Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

Programa nº 351

Mauro Malin

>>Internet muda jornalismo
>>Na Venezuela, crítica é elogio

Por Mauro Malin em 13/09/2006 | comentários

Ouça aqui

Download

Chuva de pesquisas


Chuva de pesquisas de intenção de votos, ausência de análises mais abrangentes do quadro político. É o preço de cobrir as eleições segundo a lógica das campanhas.


Terrorismo pop


O escritor português João Pereira Coutinho critica hoje na Folha a orgia macabra de dor produzida na televisão a título de evocação da tragédia de 11 de setembro de 2001: “Imagens pretensamente épicas, acompanhadas por palavras pretensamente profundas. E, pormenor fundamental, uma forma de consagração pop que transforma um ato criminoso e imperdoável numa encenação operática que deve fazer as delícias de qualquer terrorista”.


Internet muda jornalismo


O editor do Observatório da Imprensa Online, Luiz Egypto, fala da influência crescente da internet no jornalismo, abordada ontem no Colóquio Latino-Americano sobre Observação da Mídia, promovido pelo Observatório da Imprensa com apoio da Fundação Ford e da BBC.


Egypto:


– Em palestra proferida ontem no Colóquio Latino-Americano sobre Observação da Mídia, o jornalista Dan Gillmor, diretor do Centro de Jornalismo Cidadão, apoiado pela Universidade da Califórnia e pela Universidade Harvard, reiterou suas conhecidas posições expressas no blog que mantém e, em especial, no livro We The Media – trabalho este que se consumou a partir de uma forte interação com os leitores. Em resumo, Gillmor defende que o jornalismo não é mais uma via de mão única, como tradicionalmente o compreendíamos. Com o aporte das tecnologias de informação e comunicação, o jornalismo, segundo ele, se transformou num diálogo e agora convive com instrumentos que possibilitam o pleno exercício do chamado jornalismo-cidadão.


O assunto é provocador e suscita boas discussões. O debate que se seguiu à sua fala mostrou muito bem isso. De toda forma, e malgrado as eventuais críticas que se façam ao jornalismo feito por não-jornalistas, uma certeza é inquestionável: a internet mudou radicalmente a prática jornalística. E o melhor da história é que esse processo está apenas começando. É um fenômeno do nosso tempo. Cabe a nós acompanhá-lo. E sobretudo compreendê-lo.


Mauro:


– Os comentadores que fizeram a defesa dos jornalistas profissionais foram William Waack, da Rede Globo, e Alberto Dines, do Observatório da Imprensa.


Na Venezuela, crítica é elogio


A coordenadora do Observatório Geral de Mídia da Venezuela, Mariclen Stelling, relatou ontem no Colóquio a situação surrealista de confrontação de veículos a favor e contra o governo do presidente Hugo Chávez. Ela relata como foi recebido o deslavado desequilíbrio de uma emissora de rádio governista, constatado nas eleições municipais de 2005.


Mariclen:


– Temos também um caso bem interessante para referir, uma estação de rádio do governo saiu muito mal, absolutamente desequilibrada no índice de equilíbrio aplicado pelo Observatório. E o comentamos informalmente, amistosamente com a pessoa que dirige essa emissora de rádio. E essa pessoa respondeu que se sentia na verdade orgulhosa, porque essa era uma emissora que estava apoiando o governo, e esse desequilíbrio expressava o apoio absolutamente emotivo, irracional, acima de qualquer desempenho racional, ao presidente Chávez. O que se pensou que ia causar mal-estar na emissora causou profundo orgulho.



TV digital concentradora


Diogo Moyses e Gustavo Gindre, coordenadores do Intervozes Coletivo Brasileiro de Comunicação Social, denunciam hoje em artigo na Folha a maneira como foi estabelecido o padrão brasileiro de TV digital. Dizem que o governo, ao invés de procurar desconcentrar o mercado, optou por entregar aos atuais radiodifusores todo o novo espaço criado.


Auto-regulamentação capenga


A Folha de S. Paulo apóia em editorial o movimento Beba Cidadania, que defende fortes restrições à publicidade de cerveja, não apenas de bebidas destiladas. Segundo o Beba Cidadania, traços de etanol são detectados em 70% dos laudos cadavéricos de mortes violentas.


Este é mais um caso em que o Código de Brasileiro de Auto-Regulamentação Publicitária falhou. Em seu anexo relativo a cervejas e vinhos, o Código diz que a publicidade não deverá induzir, de qualquer forma, ao consumo abusivo e irresponsável de bebidas alcoólicas. Seria cômico se não fosse trágico.


# # #


Outros tópicos recentes


De Alberto Dines


Estranhamento é o caminho da inovação


Frente ampla contra os jornais de qualidade


Sindicato de Jornalistas vai processar jornalista por crime de opinião


 


 Do blog Em Cima da Mídia


 


PCC pela rama


Mundo digital atropela revistas de História


O suplente de Delcídio


O Globo tornou mais difícil fugir dos debates


CPIs tumultuadoras

Todos os comentários

  1. Comentou em 13/09/2006 Jose de Almeida Bispo

    ‘O que se pensou que ia causar mal-estar na emissora causou profundo orgulho.’ (da intervenção da jornalista Mariclen Stelling no Colóquio). OUTRA: …na sua opinião: O deputado federal tem obrigação de fazer: Arranjar emprego para quem colaborou para sua eleição – 30% Sim; 38% não. Arranjar bolsas de estudo: 49% Sim; apenas 12 não; etc. etc. etc. Revista Carta Capital, p. 24, Ano XIII, Número 410 de 13/09/2006 em publicação a pesquisa do Vox Populi. TUDO BEM! Não começou nem hoje nem ontem, mas tão preocupante quanto a hipocrisia da direitona – PhD em assaltar o Estado das mais variadas formas -, em abusar da história do mensalão é a naturalidade com que torcedores da turma do ‘macacão azul’ a absolve das puladinhas de muro. Aliás, o sinal vermelho apareceu em 06/05/92, quando no primeiro programa da série ‘Você decide’ da Rede Globo, mais de 66% dos assistentes votaram pela malandragem. (Bloco dos honestos, IstoÉ 1.181, 20/05/1992, pp 36-43). ALGUMA COISA está fora(?) da ordem mundial. Também, depois do Tio Sam assaltar o Iraque…

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem