Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

Programa nº 608

>>O umbigo da imprensa
>>Algumas dúvidas

Por Luciano Martins Costa em 13/09/2007 | comentários

Ouça aqui

Download

A imprensa perdeu

Absolvido no primeiro julgamento por falta de decoro parlamentar, Renan Calheiros se torna o inimigo número um da imprensa.

Seu grande crime: impedir o acesso à informação.

Dines:

– Foram duas as agressões: a primeira, escancarada, foi a absolvição do presidente do Congresso, Renan Calheiros que segundo a Polícia Federal cometeu vários ilícitos. A segunda agressão, mais grave, aterradora, pode ser chamada de ‘apagão’ institucional. O Senado da República foi convertido desde a terça feira num verdadeiro porão — fechado, lacrado, blindado ao escrutínio da sociedade, ilha autoritária em plena Praça dos Três Poderes. A varredura eletrônica do plenário, a proibição do uso de computadores pelos senadores, a recomendação para que os celulares fossem desligados e finalmente o pugilato entre os leões-de-chácara e os deputados que foram autorizados pelo STF a assistir ao julgamento desvendam a razão do secretismo da sessão: – impedir a presença da mídia. Renan Calheiros e os cangaceiros de todo o país que o apóiam sabiam que a presença da imprensa seria a única força capaz de impedir a absolvição. Apostaram todas as fichas no sigilo. Não se importavam em agredir a sociedade, só não queriam testemunhas. Os malfeitores trabalharam no escuro, eles têm prática, ganharam o primeiro round. Nos próximos, será diferente — terão que ser travados às claras.

Vitória do Senado

O Senado Federal disse claramente à sociedade que não considera haver provas suficientes para cassar o mandato do seu presidente por falta de decoro parlamentar.

Tecnicamente, o julgamento foi perfeito.

Segundo o senador Francisco Dornelles, do PP do Rio, ex-secretário da Receita Federal, não há provas nem mesmo de crime tributário contra Renan Calheiros no caso do pagamento de pensão à sua ex-namorada, Mônica Veloso.

Dornelles não escondeu seu voto. Pelo contrário: mandou sua assessoria distribuir um comunicado relatando sua intervenção em defesa de Renan durante a sessão secreta.



O argumento do ex-secretário da Receita Federal pesou no julgamento, dando aos indecisos um argumento técnico para a abstenção ou para o voto na presunção de inocência.

Mas apenas o Estado de S.Paulo deu atenção ao detalhe, que poderia mudar as opiniões sobre a decisão do Senado.

Ao escolher a decisão técnica, contra a pressão absoluta da imprensa, o Senado sai vencedor.

Derrota do Senado

A Folha de S.Paulo publica entrevista do senador petista Aloizio Mercadante, na qual ele cita o parecer de Dornelles para justificar sua abstenção.

Mercadante afirma que, ao se dar conta de que tecnicamente não havia como condenar Renan, apresentou requerimento para adiar a sessão, mas foi derrotado no encaminhamento.

Segundo Mercadante, até mesmo o senador Eduardo Suplicy se convenceu, com a explicação do ex-secretário da Receita, de que Renan não havia atentado contra o decoro parlamentar no caso específico em que estava sendo acusado.

Mas o julgamento de Renan Calheiros também é político.

A considerar a reação unânime da imprensa, o Senado foi condenado ao absolver seu presidente.

O umbigo da imprensa

Os jornais de hoje estampam o conflito que se estabeleceu entre o poder legislativo da República e o informal, mas concreto, poder da mídia.

O Senado ignorou a pressão unânime da imprensa.

Resta à imprensa explicar aos seus leitores o que realmente aconteceu.

Mas esse serviço não é prestado nas edições de hoje.

Aposta errada

Não basta, como faz a Folha de S.Paulo, dizer que alguns senadores mentiram ao anunciar que votariam pela cassação e optando depois pelo voto a favor de Renan ou pela abstenção.

Com base nas declarações de intenção de voto, a Folha havia apostado na cassação por 41 a 37.

O imenso umbigo do jornal o impede de admitir que os senadores possam simplesmente ter mudado de idéia, diante do argumento de um especialista de que não havia provas para tirar o mandato de Renan Calheiros.

O Globo chama os senadores de covardes. Um de seus colunistas chega a afirmar que o Senado Federal acaba de cometer suicídio coletivo.



Considerando-se que os parlamentares precisam da opinião pública a seu favor, pode-se imaginar o contrário, ou seja, que os senadores foram corajosos ao afrontar a vontade unânime da mídia, correndo o risco de serem execrados na póxima eleição.

Hora de investigar

Renan ainda terá de responder a pelo menos duas outras acusações.

Antes disso, certamente o Senado terá mudado as regras, impedindo que se repita a sessão secreta que produziu cenas de luta-livre na porta do plenário, entre seguranças e deputados.

Está mais do que na hora de a imprensa retomar seu verdadeiro papel, o de informar a opinião pública.

É preciso investigar a vida de Renan Calheiros.

Mas também seria útil conhecer melhor os senadores que ele ameaçou ontem durante os debates.

A sociedade precisa saber, afinal, o que esses parlamentares têm a esconder.

Algumas dúvidas

A absolvição de Renan Calheiros, no julgamento específico sobre a origem do dinheiro que paga a pensão da ex-namorada e sua filha, cria um momento único para a análise da imprensa.

A imprensa não pode descartar a hipótese de que o Senado tenha votado conscientemente contra a cassação, por não haver provas de que ele tenha usado dinheiro da empreiteira para cobrir as despesas.

Também não é absoluta a afirmação de que a votação tenha sido resultado apenas de manobras do governo. Afinal, segundo o Globo, pelo menos cinco senadores do Partido Democratas e três do PSDB teriam votado a favor de Renan.

E não consta que esses dois partidos tenham qualquer afinidade com os interesses do governo.

Além disso, a julgar pelo clima de guerra que se estabeleceu após o julgamento, com a oposição decidida a bloquear a votação da CPMF, o Exefutivo pode sair perdendo com a absolvição de Renan.

Não basta fazer afirmações para que a verdade apareça.

O clamor público

A Ordem dos Advogados do Brasil distribuiu nota à imprensa para protestar contra o resultado do julgamento.

O presidente da OAB, Cezar Britto, disse à Folha de S.Paulo

que o resultado da votação, na contramão do clamor público, distancia ainda mais o Senado da sociedade.

O jornal não lhe perguntou se, em qualquer caso de clamor público, os advogados deveriam ser dispensados da defesa, já que a condenação, no seu entender, seria automática.

O Senado ignorou o clamor público. Cada senador votou conforme sua vontade, entre as pressões da imprensa e do governo.

O Estadão lembra que Renan Calheiros ainda vai ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

Ele é alvo do inquérito policial número 2.593, acusado de corrupção, uso de notas frias e enriquecimento ilícito.

Mais uma oportunidade para uma justiça que satisfaça a imprensa e o clamor público.

Todos os comentários

  1. Comentou em 17/09/2007 Michel Santana

    Bom, eu acredito que toda ação tem reação e que há um equilíbrio em tudo. Se olharmos bem perceberemos que a Imprensa ultimamente tem conseguido façanhas no legislativo, como foi o caso das fotos de Stuckart, do O Globo. Estava na hora do legislativo dá uma em nós também, e creio que essa sesssão secreta que ocorreu foi o contra peso da balança. Não adianta chorar, a Imprensa não é Deus, não pode estar em todos os lugares a todos os momentos.

  2. Comentou em 14/09/2007 Marcio Mendes

    Vejo aqui muita gente indignada clamando e dizendo que estão envergonhados, que o Renan Calheiros é corrupto e etc…Agora prestem bem atneção: A Ana Maria Braga da Globo ganha R$ 1.200.000,00, o Faustão ganha R$ 1.300.000,00 e o casal Bonner do Jornal nacional ganham juntos R$ 500.000,00. Sabe quem paga os salários deles ? SOMOS NÓS SIM. Por que se os programas ‘de alto nível’ destas pessoas não tivesse audiência, vocês acham que as Casas Bahia iam gastar quase R$ 300 milhões de publicidade por ano nas televisões ? E É VOCÊ SIM QUEM PAGA QUANDO VAI COMPRAR UM TELEVISOR, UM SHAMPOO, UM ALIMENTO, ETC.. Ou você acha que os custos de publicidade não entram nos custos do produto final ? Acorde para esta realidade vergonhosa. O quanto você ganha hoje ? Pois bem, a totalidade dos salários destes apresentadores atinge quase 8.000 salários mínimos por mês. Corresponde ao salário de 8.000 brasileiros. Entenderam ? isto sim é que é vergonhoso para o nosso país. O salário mensal de 4 pessoas daria para construir 215 casas populares de R$ 14.000 cada. Pense um pouco. E não pense que aquela história de ‘bem, os salários deles não são pagos pelo Governo’ [e verdadeira. É muito pior. Pois somos nós que pagamos o salário deles, MESMO SEM ASSITIR AO PROGRAMA. Pensem bem. Isto sim é uma pouca vergonha.

  3. Comentou em 14/09/2007 italo dueck

    Para que Senado se ninguém respeita suas decisões, ou seria mais Institucional seguir as repercussões que condenam ao invéz do processo legal? O fim do Senado seria uma economia gigantesca, um castigo politico da sociedade e um exemplo para a Câmara.

  4. Comentou em 14/09/2007 ney candia

    sinceramente quem perdeu foi o povo brasileiro… triste pais o nosso

  5. Comentou em 14/09/2007 João Pequeno

    A imprensa em sua função não foi derrotada coisa nenhuma. A imprensa fez a parte dela. Aurou, como disse utra pessoa abaixo ‘vendas frias,de declarações de rendimentos fajutos,da apuração de um patrimônio incompatível com o salário de parlamentar,a descoberta da compra de um jornal em Alagoas,com pagamento em espécie,para não deixar pistas’. Durante a votação, Ricardo Noblat conseguiu, através de um informante, furar a ridícula sessão secreta. A democracia e a transparência, das quais a imprensa é peça fundamental, é que foram golpeadas por este tipo de procedimento forçado por renan calheiros. Golpeadas, mas não derrotadas.

  6. Comentou em 14/09/2007 Antonio carlos Silva

    Quanta ignorancia, preconceito e intolerancia dos senhores oswaldo capuchino e ivan berger, realmente na democracia plena em que vivemos teremos que aturar explanacões de figuras deploráveis como estas .

  7. Comentou em 14/09/2007 rene bastos baptista

    A nova ética

    Primeiro, o procurador-geral da República enumerou os quarenta supostos mensalafrários, o que mereceu unânime endosso do STF. O Senado, para não ficar por baixo, dedurou seus quarenta renans. Ainda bem que o presidente Lula não pensa em nomear mais três ministros, pois ainda há quem acredite que ele seja o grande beneficiário e magnífico reitor dessa grande pornochanchada.

  8. Comentou em 13/09/2007 Ivan Moraes

    ‘Estadão lembra que Renan Calheiros ainda vai ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal’: se o Estadao esta querendo desesperar a populacao porque nao tenta advinhar qual sera o aumento de salario do STF pra que eles se dignem a jogar o processo 2.593 no lixo?

  9. Comentou em 13/09/2007 Márcio barcelos

    Perfeito. Ainda não tinha visto uma análise tão lúcida de toda a situação.

  10. Comentou em 13/09/2007 Francisco Ferraz

    Finalmente, algumas (poucas) vozes lúcidas podem ser ouvidas em meio ao macarthismo histérico que caracterizou a grande imprensa e entidades como a OAB. Como lembrou Luiz Nassif em seu blog, foram vários destes atuais ícones da probidade administrativa e do respeito aos valores democráticos (como Arthur ‘caixa dois é normal’ Virgílio e outros de grife tucano-demo-pefelê) que, em 2001, rejeitaram no Senado o projeto do senador do PT do Acre, de obrigar o voto secreto em caso de cassação. Naquele momento, era para salvar amigos, agora é pega-mata-esfola… A venezuelização de nossa imprensa é flagrante. Querem substituir os militares da época da guerra fria no golpismo. Editoriais sugerindo que a vida seria melhor sem o Congresso começam a ser freqüentes, Sentimentos demofóbicos e democraticidas são expostos sem o menor rubor, como se fosse indignação moral. Vale lembrar que na Alemanha de Weimar, o fascismo começou como expressão de indignação moral de setores amedrontados com a ascensão política das esquerdas (Cf. Barrignton Moore Jr., ‘Injustiça: as bases sociais da obediência e da revolta’.ed. Brasiliense). Antigamente, as faculdades de jornalismo ensinavam o caso da Escola Base como paradigma de mau jornalismo. Hoje em dia, basta abrir qualquer jornal ou assistir telejornais nos dois últimos anos, para pegar exemplos de ‘testes de hipóteses’ à revelia da verdade factual.

  11. Comentou em 13/09/2007 ubirajara sousa

    Ué, cadê o meu texto? Foi censurado? Por quê? Nem acredito que a censura tenha retornado a este OI. Vou esperar mais um pouco.

  12. Comentou em 13/09/2007 Fernando Trindade

    Parabéns Luciano. Seu artigo é um verdadeiro observatório da Imprensa. Em temo, até o nosso vetusto Carlos Chagas formou convicção de que a grande mídia atuou (e continua atuando) como um partido político nesse episódio. A tese do Wanderley Guilherme cada vez mais se confirma. At. Fernando Trindade

  13. Comentou em 13/09/2007 Ivanilson Alves

    Belo Texto deu uma aula de explicação ao dINES.

    Esse dines é uma Piada de mau gosto.

  14. Comentou em 13/09/2007 Edriz Ribeiro de Melo Ribeiro

    Associado ás complexidades dominantes do ser humano está a capacidade de desenvolver o poder dominante, que não respeita a ética e a moral de sua própria sociedade. É esse poder dominante que permeia no Senado brasileiro, onde estamos vendo e assistindo a maioria dos senhores Senadores sombando e axaqualhando o povo ordeiro dessa linda nação. Como cidadão brasileiro me envergonho de dizer que sou um eleitor, vejo que não vale mais apena se dirigir á uma Urna Eleitoral para exercer a cidadania de eleitor, porque a maioria desses políticos nos envergonha. O Senado brasileiro perdeu a grande chance de mostar não só ao povo brasileiro, mais também ao mundo que nesta nação existe ética e moral na política brasileiros. Mas, meus leitores, ainda me resta a esperança de que esse povo ordeiro que está sendo humilhado a axaqualhado no momento certo e na hora certa dará a resposta para eles. Hoje a nação amanheceu manchada de vergonha, mas amanha (2008), a honra deste povo será lavada com seu próprio punho. Coragem povo brasileiro, coragem, a honra, a moral e ética ainda está do nosso lado.

  15. Comentou em 13/09/2007 Itamar Fernandes de Almeida Fernandes

    Renan. O seu tempo acabou…

  16. Comentou em 13/09/2007 Jose de Almeida Bispo

    A Imprensa, não!
    Quem perdeu foram os abutres que se apropriaram da imprensa para criar um governo paralelo; um partido de voz única onde apenas pistoleiros intelectuais são pagos a peso de ouro para detonar com os outros e a notícia é uma mera mercadoria.
    Quem perdeu foram os golpistas de sempre que, como é de praxe, selecionaram o senador garanhão da vez para o abate, enquanto esqueceram completamente o ex-senador e ex-presidente garanhão de tempos anteriores.
    Quem perdeu foram aqueles que se acham o quarto Poder da República mas ignoraram que, mesmo entre os três poderes formais, a Constituição prevê a harmonia e a não intervenção ou supressão dos demais por um único. (que o dito quarto poder defendeu vergonhosamente a unhas e dentes neste episódio)
    Perdeu aqueles que se acharam acima do Olimpo, quiçá até do próprio Zeus.
    Perdeu aqueles que por sua arrogância professam a fé de que ‘se quero, eu posso; se posso, eu faço!’
    Que vergonha! Defendendo abertamente a ditadura. E ainda dizem ter sidos (apenas) os militares os ‘golpistas de 64’!

  17. Comentou em 13/09/2007 Richard Liebscher

    O problema é ‘eleição’. Nossa elite, dona da mídia, está apavorada, e horrorizada, com a possibilidade de o Povo gostar de votar de acordo com seu desejo, seu sentimento, sua simpatia. Já pensou? Governos populares, voltados para o Povo e para o desenvolvimento do país e não para as classes abastadas? QUE HORROR GRITA A ELITE! Um semi-analfabeto Governa melhor que meus escolhidos phd´s!Ou então: SOCORRO! Não ganho mais dinheiro com a instabilidade econômica! Mais: minha fortuna em dólares encolheu 50%!
    Por isso estou tendo orgasmos múltiplos com essa DERROTA da mídia, que de responsável não tem nada, que só olha para o próprio umbigo e rejeita qualquer punição para suas irresponsabilidades. Não importa mais se um fato é verdade, o que importa é prejudicar o Brasil. Isso tem que acabar e os responsáveis têm que receber a justa punição. Ninguém pode mentir, difamar, destroçar uma pessoa e depois, descoberta a verdade, nem desculpas pedir. A editora abril, segundo a mídia, fez negócios fraudulentos e não quer deixar o Congresso investigar. Porque? CPI DA MÍDIA JÁ! Se o Renan é culpado ou inocente o STF vai julgar, a mídia não é tribunal, NÃO TEM PODER! Existe para contar o fato real, a verdade e informar o Povo, e não para enganá-lo. Se a elite quer mudar as regras, que siga a Constituição, a Lei. A Lei existe e é para todos. VIVAS AO SENADO QUE NÃO ACEITOU A FACA NO PESCOÇO!

  18. Comentou em 13/09/2007 Luciano Prado

    As derrotas da imprensa estão ficando corriqueiras. A credibilidade, já havia perdido. Resta apenas o ‘partido político, ‘impresso e televisionado’. Bastando formalizar o fato junto a justiça eleitoral e particibar abertamente das próximas eleições.

  19. Comentou em 13/09/2007 Jose sebastião simões Simões

    Alô Imprensa;
    Como não votei em voces para serem meus representantes, não os considero representantes de meus interesses.
    Contudo, gostaria que se mantivessem alertas quanto aos Poderes constituídos, pois acredito, sinceramente, que uma Imprensa livre e insenta, não é só necessário, como também muito importante em um regime democrático.
    Mas infelizmente o que estamos presenciando, é uma luta escarniçada pelo poder. Um Executivo, que volta e meia fica sob a ameaça da mídia. Um Judiciário que decide com a ‘corda no pescoço’. Um Legislativo que não dá satisfação à imprensa. Uma imprensa que não sendo um poder constitucional, julga-se defensora do interesse público, informando/deformando, e manipulando a nós pobres mortais.
    Estamos realmente vivendo novos tempos, onde o legal, se confunde com o informal, o real com o virtual, e no meio desta ‘zorra total’, os que se julgam guardiães da liberdade de imprensa, da liberdade de expressão, e dos direitos de opinião.
    Em nome de tantos direitos, pergunto onde estará o direito de não ser manipulado. De ser simplesmente informado sem precisar assistir esta ganância pelo poder.
    Não necessito de respostas a estas minhas colocações , apenas gostaria de lembrar-lhes que nesta luta, não haverá vencidos nem vencedores. Todos seremos troféus.
    Até breve.
    Atenciosamente,
    J. Simões

  20. Comentou em 13/09/2007 ari duarte

    chega de RENAN chega de mentiras chega de imundicies dá nojo ouvir ou ler justificativas sobre a criminosa absolvição desse cidadão(?) é nessas horas que uma revolta grita dentro da gente e nasce aquela vontade de ver todos, sem salvar ninguem desse governo atras das grades, de preferencia bem longe do Brasil. o povo brasileiro não merece afrontas desse gênero

  21. Comentou em 13/09/2007 CyberZé J.Ronaldo

    SR. Luciano: Em que pese sua lucidez e equilíbrio na análise dos fatos, quero ressaltar alguns pontos que, na minha opinião, passaram batidos:
    a) Não há que se falar em ‘clamor popular’. Diretas Já. Fora Collor. Isto foi clamor popular! O que se tem agora é uma coincidencia infernal de interesses políticos entre os que detêm o controle da mídia e os que já detiveram o poder e que agora instrumentalizam de tudo para forjar situações. Popular é o que vem do povo. Esta guerrinha é de cachorro grande.
    b) Numa guerra legítima pelo menos um dos contendores se apega aos melhores valores. Não é o que se vê. O que se vê é o roto x esfarrapado. Que legitimidade tem uma mídia que recorre aos piores expedientes. Às práticas mais rasteiras, como se viu recentemente. Ainda nos tentam convencer que os fins justificam os meios!

    Os dois lados se merecem. ***

    Saudações
    *** diga-se de passagem que a maior parte do congresso é dono ou afiliado de alguma grande corporação de mídia.
    Que ‘POVO’ é esse???
    Fale sério!!!

  22. Comentou em 13/09/2007 carlos cavalcanti

    Em todo jogo o placard se faz em treis situações… Empate,derrota e vitória e é aceita mesmo à contra gosto… Assisto a tv senado e os derrotados do Dem e PSDB não aceitam o resultado,não importa que o voto foi secreto,foi por assim assegurar a constituição…. O que envergonha a nação não é o resultado e sim a oposição que se arvora de democrata não aceitar e em conjunto com essa mídia elitista distorcer os fatos e dizer que o resultado envergonha o pais… O povo não é mais influênciado por esses formadores de opinião que apenas querem não so a presidência do senado como a presidência da república… Zé Agripino,Mão Santa,Tarso Jeressati,Arthur virgilho e outros que julgam-se os donos da verdade, vão receber o troco nas próximas eleições… Vamos da a resposta que eles merecem.

  23. Comentou em 13/09/2007 Jose Matos Matos

    Parabéns!Artgo bastante esclarecedor.Não sei se o senador é culpado ou inocente nessas acusações. Só sei o que não vale é a Mídia, condenar e julgar ao mesmo tempo, sem o direito ao contraditório por parte do acusado.
    A imprensa esta raivosa por que e a terceira grande derrota que sofre-Mensalão para derrubar o governo, Acidente da Tam e agora o caso Renan

  24. Comentou em 13/09/2007 antonio nogueira nogueira

    Os senadores de oposição, que perderam a disputa contra a cassação de Renan, precisam entender que a democracia é isto. Eles falam tanto em democracia, mais não colocam em prática o que falam. Para eles oposição a democracia só valem quando eles oposição vencem, quando perdem, não aceitam, por tando a oposição apostam no quanto pior melhor para eles, oposição.

  25. Comentou em 13/09/2007 shirley toshico rodrigues da costa

    È com indignidade que vimos a abolvição de Renan Calheiros. è preciso que o povo brasileiro tenha mais consciência na hora de votar. Os políticos passaram os últimos anos apenas julgando CPIs sobre corrupções deles mesmos. Não estamos mais suportando essa indiferença do governo federal. Todo mundo enxerga as falcatruas de Renan e de muitos outros, só o presidente é que é cego e não vê. Os outros que ficaram a seu favor, estão com certeza levando muita vantagem com isso. Alguém tem que fazer alguma coisa contra essa robalheira em Brasília.

  26. Comentou em 13/09/2007 zuleica eckhardt

    vamos esperar pra ver o quevai dar, não podemos esquecer esse julgamento vamos falar até acontecer o segundo e com ele a certeza que se fará JUSTIÇA

  27. Comentou em 13/09/2007 Reniére Oliveira

    Que país é esse? Que falta de vergonha! estamos realmente entregues as baratas,
    ou seja, aos políticos sem vergonha, corruptos, ratos de esgotos. Não podemos mais aceitar essa bandidagem, temos que dar um basta nisso.
    Gente, eles estao tirando sarro de nossa cara, ou melhor, estão substimando-nos, isso não podemos mais aceitar essa falta de vergonha, desses crapulas, vampiros, que falam em moral, quem são eles pra falar em moral. São um bando de ladrões, desviam dinheiro de projetos sociais, merenda escolar, eles estão acabando com nosso BRASIL. São imunem ao julgamento do povo, fazem votação de corruptos em sessão SECRETA, por quê secreta? se foram eleitos pelo voto do povo, isso é uma vergonha! e nós ficamos assistindo tudo de braços cruzados, temos que fazer algo, isso não pode continuar desse jeito, VAMOS FECHAR O CONGRESSO, expulsar esse bando de LADRÕES, ESSES POLÍTICOS TEM QUE SER JULGADOS PELA LEI DA FILIPINAS, ONDE OS CORRUPTOS SÃO CONDENADOS A PRISÃO PERPETUA, OU A MORTE.

  28. Comentou em 13/09/2007 Samuel Firmo

    Olá!
    Midia tão safada e bandida só merece ser desmoralizada. Entre essa Mídia e o Senado, mesmo com todos os problemas: VIVA O SENADO!

  29. Comentou em 13/09/2007 Rogério Ferraz Alencar

    É bom quando se evidencia o que a imprensa não quer admitir: a imprensa foi derrotada. Mas ela não se conformará, como não se conformou até agora com a reeleição de Lula, outra derrota acachapante da imprensa. As derrotas foram tão ‘inesperadas’ que Alberto Dines parece ter perdido o juízo, a ponto de considerar que a absolvição de alguém que que teria cometido vários ilícitos é menos grave do que impedir a imprensa de ter acompanhado a sessão de absolvição.

  30. Comentou em 13/09/2007 Paulo Andrade

    Não quero e nem vou defender o resultado da votação no senado, mas vou defender o processo.
    Acho que o Sr. Dines prefere o AI 5.
    Esses mesmos senadores que agora queriam o voto aberto, tiveram chance de tê-lo e naquele momento não lhes interessava e votaram contra.
    Ser democrático não é tão fácil como comentar notícias.
    Em que votação ou pesquisa se baseiam os os inquisidores do Senador Renan para saber o que a opinião pública diz?, baseiam-se sim no que a mídia propaga, baseiam-se em sua opiniões e negam-se a aceitar um fato.
    Tudo o que está sendo criticado, já era do conhecimento de todos e querer mudar as regras na hora do jogo e da maneira que lhe apraz é ditadura.
    Esta terceira derrota imposta à essa mídia que se acha importante, já deveria ser o bastante para que ela assuma o seu papel, que se não é indispensável, não pode querer impor a sua verdade que agrada à minoria em detrimento de milhões.

  31. Comentou em 13/09/2007 Manuel Bulcão

    Muito bom o texto. Realmente, era só o que faltava: ‘in dubio pro media’. O mais interessante é que são os piolhos de Hayek, esses que alardeiam ‘os perigos da democracia’ e combatem o ‘despotismo da maioria’, os que, agora, mais esguicham a voz na defesa do clamor público. Na verdade, clamor dos papagaios da mídia oligopolista.

  32. Comentou em 13/09/2007 Luiz carlos Oliveira

    O senado, calou a imprensa brasileira. Mas está na hora de dar á volta por cima.invertiguem,joguem as sujeiras desse políticos no ventilador.

  33. Comentou em 13/09/2007 José Hilton Holanda

    Parabéns pelos comentários. Aliás, se pudesse faria minhas as suas palavras, visto que cheguei a usar quase as mesmas ontem à noite em festa de aniversário de familiar. O que me chamou a atenção, porém, foi o fato do Sr. fazer parte da Cultura Am, de S. Paulo. E pode falar a verdade, sendo funcionário de empresa paulista?

  34. Comentou em 13/09/2007 marcos marques

    que monte de merda são estes senadores, como pode livra um sujeito desse que desde a época do presidente color viver aproveitando do povo simples de seu estado. ou ele acha que esquecemos da republica de alagoas, aquela corja que só aproveitava neste país onde que esta no poder pensa só em roubar. será que estes anjos (senadores) todos eles, porque se fossem boa gente teriam condenado calheiros, vou continuar ubestimando nossa inteligencia. cambada de bandidos. estou escrevendo isto mas nem sei de que forma porque minha vontade era de acabar com este senado nojento.

  35. Comentou em 13/09/2007 Clovis Vonghon

    Mais uma vez, quem fica com cara de babaca é o povo. O povo que é saqueado por uma classe política execrável. Ao ver a defesa ferrenha de sua excrecência o Presidente do Senado, imagino o tamanho dos benefícios que lhe cabem ao mantê-lo no poder. Pobre Brasil!

  36. Comentou em 13/09/2007 Angélica Matos

    Quantas vezes ainda o povo terá que provar que os interesses da imprensa não é o “clamor público”????? Pelo visto, a imprensa decidiu que os julgamentos dos casos de maior interesse público serão feitos por ela. Ao STF caberá apenas confirmar o veredicto divulgado em seus veículos. E ai do Supremo se ousar discordar das decisões da mídia!!!!

  37. Comentou em 13/09/2007 Carla Coimbra

    Sou a favor da verdade e na verdade, como não perceber a o pré julgamento da mídia.Não acredito nas boas intenções de ninguém.Muito menos desta imprensa golpista.O problema não é Renan e sim o aliado do governo e sua ex-amante ambiciosa.
    Gostei da derrota da imprensa e seu falso moralismo.Porque não se investigar todos os políticos.

  38. Comentou em 13/09/2007 LUIS goncalves

    CARO JORNALISTA. O SENADOR CALHEIROS É O PECUARISTA MAIS BEM SUCEDIDO DESTE PAÍS. COM 1500 CABEÇAS DE GADO CONSEGUIU MANTER PENSÃO ALIMENTÍCIA DE R$ 12.000,00 MENSAIS A BELA MONICA – POIS BEM, OS PECUARISTAS GAÚCHOS ENCONTRAM-SE HUMILHADOS DIANTE DA PRODUTIVIDADE DA FAZENDA DE CALHEIROS. AQUI NO SUL QUEM TEM 1500 CABEÇAS MAL CONSEGUE SOBREVIVER. CALHEIROS, AO CONTRÁRIO, OBTEVE LUCRO MILIONÁRIO. ISSO PQ O GADO DO DR RENAN JÁ NASCE ADULTO, GORDO E PRONTO PARA O ABATE, ALÉM DE COMERCIALIZAR O BOI EM PÉ POR PREÇO DE SUPERMERCADO. EXIGIR NOTA FRIA, PROVAS ? O QUE É NOTÓRIO NÃO NECESSITA DE PROVAS. QUALQUER NEÓFITO EM PECUÁRIA SABE QUE É IMPOSSÍVEL AUFERIR OS GANHOS QUE RENAN OBTEVE, COM AQUELE MISERÊ DE BOIS. SIM, CARO JORNALISTA, POR ESTAS BANDAS, POSSUIR 1500 CABEÇAS É COISA DE PECUARISTA MIÚDO. EXIGEM PROVAS, POIS DETERMINEM UMA PERÍCIA A CARGO DE ALGUM TÉCNICO AGROPECUÁRIO. NÃO PRECISAM NOTAS FRIAS. MAS NOTE, JORNALISTA, RENAN NÃO SE DESFEZ DE NENHUMA MATRIZ E DE NENHUM BEZERRO. SÓ DE BOI GORDO. EM UM PLANTEL DE 1500 CABEÇAS SE PODERÁ ABATER NO MÁXIMO 350 POR ANO E ISSO, BOI EM PÉ, NÃO RENDE QUASE NADA. FOI ESQUECIDO O CUSTO DO REBANHO, OU O REBANHO DO RENAN SÓ DA LUCRO E É ISENTO DE CUSTOS ? PERAE, A IMPRENSA VAI ENGOLIR ESTA ESTÓRIA DE BOI VIRTUAL, DE BOI XERÓX, DE BOI DE PAPEL ? CONVENHAMOS !!!

  39. Comentou em 13/09/2007 arnaldo menezes

    acredito que de tanto ele falar que era inocente, todo mundo acreditou, mas voce consegue enganar alguns por algum tempo, não todo mundo o tempo todo, uma hora a casa vai cair.

  40. Comentou em 13/09/2007 Ronaldo Neiva

    onde estão os caras pintadas?Aquela imensa massa de manobra que surgiu na era collor. Quem manda no Brasil é o congresso, que pode roubar matar e serão sempre absolvidos a porta fechas

  41. Comentou em 13/09/2007 Ferdinando Vieira

    O que realmente está acontecendo no Brasil é que parte da imprensa se acha dona da verdade, escondendo por tras disso os seus interesses mesquinhos. Quando a decisão é favorável à sua pregação ela aplaude, quando é o contrário ela conclama os alienados por ela a pressionarem. Escodendo seus verdadeiros interesses. Não estou defendendo o sr. Renan. Estou afirmando que se realmente a imprensa estivesse imbuida de dizer a verdade, não esconderia que a maioria dos que defedem o voto aberto hoje, foi contrário a ele pouco tempo atrás. Vcs acham que que conseguem alienar todo mundo? Ainda bem que existem outros meios de divulgação. Porque não investigam o Sr. Eduardo Azeredo com tanto afinco como investigaram o Sr. Renan? Claro que não irão fazer isso, pois ele ou os do seu partido devem ter comprado parte da midia com certos favores escusos e como sempre fazem os tucanalhas e demoníacos, na surdina.

  42. Comentou em 13/09/2007 manoel penna

    Esse texto é brilhante, esclarecedor e serve muito para orientar a opinião de muitos, que não acompanham o assunto, parabéns. Porém, textos como os do Sr. Dines, são tresloucados, pois seu unico interesse é agredir quem participa do Governo, não importa quem. Concordo que o Senador em questão deva ser investigado, mas não só ele, todos os outros. Seriam os outros melhores? Por que o Sr. Dines só pede a degola de um? e os outros. Ele é parcial, totalmente.-

  43. Comentou em 13/09/2007 Teócrito Abritta

    O julgamento de Renan pode ser anulado judicialmente, por impedir o acesso à informação e pelo fato do interessado ter votado. Outro agravante é de não ter se afastado da presidência do Senado, configurando-se uma coação aos outros Senadores e funcionários do Senado!!!

  44. Comentou em 13/09/2007 JOSE PEREIRA

    Brilhante o texto! Quem dera a ‘grande imprensa’ deste país pudesse simplesmente analisar os fatos sem interesses determinados ou mesmo ‘hipóteses’ diversas.
    Parabéns ao Sr. Luciano Martins

  45. Comentou em 13/09/2007 Zaqueu Dobelin

    Texto bem objetivo. Diferente de alguns que acusa a imprensa, e especifica Globo, Veja e estadão como mídia golpista, mas quem acompanha pode ver as mesmas reações da imprensa geral: Programas de tvs, rádios, páginas da internet, blogs e outros que apresentam denúncias e críticas, não condenando, mas criticando as articulações dos aliados de Renan e ele próprio para arquivar processos sem nenhuma investigação e atos antiéticos que acompanhamos não necessariamente pela Globo, mas pela TV Senado e ao vivo. Além de fartas evidências de corrupção, pela natureza dos fatos, como enriquecimento ilícito, que não precisa de provas para ver os fatos.
    No próprio IG, há comentarista (e apresentador de programa de TV) que chama a imprensa de partido político, mas eles é que fazem este papel ao usar o espaço para constante campanha política. Num comentário de hoje, coloca a população como marionete da imprensa. Isso que é tomar partido político.
    Não se trata portanto de Globo e Veja. São todos os meios de comunicação e opinião pública.

  46. Comentou em 13/09/2007 silvia bandeira

    Comentário perfeito!!! Ah, se a mídia (im) parcial enxergasse o seu umbigo!!!

  47. Comentou em 13/09/2007 danilo silva

    Caramba, tive que me certificar que não era artigo do Dines e que portanto não estava tendo alucinações. Pelo menos alguém neste OI se ocupa de observar a imprensa e não o governo…

  48. Comentou em 13/09/2007 osmando capuchinho

    Prezado Editor!
    Vc acredita em Papai Noel, Saci Pererê, fantasma, mula sem cabea etc…etc…? Num Pais como o nosso onde somos comandados por um analfabeto e quem elege êste analfabeto, são pessoas analfabetas ou carentes de uma cesta básica( que não deixa de ser compra de votos).Baseado nisto, sei que para o Renan, assim como para todos os envolvidos, nunca serão punidos. Esta farsa do Renan, foi a mais bem montada! Mais até que a do Mensalão! Pergunto também: como esses Senadores do PT, que se abstiveram de votar, vão exigir que alguém vote neles? Estão ferrados!!!O PT veio para semear a discórdia, o despreparo e o que é pior: duvidar demais da nossa capacidade de pensar e agir!
    Atenciosamente,

  49. Comentou em 13/09/2007 Solange Passos

    É interessante ouvir o presidente da OAB dizer que a absolvição do senador coloca o Congresso distante da sociedade já que havia lá dentro (do Congresso) um advogado, certamente filiado à OAB, defendendo Renan Calheiros. Será que isso o colocou distante da OAB? No Brasil agora temos a mania dos que tem o privilégio de falar na mídia, , de achar que a opinião deles é a opinião geral. Todo mundo ‘sabe’ o que o povo pensa, mesmo aqueles que estão a anos-luz da realidade desse povo.Será que é tão difícil admitir que temos uma sociedade complexa, diversificada e, principalmente, dividida por um abissal abismo social , onde os sentimentos e as convições,se regem por esse ‘pequeno’ detalhe ?

  50. Comentou em 13/09/2007 Carlos Martins

    O Dines está sofrendo de esclerose multipla e se transformou num reacionário sem tamanho…tudo para ter acesso a mídia tradicional. Afinal de contas as regras da democracia são para serem mantidas ou não???Ou só servem quando a opinião da imprensa é acatada???Não se trata de defender Renan mas ele não foi absolvido???E os senadores que votaram nele não têm esse direito???Ora ‘seo’ Dines o senhor tá pra lá de gaga.

  51. Comentou em 13/09/2007 roberto locatelli

    Em um estado democrático onde os poderes são independentes, a votação de ontem não apresenta nenhum ilícito. O que prevaleceu foi a democracia. Quem se sentir ofendido tem todo o direito (democrático) de não eleger o representante em qual votou. As minorias tem que aprender a conviver coma democracia, o que alguns tem esquecido.

  52. Comentou em 13/09/2007 Ferreira Dantas

    Engraçado. Enquanto vc faz uma abordagem tecnica e com bom sendo do caso Renan, o Paulo Amorim faz ironia, pondo-se fora da imprensa, da qual ele faz parte. O PHA deveria ler sua matéria. Acho q. como jornalista ele fugiu da faculdade.

  53. Comentou em 13/09/2007 Paulo Mora

    Parte do tucanato e dos DEMOS queriam (querem) a cadeira do Renan e deixaram isso claro VÁRIAS vezes, quando ofereceram ‘esquecer’ a cassação caso o senador renunciasse a seu cargo de presidente. Fácil assim. Daí a famosa frase do senador quando disse que teriam que sujar as mãos para retirá-lo de lá. Ninguém quis se arriscar abertamente e fizeram um processo horroroso, mal ajambrado e inconcluso, que acabou por não gerar provas sólidas. O julgamento foi por política (não por fatos), por isso a política decidiu.
    O resto é firula midiática.

    Lembrando SEMPRE que o absolvido senador foi ex-aliado de primeiro escalão de Collor e FFHHCC.

  54. Comentou em 13/09/2007 Ivan Berger

    Então,deixa ver se eu entendi.Toda aquela série de denúncias de vendas frias,de declarações de rendimentos fajutos,da apuração de um patrimônio incompatível com o salário de parlamentar,a descoberta da compra de um jornal em Alagoas,com pagamento em espécie,para não deixar pistas, sem falar nas evidências de tráfico de influência para livrar a Schincariol de uma multa de 100 milhões da RF, nada disso ficou comprovado ? Que provas serão necessárias para,se não comprovar o ganho ilícito do senador Renam,no mínimo,no mínimo,caracterizar a tal quebra de decoro parlamentar ? E ainda há quem tenha a desfaçatez desaudar a absolvição como uma vitória sobre a pressão da mídia,como se fosse uma disputa particular entre governistas e uma oposição representada pela grande imprensa. Como se o grande derrotado não fosse o país, mormente o povo iludido pelos engodos do lulismo,induzido a acreditar que essa gente inescrupulosa faz o que faz para o bem deles.O seu endosso,jornalista Luciano,o torna cúmplice dessa promiscuidade toda que mais uma vez cobre o país de vergonha.

  55. Comentou em 13/09/2007 Antonio Luiz Teixeira

    Parabéns Luciano, isto sim é uma análise jornalística honesta sobre os fatos que ocorrem. Não essa coisa porca, logo acima, assinada por um tal de Alberto Dines.

  56. Comentou em 13/09/2007 ubirajara sousa

    O Senado mostrou-se como devia: independente. Votou com a sua consciência. Certo ou errado, votou sem a proposta acuação do senhor Alberto Dines. Que sirva de lição para o STF que votou com a faca no pescoço. Errar por medo é pior do que errar por falta de convicção. Deixem o medo para Regina Duarte. As instituições devem ser livres e intemeratas. Aceitar o medo é fugir a isso.

  57. Comentou em 13/09/2007 ivânia vieira

    É isso. Nessa grande confusão, onde o senador Calheiros aparece como corrupto-mor, a imprensa sofreu golpes cujas marcas tenta esconder. É fundamental à imprensa aprender – e esta é mais uma lição – qual é a sua sua tarefa nessa história. Ela continua sentenciando, infelizmente, pois só reforça o ‘mudar para manter’.

  58. Comentou em 13/09/2007 alfredo sternheim

    PERFEITO, LUCIANO. Embora ache que Renan demonstrou um apego ao poder e falhas éticas na sua defesa (aquelas notas de empresas frias ligadas ao gado) que justificam sua exclusão do senado, a imprensa realmente perdeu, mostrou que não tem poder de influenciar a conduta dos políticos e pecou por ser mais passional, mais opinativa do que informativa. Realmente causa estranheza tanta indignação de alguns jornalistas e nenhuma investigação a respeito das denúncias insinuadas por Renan. Por que muitos o temem? Esse temor tinha que ser esclarecido, o leitor quer saber quais seriam os eventuais crimes dos colegas de Renan. A julgar pelas insinuações dele, alguns dos senadores empregaram a amante em uma produção de TV para o Congresso? Ou em outra área? A Imprensa também dormiu no ponto ao, em nome da democracia, não ter solicitado na Justiça o direito de presença no plenário e não ter combatido em outras ocasiões, esse poder do Senado de fazer sessão fechada, secreta. Oportunidade não faltou.

  59. Comentou em 13/09/2007 Jose Paulo Badaro


    Estou começando a achar que o Curso Master para Editores do Di Franco não é tão ruim quanto eu imagino, uma vez que o Luciano foi diretamente ao ponto, isto é, chegou sem rodeios na fragorosa e retumbante derrota da imprensa, este sim, o aspecto mais significativo e insólito do resultado de ontem, conseguindo enxergar, ademais, o que turba raivosa e espumante não conseguiu ver até agora:

    O Globo chama os senadores de covardes. Um de seus colunistas chega a afirmar que o Senado Federal acaba de cometer suicídio coletivo.
    Considerando-se que os parlamentares precisam da opinião pública a seu favor, pode-se imaginar o contrário, ou seja, que os senadores foram corajosos ao afrontar a vontade unânime da mídia, correndo o risco de serem execrados na próxima eleição.

    É isso aí ! Tirante a parte atribuída ao Dines, o arrazoado acima é o mais lúcido e desapaixonado que li até agora a respeito do affair Renan (até parece coisa do Gilson Caroni !), sem falar que este, e mais o episódio da faca no pescoço do STF, são de longe de longe os fatos sobre os quais o Observatório deve refletir muito, estudar e, se o caso, revirar pelo avesso.

  60. Comentou em 13/09/2007 Maria Izabel L. Silva Silva

    Quer dizer que as regras da democracia burguesa só valem para as conveniencias da oposição?? Não servem para as conveniencias dos aliados do governo???O Senado jogou conforme as regras e todo mundo se sentiu ‘agredido’? Pois eu não! Quem criou estas regras? Não foram eles, os senadores de todos os partidos?? Na época de FHC tudo era legítimo e consolidado! Agora esta tudo errado??? Senador Renan, o senhor sabe tudo! Minhas congratulações! Digo em publico que, de agora em diante, vou ter mais respeito pelo senhor, que é duro na queda! Carne de pescoço! A proposito, o chilique do Raul Jungman foi insuperável! Vai levar o premio na ‘saba com quem esta falando?’

  61. Comentou em 13/09/2007 José Alonso

    Cansei!
    Ou a população se indigna e toma atitudes mais radicais contra os políticos (generalizados sim).
    Ou caminhamos a passos largos para um caos onde cada se achará no direito de fazer o que bem entender sem medo de ser repreendido ou punido.
    Cadeia para os políticos canalhas.

  62. Comentou em 13/09/2007 iza Souza

    Parabéns!!!
    Você disse tudo o que a imprensa esconde!!!

  63. Comentou em 13/09/2007 valter silva

    o que mais impressiona é o poder que alagoas – o estado com os piores indices de todos os índices sociais – tem sobre o país … será herança do cangaço? como renan amealhou tanta fortuna (viram o carro do filho pitboy do senador na tv?) se não tinha um tostão na era da famiglia collor? ele mesmo declarou que recebia mesada de ‘amigos’ – o esquema p.c. – escândalo de poucas dimensões na época, mas que faz todo o sentido agora? –
    alagoas confirma o ditado : é nos pequenos frascos que estão os melhores perfumes, ou … fedores … socorro!

  64. Comentou em 13/09/2007 Leonardo Lani de Abreu

    Caro Luciano Martins, em relação ao final de seu texto, nunca se esqueça, como bom observador da mídia, de que opinião pública é diferente de opinião publicada. A mídia grande tem seus interesses, que não coincidem com os da maioria da população, e o povo já percebeu isto. A mídia foi derrotada sim, quebrou a cara mais uma vez, está caindo paulatinamente em descrédito, para o bem da democracia.

  65. Comentou em 13/09/2007 Paulo Bandarra

    Nenhuma das oito acusações das quebras de decoro parlamentar foi por ter recebido dinheiro do lobista da Mendes Junior! Em todo o caso, mostra uma ‘evolução’ moral do PT, disposto sempre a por a mão na M…. para ajudar os amigos, antigos denominados picaretas, quando da base de outros governos! Perdeu a sociedade sim, ao não ter derrotado Renan, quando este poderia ter caído atirando e promovendo uma limpa maior no Senado!

  66. Comentou em 13/09/2007 Douglas Marques

    Eu, faltando pouco tempo para realizar meu grande sonho, de ser jornalista fico meio com pé atrás se fiz a escolha certa. Mas como sempre fui feliz nas minhas escolhas não posso me abater com essa sua colocação seu Dines ‘ a imprensa perdeu’. Somos sim o quarto poder, e temos como maior responsabilidade ‘proteger’ a sociedade. O que será da sociadade se até mesmo a imprensa já se considera derrotada. É hora dos editores se unirem, trabalhar juntos. Temos que talvez mudarmos os focos, vamos investiagar tudo, quem senadores não votaram, que razões levaram os deputados a votarem na sessão fechada.. etc. Tá na cara, alguma coisa tem, Como dizia meu grande avÔ falecido ‘ quem não deve não teme’. Temos que sufocar todos, não dar tempo, vencer os demais raudis, mesmo se for por cansaço do adversário. O que não pode é eles fazerem como sua vontade de nos da imprensa aceitar sem brigar… não é possível que algum veículo não tem uma fonte segura lá dentro… Eu já enjoei de pizza.

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem