Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

Programa nº 433

Mauro Malin

>>Os quatro governadores
>>Cicarelli empalidecerá

Por Mauro Malin em 10/01/2007 | comentários

Ouça aqui

Download

Os quatro governadores


A iniciativa dos quatro governadores do Sudeste é inédita e positiva. Algumas propostas para a área de segurança são certeiras, como reforçar a Polícia Rodoviária Federal. Outras, ilusórias, como usar Forças Armadas para combater contrabando. Mas todo esse ímpeto, que contrasta na mídia com as férias presidenciais, terá que vencer a barreira do corporativismo dos organismos policiais e judiciários.


Cicarelli empalidecerá


Alberto Dines diz que a censura ao vídeo Cicarelli foi uma decisão inconstitucional, irrealista e hipócrita.


Dines:


– Decisão judicial discute-se na esfera judicial, mas nada nos impede, enquanto sociedade livre e democrática, de contestar a primeira sentença do juiz Ênio Zuliani que obrigou os provedores da internet a bloquear o site You Tube e assim evitar a divulgação do vídeo erótico protagonizado pela senhora Daniela Cicarelli. A decisão do meritíssimo não foi apenas “desproporcional” como a classificou a organização internacional Repórteres Sem Fronteiras. A decisão foi inconstitucional porque fere a supremacia do direito à liberdade de expressão sobre qualquer outro direito. A decisão foi irrealista porque ignorava a impossibilidade de censurar eficazmente a Internet. A decisão foi hipócrita porque a senhora Cicarelli & acompanhante praticavam voluntariamente num espaço público aquilo que normalmente faz-se na esfera privada. A exibição daquele vídeo precário na telinha da Internet é tão chocante quanto a exibição de certas cenas de telenovelas no telão da TV aberta antes das oito da noite. A foto colorida do cadáver de Saddam Hussein com o pescoço quebrado estampada ontem em grandes jornais, inclusive brasileiros, agride muito mais. Os leitores masoquistas pararam para olhar, os leitores sensíveis viraram a página. Não ocorreria a ninguém impedir a circulação daquele horror. A Internet será controlada por ela própria e não por magistrados ingênuos e imaturos já que a cada dia são criados cem mil blogs em todo o mundo. A quantidade e a liberdade vão regular a Internet tal como aconteceu com outros meios de comunicação no passado. Breve a senhora Cicarelli descobrirá que pode pintar e bordar nas praias espanholas porque há outras Cicarelli dispostas a encenar audácias muito maiores.



Amor dengoso


O melhor de todo esse episódio foi o vídeo da campanha do governo gaúcho para combate à dengue. Publicidade institucional, acima de tudo, engraçada.


Fórum de TVs Públicas


O editor do Observatório da Imprensa Online, Luiz Egypto, fala da convocação do I Fórum Nacional de TVs Públicas.


Egypto:


– Está previsto para fevereiro a realização do I Fórum Nacional de TVs Públicas, iniciativa da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, da Casa Civil da presidência da República e entidades da sociedade civil ligadas à televisão. O objetivo do encontro é debater o papel da TV pública na comunicação social contemporânea.


Na fase preparatória, os organizadores produziram um diagnóstico do setor, publicado num “Caderno de Debates” disponível no site do Ministério da Cultura (ver a íntegra aqui, em formato PDF), e grupos temáticos agora trabalham nas teses que serão levadas ao Fórum.


Esta é uma discussão muito bem-vinda. Num país com as dimensões e características culturais do Brasil é inconcebível a inexistência de um sistema público de TV digno deste nome, como alternativa às emissoras comerciais. É um debate urgente, e o Fórum do mês que vem estará com faca e o queijo nas mãos.


Chávez desenfreado


O anúncio feito pelo presidente Hugo Chávez de que vai fechar uma rede de televisão na Venezuela aponta um caminho conhecido. Não é o da democracia. E a mídia venezuelana tem boa parcela de responsabilidade nisso.


Cuba cautelosa


É curioso que o Granma, jornal oficial do governo de Cuba, não tenha dado com grande destaque a posse de Chávez. O presidente da Venezuela procura se afirmar como líder socialista na América Latina exatamente quando termina a era de Fidel Castro. Hoje, a manchete do Granma é dedicada à volta de Daniel Ortega à presidência da Nicarágua. E o Wall Street Journal fala sobre a tentativa do governo cubano de injetar medidas de mercado na economia do país. Editoriais nos três principais jornais brasileiros criticam Chávez e sugerem, direta ou indiretamente, que o governo brasileiro tome suas distâncias do líder venezuelano.

Todos os comentários

  1. Comentou em 10/01/2007 Ivan Moraes

    ‘sugerem, direta ou indiretamente, que o governo brasileiro tome suas distâncias do líder venezuelano’: ah, eh, sim, logico, porque eh que o governo brasileiro nao se afasta de quem esta gastando dinheiro com o que bem entende? Eh uma excelente sugestao! Porqeu eh que eu nao pensei nisso antes? Eh assim que o Brasil vai pra frente. E sempre foi.

  2. Comentou em 10/01/2007 Rogério Barreto Brasiliense

    Mauro Malin,

    Como não sei outra forma de entrar em contato com você, uso este espaço. Há tempos te sugeri que se a imprensa em geral não comentava sobre a disputa entre Band e Editora Abril, você escrevesse um artigo sobre o caso. Sua resposta foi que estava coletando dados, espero que tal coleta esteja em estágio avançado.
    O caso pelo visto esfriou, mas é bom ficar de olho, um bom exemplo é que a Band, sempre tão crítica com a Rede Globo, acertou uma parceria para transmitir com a emissora fluminense as partidas do futebol brasileiro. Não sou muito fã da Band (tanto da TV, quanto da rádio), mas, como aqui em Santos é a única que sintoniza no FM sou obrigado de vez em quando a ouvi-la, desde então sumiram toda e qualquer crítica.
    Nada como uma parceiria atras da outra para mosrtar que todas as empresas jornalísticas no momento certo sempre se acertam.
    Um forte abraço.

  3. Comentou em 10/01/2007 douglas puodzius

    Feliz 2007 a todos… Dizer que, o fechamento de uma rede de tv não é o caminho da democracia, num primeiro momento é uma afirmativa com a qual tendemos concordar. No entanto, ao fazermos o balanço do que aconteceu em nosso quintal no ano que passou, podemos até colocar em discussão o tema. É para a gente pensar se a mídia definitivamente colabora para a tão propalada e defendida democracia ou é apenas mais um negócio que se preocupa apenas com os seus interesses, mesmo que estes contrastem com a vontade da maioria. Observemos as coisas que pareciam essenciais para a vida na terra no ano passado e agora desmancharam. Discussões, palavras, tempo desperdiçado por nada. A defesa da liberdade e o futuro do País, dependiam da solução urgente destas pendências e do encarceramento daqueles julgados e condenados sem processo. O Caso Waldomiro, O “Mensalão”, o assassinato de Celso Daniel, o caso do “Caseirogate”, os “Sanguessugas”, o “Apagão” Aéreo que mereceram, da mídia, atenção redobrada em 2006, agora dormem tranquilamente à espera de outra eleição. Heloisa Helena, opinião indispensável sobre as decisões do governo, jaz em Alagoas e Collor agradece. Portanto é válido perguntar: Tínhamos coisas mais importantes para discutir? Se tínhamos, por que não discutimos? Se o caminho era esse mesmo… Por que mudar? Eu acho que no final, a democracia venceu… Contra grande parte da mídia.

  4. Comentou em 10/01/2007 Marnei Fernando

    Seguindo seu conselho procurei com todo afinco qualquer notícia sobre as investigações sobre o Abel Pereira, aquele empresário que liga a máfia dos sanguessugas ao Serra e ao FHC, mas infelizmente não encontro em lugar nenhum na mídia… Por que a mídia esconde tudo que é falcatrua do Serra? E por falar nisso… Nós ainda queremos saber de onde veio aquele dinheiro para a compra do Dossiê… Alguém da mídia podia cobrar explicações do Delegado Bruno… Aquele amigo da o posição e da rede Globo… Ele com certeza sabe muitos detalhes da origem daquele dinheiro sujo…

  5. Comentou em 10/01/2007 Marnei Fernando

    —— > O que os quatro mosqueteiros (+ 1) têm que levar em conta e ainda não levaram… é que quem manda na Polícia Federal e no Exército é o Presidente… Eles podem no máximo, pedir… O Presidente é quem decide, não eles… Recolham-se às suas insignificâncias… —— > Chávez desenfreado… Estamos adorando a decisão do Cháves em acabar com aquela rede de TV subversiva de lá… por aqui acho que o presidente Lula não fará o mesmo… mas torço para que pelo menos ele pudesse ao menos fazer um plebiscito sobre a renovação da concessão pública de certos meios de comunicação… —— > Cuba cautelosa… As sugestões dos editoriais nos três principais jornais brasileiros de que o governo brasileiro tome suas distâncias do líder venezuelano é no mínimo ridícula… Mas não poderíamos esperar nada menos que sugestões ridículas dessa mída de quem fala o bloguista… Repito o conselho dado aos mosqueteiros acima… Recolham-se às suas insignificâncias…

Programas Anteriores

1 2 3 4 5 última

1 de 2625 programas exibidos

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem