Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

TV EM QUESTãO > AUTOPROMOÇÃO

Os melhores do ano… da Globo

Por Thiago Forato em 10/04/2012 na edição 689

Autopromoção? Narcisismo? Falta de bom senso? Talvez um pouco desses itens pode exemplificar uma premiação tão emocionante quanto um jogo de Barcelona e Santos, ou tão entusiasmante quanto ver a grama crescer. “Os Melhores do Ano” foi ao ar no domingo (1/4), comandado por Fausto Silva, e repetiu cenas de outros anos: Vários artistas globais reunidos, juntamente com os nomes de maior sucesso no momento da música. É um feito e tanto a produção reunir essa quantidade de pessoas que está com o maior cartaz na mídia, mas é o máximo que eles conseguem fazer.

É só ver a logomarca estampada no troféu. Ok, é compreensível que a casa queira premiar seus melhores artistas anualmente e promovê-los, mas não ver outras emissoras indicadas em um prêmio que se intitula de “Melhores do Ano” é no mínimo engraçado. E, não, não quero desmerecer ninguém que esteja com o prêmio em mãos, até porque muitos deles foram merecidos. Apenas essa soberba da Rede Globo em querer fazer uma cerimônia própria para inflar seu ego é que é difícil de aceitar.

Enquanto isso, seu concorrente, o “Troféu Imprensa”, do SBT, é um pouco mais crível, mas apenas cinco jornalistas votam. Alguns jurados, infelizmente, são pessimamente escolhidos e jogam preciosos votos na lata do lixo. Ao menos, é uma premiação que reúne produtos de todas as emissoras. Trocando em miúdos, os melhores da Globo nada mais é que uma grande produção, um espetáculo montado com todo seu casting para se auto-promover, enquanto o mais humilde “Troféu Imprensa” consegue ser mais isento, sem um elenco global disponível.

Inéditos e reprises

A Tela Quente estreou com X-Men Origens: Wolverine, mas apesar de ter ficado no primeiro lugar isolado com 22 pontos de média, em nada lembra a audiência da sessão de anos atrás, quando um blockbuster alcançava facilmente os 40 pontos. Os tempos mudaram e, para piorar, a janela de exibição é longa: três anos. O filme já chega em TV aberta envelhecido. A Globo ainda conta com outros arrasa-quarteirões em seu pacote 2012 como Tropa de Elite 2 e 2012.

O SBT não foge à regra, tanto que seu Cine Espetacular marcou 7 pontos com o inédito A Filha do Pastor no último dia 3/4, e um terceiro lugar no ranking. A emissora anuncia para maio um “carrossel de emoções” com alguns títulos inéditos, como 17 Outra Vez, Coração de Tinta, e Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

A Record segue com seus filmes reprisados à exaustão e não tem do que reclamar. A Super Tela do último dia 4 cravou 8 pontos de média com o longa Velozes e Furiosos – Desafio em Tóquio.

***

[Thiago Forato é jornalista, Ribeirão Preto, SP]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem