Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

Programa nº 355

Mauro Malin

>>O papel da revista na crise
>>Informações sobre o PT

Por Mauro Malin em 19/09/2006 | comentários

Ouça aqui

Download

Jornalistas de política e fontes


O surgimento do nome de um assessor próximo do presidente Lula no caso da máfia Vedoin deixa a descoberto um velho e conhecido problema da cobertura da política pela imprensa. É a relação entre jornalistas e fontes. Sabe-se muito mais do que se noticia. Jornalista, no exercício da profissão, não tem amigos. Apurou, sem pedido de reserva, tem o dever de publicar. Mesmo que isso o faça perder uma determinada fonte. E se há pedido de reserva em torno de um assunto de interesse público, o jornalista deve procurar saber mais por seus próprios meios, ou repassar o assunto, não necessariamente a informação confidencial, para um colega ou para um editor.


O papel da revista na crise


Alberto Dines anuncia que o papel da revista IstoÉ na crise das denúncias será o tema do programa de hoje do Observatório da Imprensa na televisão.


Dines:


– A campanha eleitoral esquentou de repente, na reta final, e a imprensa tem grande responsabilidade nesta virada. E pelas piores razões. Se uma revista de circulação nacional recusasse a publicação do ‘Dossiê Vedoin’ nada teria acontecido: os sanguessugas teriam apenas faturado mais dois milhões de reais e o caso não viria à tona. Mas apareceu a IstoÉ disposta a divulgar o dossiê ainda que calunioso e ainda que incompleto. A matéria publicada pela revista é uma armação tosca, espécie de trailer feito às pressas para chamar a atenção para a matéria-bomba que seria publicada na semana seguinte, caso o pagamento fosse completado. Como os chantagistas não receberam a bolada, não adiantaram mais informações. Para quem está interessado em conhecer os detalhes e desdobramentos deste episódio que tanto prejudica a imagem da nossa imprensa e da nossa política vale a pena assistir hoje à noite ao Observatório da Imprensa. Às 23:40 pela Rede Cultura e, antes, às 22.50, ao vivo, pela TV-Nacional e a rede da TV-E.


Informações sobre o PT


No noticiário sobre a nova produção da máfia Vedoin fica evidente um cochilo da imprensa: debruçou-se muito pouco sobre a composição e as atividades da Executiva Nacional do PT eleita após a queda de José Genoíno, em julho de 2005. Numa primeira etapa, assumiu Tarso Genro. A insistência de José Dirceu em integrar o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores levou à substituição de Tarso por Ricardo Berzoini. A atual direção petista ainda é hegemonizada pelo grupo que Dirceu liderou desde 1993. No site do PT está a lista dos 974 contribuintes do partido em cargos de confiança do Poder Executivo, atualizada em 3 de maio. Entre eles, o agora notório Freud Godoy. Quem sabe quantas pautas jornalísticas repousam nessa lista nunca antes estudada, ou insuficientemente estudada?


No noticiário da Folha percebe-se outro repositório carente de apuração jornalística: os integrantes das prefeituras petistas.


Leitor de José Dirceu


Continua a circular a versão de que José Dirceu falou em envolvimento do candidato Geraldo Alckmin no caso dos sanguessugas mesmo sem que tenha aparecido qualquer referência a ele na reportagem da IstoÉ. Dirceu diz que apenas reproduziu em seu blog comentário de um leitor. É fato. O nome do leitor está lá.



IstoÉ ama a Polícia Federal


É tanto escândalo que ia passando despercebido o tema de capa da revista IstoÉ na semana passada, mencionado hoje pelo Estadão: a esplendorosa atuação da Polícia Federal. Foi uma reportagem sem um pingo de visão crítica, como se a Polícia Federal fosse o maior reduto brasileiro da lisura e da competência.


Palavras de papa


Como no caso das charges dinarmarquesas do final de 2005, diante das palavras do papa Bento XVI sobre o islamismo é preciso dizer em primeiro lugar que a liberdade de expressão deve ser defendida com unhas, dentes e até armas, se for necessário. Mas daí a não avaliar a responsabilidade que tem um líder como o papa vai uma distância cósmica. Bento XVI deu sua contribuição para atiçar a fogueira de conflitos dos quais nada de bom poderá resultar.


# # #


Outros tópicos recentes


De Alberto Dines


O publico como elemento ativo. E consciente


Estranhamento é o caminho da inovação


Frente ampla contra os jornais de qualidade


 


 Do blog Em Cima da Mídia


 


PCC pela rama


Mundo digital atropela revistas de História


O suplente de Delcídio


O Globo tornou mais difícil fugir dos debates


CPIs tumultuadoras

Todos os comentários

  1. Comentou em 19/09/2006 Noslen Freg

    A responsabilidade jornalistica deve se pautar na ética. Naturalmente, se o autor de um blog divulga um comentário que ofende a ética, torna-se responsável por ele. A desculpa do José Dirceu é inaceitável. Agiu de má fé declarada.

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem