Segunda-feira, 18 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

Programa nº 730

>>A guerra nos jornais
>>O governo é bom no caixa

Por Luciano Martins Costa em 05/03/2008 | comentários

Ouça aqui

Download

A guerra nos jornais

O jornal brasileiro que chegou mais perto do conflito no norte da América do Sul foi a Folha de S.Paulo.

E o relato do repórter que chegou ontem à fronteira da Colômbia com a Venezuela não dá conta de grandes movimentações militares na região.

Ele ouviu queixas de comerciantes, consumidores e taxistas, prejudicados com o fechamento da passagem, mas não registrou a presença de militares e carros de combate.

Os entrevistados criticaram os governantes da região por prejudicarem os negócios.

O Estadão, que descreve a situação nas fronteiras a partir de Bogotá, viu coisa diferente. Afirma que ‘tanques e batalhões enviados por Hugo Chávez’ (…) ‘foram se enfileirando no lado venezuelano’.

Ou seja: para os leitores da Folha, é como um dia de fiscalização mais rigorosa na Ponte da Amizade, em Foz do Iguaçu.

Ja os leitores do Estadão vão imaginar que o cenário está mais para a Faixa de Gaza.

Essa é a diferença básica entre o jornalismo testemunhal e o jornalismo das fontes e declarações.

Mérito da Folha.

Mas também é a Folha de S.Paulo o único jornal a dar repercussão à tentativa do PSDB de transferir o conflito para o Congresso Nacional, com uma ‘denúncia’ de que o Brasil teria enviado 31 toneladas de armas para a Venezuela.

A afirmação chegou a provocar a ida do ministro da Defesa ao Congresso, para desmentir a notícia, que foi apanhada por um assessor do senador Arthur Virgílio na internet.

A fonte da denúncia é o estelionatário internacional Keneth Rijock, malandro de baixo quilate que  se tornou ‘consultor de empresas’ depois de haver sido condenado por fraudes e lavagem de dinheiro.

Os outros jornais simplesmente ignoraram o fato, provavelmente para preservar o senador amazonense de um vexame maior.

O Globo segue cobrindo a crise a partir de Brasília, Bogotá, Quito e Caracas.

O Estadão enviou repórter ao hospital do Equador onde estão internadas algumas guerrilheiras feridas no ataque, e por aí ficamos sabendo que o acampamento das Farc em território equatoriano tinha três hectares, com infraestrutura para longas permanências, como criação de galinhas e sistema de telecomunicações.

Na soma do noticiário de hoje, o leitor pode tirar algumas conclusões:

Primeira: o Equador e a Venezuela nunca se preocuparam em limitar a liberdade dos terroristas em seu território.

O comandante Manoel Marulana, líder maior das Farc, hoje em dia está mais para Lampião do que para Che Guevara.

A terceira conclusão é que os governantes fazem o conflito, os comerciantes fazem a paz.

Ou, como dizem os gaúchos: ‘Quem mercadeja não quer peleja’.

O governo é bom no caixa

Os jornais comemoram o crescimento da publicidade em 2007.

Mas não há sinais de volta aos anos dourados.

A internet ainda tem uma fatia pequena do bolo, mas segue em firme crescimento.

Luiz Egypto, editor do Observatório da Imprensa:

– O mercado publicitário brasileiro cresceu 9% em 2007 em comparação com o ano anterior, somando receitas próximas a 20 bilhões de reais. Os números são da Pesquisa Inter-Meios, produzida pelo veículo especializado Meio & Mensagem.

Três pontos chamam a atenção nessa pesquisa:

1) Os jornais impressos, que vinham perdendo verbas publicitárias desde 2000, reagiram em 2007 e aumentaram sua participação no mercado de 15,5% para 16,3%, com receitas de 3,1 bilhões de reais.

2) Embora com peso pequeno no bolo, com ingressos de 526 milhões de reais a internet foi o meio a apresentar o maior crescimento relativo em 2007, com 45,76% de aumento em relação a 2006. A líder em faturamento é a televisão, com quase 60% de participação.

3) O maior anunciante é o governo, que investiu 965 milhões de reais em publicidade em 2007. Durante os cinco primeiros anos de gestão do presidente Lula, a publicidade oficial dirigida às redes Record e Bandeirantes aumentou, respectivamente, 150% e 128%. A da Globo cresceu 58,7%.

O governo nega critérios políticos na distribuição das verbas, mas, o que seria desse mercado sem o governo?

Todos os comentários

  1. Comentou em 10/03/2008 Odracir Silva

    Caro Ivan, o Lula/Marco Aurelio Garcia/ Amorim (q nao sao petistas ‘comuns’) recentemente declararam q as Farcs ee uma organizacao politica, e q se deva negociar. Eles falam claramente q a Farc merece um outro status para uma organizacao em q o governo colombiano consideram como terroristas. Alem do mais, como o Lula e o PT sao fundadores do Foro de Sao Paulo, fica sob suspeicao todo o julgamento de valor do atual gov. petista neste enredo todo. Outra coisa, na boa, se vc diz q nao sabe o q rola pq estaa fora do pais, entao fica meio estranho dar pitacos sobre a politica nacional… Porem, eu acredito q isto ee soo retorica da sua parte, jaa q nao precisa morar no Brasil para saber disso tudo. Toda a info. estaa na internet.

  2. Comentou em 09/03/2008 Ivan Moraes

    (Odracyr: perdao, eu nao moro no Brasil e nao tenho ideia do que isso refere: ‘se o Lula ee leniente aa Farc (como demonstrou qdo falou positivamente sobre ela)’.)

  3. Comentou em 08/03/2008 Odracir Silva

    Bom caro Ivan. O q eu quis dizer. e q vc nao entendeu, ee q o PCC e a FARC nao sao tao diferentes assm. Podem ter origens diferentes, mas no final parece q haa uma convergencia. E se o Lula ee leniente aa Farc (como demonstrou qdo falou positivamente sobre ela), ele poderaa ser leniente ao PCC tb (principalmente se for oposicao). Nao vou misturar o bolsa familia nos comentarios, pq isto nem estaa em discussao no post… parece tergiverzacao. Outra coisa, nao vou entrar nessa de regionalismos, isto nao leva a nada.

  4. Comentou em 07/03/2008 Ivan Moraes

    ‘Ou como vc ee adepto da maxima petista, uma coisa ee uma coisa, outra coisa ee outra coisa?’O artigo nao menciona nem petistas nem cumpanheiros, e consiste de dois assuntos: um menciona o presidente em relacao a verbas no penultimo paragrafo, o outro eh sobre as Farc. Nenhum dos dois menciona PCC ou qualquer tipo de escrita petista sobre as Farc, sobre quem os petistas gostam, sobre como eles vao esmagar os outros partidos nas proximas eleicoes por causa desse tipo de ataque gratis. Meu comentario, por sua vez, notava o ridiculo da populacao do estado que abriga o PCC reclamar das Farc, que por sinal sao 12 mil pessoas: Sao Paulo tem mais criminosos, Sao Paulo continua patetica, e eu nao misturei assuntos confundindo o que eh uma coisa com outra coisa que eh outra coisa, voce o fez. Pergunta: quantos ‘petistas’ dizem que os Farc nao sao criminosos? Resposta: bem menos do que o numero de tucanos que chamam o bolsa familia de ‘bolsa esmola’, que eh mais ou menos o numero de tucanos que vai ser tocado da vida publica na proxima eleicao.

  5. Comentou em 07/03/2008 Odracir Silva

    Caro Ivan, o PCC paulista, aquele das prisoes mesmo. O mesmo PCC q soltou um manifesto politico, escrevendo algumas alegorias de justica social, e q fez atentados politicos (justamente na epoca das eleicoes estaduais). Se vc ver o q os ‘cumpanheiros’ escrevem sobre a Farc, eles dizem q os membros da Farc nao sao criminosos, mas sim uma organizacao revolucionaria. Entao o mesmo raciocinio pode ser empregada ao PCC (jaa q eles demandam uma mudanca social brusca). Ou como vc ee adepto da maxima petista, uma coisa ee uma coisa, outra coisa ee outra coisa? ou seja, soo ee ‘legal’ do pessoal q os petistas gostam.
    Sobre a bomba suja, ee uma bomba atomica mais barata, feita c/ os restos das usinas nucleares. Ee soo dar uma checada no Google, procurar por ‘bomba nuclear suja’.
    abcs, Odracir

  6. Comentou em 05/03/2008 Ivan Moraes

    ‘Sobre o conflito no norte da América Latrina, ouvi, ontem, no JN duas pérolas: ‘alta comissão’ e ‘bomba suja’. Uma ‘alta comissão’ da OEA viria ao centro da discórdia para tentar serenar os ânimos (ou coisa assim)’: ‘alta comissao’ = ataque de cricris. ‘Bomba suja das Farc’ = mentira deslavada. ‘510 milhoes de Chavez aas Farc’ = mentira deslavada. ‘Suporte equatoriano aas Farc’ = mentira deslavada. ‘Suporte de Chavez aas Farc’ = mentira deslavada. ‘Evidencia computadorizada recuperada dos mortos’ = mentira deslavada. Suporte dos EUA = visivel da Lua. ‘OEA nao sanciona Colombia’ = previsivel com 10 anos de antecedencia. Se eu lembrar de mais eu retorno ao assunto…

  7. Comentou em 05/03/2008 Ivan Moraes

    ‘Se continuar assim, daqui a pouco o noss vai presidente vai dizer q o PCC deve ser legalizado…’: qual PCC, o que nasceu de um assassinato em massa dentro de uma prisao, e que ainda celularmente controla o trafico de dentro das prisoes paulistas, estado aonde o causador do massacre foi eleito? Ou outro PCC que nos nao ouvimos falar ainda?

  8. Comentou em 05/03/2008 PAULO CESAR LIMA BASTOS

    Sobre o conflito no norte da América Latrina, ouvi, ontem, no JN duas pérolas: ‘alta comissão’ e ‘bomba suja’.
    Uma ‘alta comissão’ da OEA viria ao centro da discórdia para tentar serenar os ânimos (ou coisa assim).
    As FARCs estariam tentando fabricar uma ‘bomba suja’.
    Aí, pergunto: (a) para que lugares a OEA envia, ao contrário, uma ‘baixa comissão’ e para fazer o quê? (b) o que é, em contraposição, uma ‘bomba limpa’ (seria uma daquelas que o Bush lança sobre os iraquianos?).
    Se alguém souber a resposta sem subterfúgios (prinipalmente os jornalistas que escrevem sobre tudo),- antes, amparado pela lógica do razoável – pode encaminhá-la para o meu e-mail.

  9. Comentou em 05/03/2008 Odracir Silva

    Dois pesos ,duas medidas. Tem todo esse bafafa, mas a verdade ee q na regiao todo mundo invade o quintal de todo mundo. O Brasil jaa invadiu a Venezuela para pegar uns farcs q mataram uns garimpeiros (nao estou muito bem certo se foi isso…), a Venezuela invadiu o Brasil e a Guiana para detonar uns garimpos. E agora a Colombia invadiu o Equador para matar uns farcs. A grande questao ee, as farcs sao terroristas? Se sim, entao a Colombia tinha todo o direito. Se nao, entao tem q se ver o porque da leniencia para as acoes ilegais da Farc, pois do jeito q elas agem, tem cheiro e jeito de terroristas. O impressionante ee a leniencia do nosso executivo em relacao aa Farc, principalmente do presidente da republica brasileiro. Se continuar assim, daqui a pouco o noss vai presidente vai dizer q o PCC deve ser legalizado…

  10. Comentou em 05/03/2008 Eduardo Goulart

    Penso que um país não pode invadir outro usando o argumento surrado da ‘guerra preventiva’ usado por Bush. Portanto a Colômbia está errada nessa questão.
    Agora também tem de se investigar a veracidade dos documentos encontrados com os terroristas mortos pois a verdade sempre deve vir a tona pois é com ela que tomamos nossas posições.
    Por último todos os países latinos devem se comprometer a combater as FARC pois já está provado que esse grupo antes de ser político é criminoso.

  11. Comentou em 05/03/2008 Ivan Moraes

    ‘relato do repórter que chegou ontem à fronteira da Colômbia com a Venezuela não dá conta de grandes movimentações militares na região’: Luciano, quantas interminaveis horas voce acha que ainda vamos esperar ate a inevitavel acusacao ‘BRASIL PROTEGE FARC’ seja gritada na media internacional para que exista ainda mais razao para a invasao da America Central?

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem