Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

Programa nº 331

Mauro Malin

>>Mídia unida pode exigir pacto contra o terror
>>Genocídio, mais um termo banalizado

Por Mauro Malin em 15/08/2006 | comentários

Ouça aqui

Download

Fidel e Tancredo


Fidel Castro, a respeito de seu próprio destino, é mais realista do que foi a mídia brasileira durante a longa e dolorosa doença de Tancredo Neves.


 


Contra a Transparência


            O PT, em vez de combater a corrupção em suas fileiras, resolveu processar a Transparência Brasil, que pede aos eleitores atenção na hora de decidir seu voto em outubro.


           


Mídia unida pode exigir pacto contra o terror


Alberto Dines diz que a Globo agiu bem, mas a imprensa como um todo perdeu preciosa oportunidade de cobrar dos poderes da República um pacto político contra o terror, ao invés da exploração eleitoreira do problema.


Dines:


– A TV Globo agiu corretamente no episódio do seqüestro de seu repórter e do técnico que o acompanhava. Quem perdeu uma preciosa oportunidade para impor-se perante a sociedade foi a imprensa como um todo, o sistema midiático, o tal do Quarto Poder. As empresas de comunicação estão preocupadas com o vazio de poder e a sua vulnerabilidade nas mãos dos narcoterroristas. Mas empresas de comunicação poderiam ter aproveitado o episódio para manifestar-se candentemente contra a guerrilha dos palanques que está sendo magnificamente aproveitada pelos criminosos. Ontem o ministro Márcio Thomas Bastos reconheceu que o ano eleitoral está prejudicando o combate ao crime. Então, qual deveria ser a reação da instituição jornalística brasileira? Obrigar os partidos, a classe política e todos os governantes a participar de um pacto político contra o terror. Só a mídia pode impô-lo e este é o momento. A colombização do Brasil e o seqüestro dos funcionários da Globo serão discutidos hoje à noite no Observatório da Imprensa. Por causa do horário eleitoral na TV-Cultura às onze e quarenta e na TVE, ao vivo, às dez e cinqüenta.


           


            Propaganda como alma do crime


Em termos clássicos de luta política, o PCC realizou um grande feito de propaganda. Ganhou visibilidade para toda a população brasileira e aumentou seu cacife junto a grupos criminosos da Colômbia e de outros países com os quais se relaciona.


 


            Homens e ratos


            O presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Maurício Azedo, pede uma discussão séria sobre o regime disciplinar diferenciado, que, diz, é inconstitucional e “faz o prisioneiro se sentir um rato”. Arrocho na cadeia não resolve. Controle e isolamento de líderes podem resolver. Mas o que se faz com a corrupção de dentro para fora e de fora para dentro da cadeia?


           


            Orkut topa-tudo


            O Google brasileiro comprou uma briga feia com o Ministério Público, que acusa a empresa de não cumprir seu papel na repressão a pessoas que publicam no Orkut pornografia infantil, neonazismo, incitação a crimes, maus-tratos contra animais, homofobia e intolerância religiosa, entre outras denúncias. A notícia está no Estadão de hoje.


 


            Ratinho no prejuízo


            Será tirado do ar pelo SBT o Programa do Ratinho, informa hoje Daniel Castro, da Folha de S. Paulo. Não por sua natureza de cruel exploração das pessoas incautas que a ele compareciam, mas porque está dando prejuízo à emissora.


 


            Genocídio, mais um termo banalizado


            Andrés Openheimer, colunista do jornal americano Miami Herald nascido na Argentina, se mostra assustado com a maré antiisraelense que constatou na mídia e entre intelectuais latino-americanos. Openheimer diz que o emprego das palavras “holocausto” e “genocídio” a propósito dos ataques de Israel ao Hezbollah, que fizeram muitas vítimas civis no Líbano, é uma perigosa banalização dos termos. Ele transcreve a definição de “genocídio” dada pelo dicionário Webster (“a deliberada e sistemática destruição de um grupo racial, político ou cultural”).


Openheimer cita um manifesto publicado no jornal argentino Página 12 com assinaturas de intelectuais e jornalistas. Ele enxerga leniência diante do bombardeio de populações civis israelenses pelo Hezbollah. E tem razão.


No passado foi subestimado o sofrimento das populações palestina e libanesa. A mídia de massas não é boa conselheira para quem quer entender melhor, com mais profundidade, os problemas. E se preocupa pouco com o uso correto das palavras, entretanto sua ferramenta primária.


Clique aqui para ler o artigo (em inglês) de Andrés Openheimer. Basta cadastrar-se.


# # #


Outros tópicos recentes


De Alberto Dines


Os sinos dobram pelos imparciais


Acima de tudo, a paz


Réquiem para a Era da Informação


 


 Do blog Em Cima da Mídia


“Indulto” é só um dos benefícios, e não é dado agora


Crise do terror é desafio para os jornais


Colunista diz que na TV que sexo é café pequeno


Redutos na sombra


Munição que era do PT agora é do PSOL

Todos os comentários

  1. Comentou em 16/08/2006 cid elias

    Esqueci da maior prova de sua miopia e seletividade. O SENHOR diz ‘EM VEZ DO PT COMBATER A CORRUPÇÃO NAS SUAS FILEIRAS….blablablá..’ e depois , na sua arrogante resposta onde faz ilações o tempo todo, e onde o clímax chega com ‘decisões que valem como sentenças'( desde quando?) e a máxima ‘Delúbio Soares foi expulso do PT’. Que coisa deplorável Mauro. O artigo diz que o PT não combate a corrupção nas suas fileiras e depois o próprio autor ‘desdiz’ o que disse com esta afirmação!!! Tente enganar tucanos paulistas imbecilizados por jornlistas e colunistas partidarizados e que esqueceram de fazer jornalismo, mas COMIGO NÃO, MAURÃO ! Abçs cid

  2. Comentou em 16/08/2006 CID ELIAS

    Já que o senhor se faz de desentendido e afirma verdades absolutas porque são ‘suas’, vamos ao contraditório:1 -Dirceu foi cassado com que provas? Se me provar UMA não mais te incomodarei (e olhe que sou insistente). 2 – Qual decisões para o observador, que tb é expert em direito, quais valem como SENTENÇAS? Meu caro e equilibrado (penso) observador, não diga absurdos como este ‘ontem o PT inteiro foi expulso da propaganda eleitoral pelo Lula…’ . Que falta de ‘tudo’é esta afirmação sua…não sabia que eras também formado em Marketing! Estratégia de campanha é tema que o Maurão domina também? Boca fechada não entra moscas … quer dizer que o Lula expulsou o PT? Poderia nos poupar de tamanha estultice, sr jornalista? Acho que adorastes o artigo da Dora. Sua demagogia é tanta que diz ‘são acusações’, que obviamente serão julgadas, só pela justiça pois o DR Malin já julgou e condenou, francamente… Foi o senhor que intermediou a permuta com o comitê do psdb/pps, o TB? É apenas uma pergunta. E eu não acuso sem pesquisar, lhe dou aula sobre as falcatruas de membros, ‘que se desligaram’ do TB. Eles se desligaram porque o Sr. Abramo não os EXPULSOU como o sr gosta de arrotar com o PT? E domonstro a hora que quiser a tendenciosidade e partidarismo desses tucanos . Como demonstro os temas nos seus artigos de um ano para cá, aliás disse várias vezes, é triste. Ninguém merece.

  3. Comentou em 16/08/2006 Célio Mendes

    Na física a transparência é definida como a capacidade de certos materiais de permitir que a luz os atravesse sem empecilhos (isso não é totalmente verdade pois freqüências do espectro que não nos são visíveis podem ser retidas, dai o famoso efeito estufa) é muito utilizado no jargão popular para definir coisas que todos podem acompanhar, porém existe outros tipos de materiais que não são totalmente opacos mas permitem passar somente parte da luz, esses corpos são chamados translúcidos, creio que com o advento do episódio Kapaz a ONG deveria mudar sua razão social para Translucidez Brasil, ficaria mais honesto.

  4. Comentou em 16/08/2006 Paulo de Tarso Neves Junior

    ‘Mas já houve decisões que equivalem a sentenças: José Dirceu foi cassado’. Me desculpe, Mauro, mas essa sua frase foi no mí­nimo infeliz. Se um julgamento polí­tico desse Congresso equivale a uma sentença então todos os ‘mensaleiros’ são inocentes pois foram absolvidos da mesma forma que Dirceu foi cassado; vou mais além, o ‘mensalão’ seria uma obra de ficção então, senão Roberto Jefferson não teria sido cassado também. Estou tentando entender a defesa quase apaixonada que o OI está fazendo da Transparência Brasil. Como a permanência do Kapaz não interfere na credibilidade da Transparência Brasil? O Sr. acusa o PT de não combater a corrupção em suas fileiras e defende uma ONG que faz a mesma coisa? Particularmente eu acho graví­ssimo uma ONG que se diz apartidá¡ria ter entre seus quadros uma pessoa que faz jantares praticamente para arrecadar fundos para um candidato especí­fico. Não seria sensato também pedir atenção ao leitor na hora de decidir em que ONG confiar?

  5. Comentou em 15/08/2006 Cid elias

    15 Agosto 2006 ACM o bom anfitrião Deputado do PFL suspeito de participar de esquema de fraudes renuncia ao mandato Iolando Lourenço Repórter da Agência Brasil O deputado federal Coriolano Sales (PFL-BA) foi o primeiro parlamentar a renunciar para evitar o processo de cassação, sugerido pelas investigações divulgadas pelo relatório parcial da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas, que encontrou indícios de participação no esquema de compra superfaturada de ambulâncias. Sales é um dos 69 deputados citados pela CPI e concorria a um novo mandato à Câmara dos Deputados. A renúncia é uma forma de o deputado fugir da abertura do processo por quebra de decoro que poderia resultar na cassação do mandato e na perda de parte dos direitos políticos. Isso porque o PV protocolou uma representação ao Conselho de Ética para acelerar a tramitação dos pedidos de abertura de processos de cassação. O deputado entregou a renúncia por carta à Mesa Diretora da Câmara e o documento precisa ser lido no plenário da Casa. Com a renúncia, Coriolano Sales continua como candidato à deputado federal pelo PFL na Bahia. RELEMBRANDO fevereiro de 2003 Coriolano Sales assina ficha de filiação ao PFL no escritório de ACM Autêntico histórico do MDB quer contar com a força do carlismo para o desenvolvimento de Conquista e região sudoeste Através de um pool [interrompido].

  6. Comentou em 15/08/2006 Lucas Garcia

    Mauro, por favor, estou desenvolvendo um trabalho comparativo entre CR´s e Penitenciárias e li uma nota sua do dia 28 último sobre o cancelamento de convênios com algumas ONG´s que administram esses CR´s e também sobre a taxa de reincidência dessas unidades. O que estou precisando é a fonte dessa taxa de reincidência para incluir em meu trabalho. Já tentei junto a SAP mas não obtive sucesso. Desde já agradeço. Abraço

  7. Comentou em 15/08/2006 cid elias

    maurão por que o senhor não pensa antes de dizer uma [ofensa suprimida] destas : ‘O PT em vez de combater a corrupção em suas fileiras vai processar o Transparência Brasil (aquele comitê do psdb/pps que fica transparente só para os inimigos!) De que fileiras estás a falar? Qual membro do pt foi condenado, como o cara pálida, gosta de distorcer tudo vou repetir, CONDENADO pela justiça? PELA JUSTIÇA, não pela imprensa vendida!!! O anti-lulistas maurão ao menos se deu o trabalho de ler os artigos do diretor deste comitê pró-alckmin? E os comentários revelando as facetas e origens SUJAS deste troço chamado TB? Processo Já! E vai haver muitos, muitos outros processos contra este ninho de tucanos e ppssistas ! o CARA PÁLIDA sabidão obviamente concorda com o fato irrelevante do suposto sanguessuga kapaz estar lá, membro ativo e conselheiro, e NAS HORAS VAGAS, arrecadava PROPINAS para a campanha do PSDB/PFL/PPS !!! Acho que fizestes o mesmo que ontem, não lestes, não checastes e dá no que deu…Mas é contra o Lula então pode arrochar!!! Observadores de quinta categoria, prepotentes e oniscientes, só estes tem razão!!! Processo Já! Ong de mentirinha, partidarizada e ninho de corruptos metidos a transparentes! Maurão acha o contrário! Trocar os óculos é recomendado a cada quatro anos ….abçs cid

  8. Comentou em 15/08/2006 Euclides Rodrigues de Moraes

    Sr. Malim, ‘O PT, em vez de combater a corrupção em suas fileiras, resolveu processar a Transparência Brasil, que pede aos eleitores atenção na hora de decidir seu voto em outubro.’ Pelo que o Sr. escreveu, o recurso ao Judiciário, não é a opção correta, adequada e civilizada a quem, de alguma forma, se sente ofendido. Não cabe estabelecer critérios de avaliação do ofensor e do ofendido, se se pleiteia diante do forum adequado, se ofensa houve, no entendimento do julgador, que se puna o ofensor, se não inocente-o. Se essa opção for deixada de lado só nos resta a barbárie da lei do mais forte.

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem