mário Covas até José Serra, passando por Geraldo Alckmin, impede que se instaurem Comissões Parlamentares de Inquérito na Assembléia Legislativa. A que está sendo barrada agora envolve denúncias a respeito da Companhia de Habitação e do trabalho do deputado Mauro Bragato.


Rádio Povo Marcado


Reportagem de José Maria Tomazela no Estadão de hoje divulga a atividade de uma rádio comunitária criada na cadeia feminina de Votorantim, interior paulista. Há três semanas, o arcebispo de Sorocaba, Dom Eduardo Bentes Rodrigues, foi à cadeia dar entrevista na estréia da Rádio Povo Marcado.


Sem classificação


Segundo o noticiário da Folha de hoje, a Rede Globo ganhará a batalha contra a classificação indicativa de programas de televisão.

Todos os comentários

  1. Comentou em 30/05/2008 Luiz Domingos de Luna Domingos

    O Poder
    Luiz Domingos de Luna
    http://www.revistaurora.com

    Força de ação
    Do bem ou do mal
    Ponto temporal
    Sociedade –Ligação

    Da visão conjunta
    O desenvolvimento
    Luz do talento
    Liga que betuma

    Da visão individual
    Dor que atormenta
    A sociedade lamenta
    O cheiro do mal

    Sem o deslumbre
    Compromisso na mão
    Povo, cidade, nação
    Sol, luz, vaga-lume

    Quando o ego se projeta
    Nasce o tirano
    Não existe humano
    Cinza que inquieta

    A sociedade agonizada
    Ferida cambaleante
    A certeza do errante
    Civilização estagnada

    O poder é entre
    Espaço tempo
    Luta a todo O Momento
    Entre, saia, sempre.

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem