Sábado, 19 de Outubro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1059
Menu

ENTRE ASPAS >

Jornalismo é bom negócio para emissoras de TV

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 21/10/2009 na edição 560


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 21 de outubro de 2009


 


TELEVISÃO


Rodrigo Russo


Jornalismo é produto de alto retorno comercial para TVs


‘Além de obrigadas por lei a destinarem pelo menos 5% de sua programação para transmissão de notícias, as emissoras têm um bom motivo para investir em jornalismo: o retorno da publicidade.


Na Rede TV!, por exemplo, o jornal diário ‘Rede TV! News’ (exibido das 21h às 22h) é o responsável pelo maior faturamento da emissora, com 30% a mais de retorno do que o segundo programa.


Apesar da média de quatro pontos no Ibope, Toninho Rosa, superintendente comercial da Rede TV!, destaca que metade da audiência desse jornal é das classes A e B, o que atrai anunciantes diferenciados.


‘Fazer jornalismo é um bom negócio’, resume. Para o superintendente, ‘notícia ruim em exagero, apesar da audiência, acaba afastando os anunciantes’. A partir disso, a emissora decidiu veicular aos sábados o jornal ‘Good News’, em que são proibidas notícias ruins. Embora tenha três pontos de audiência, suas três cotas de patrocínio estão garantidas. Para a Globo, a área jornalística ‘é valorizada em virtude da qualidade de informação isenta e imparcial apresentada em nossos telejornais’. O canal não faz comparações entre jornalismo e entretenimento.


No SBT, segundo o diretor nacional comercial Henrique Casciato, houve crescimento de 25% dos anúncios nos programas jornalísticos em relaçãoa2008. Casciato também conta que, para os anunciantes, os três nomes de maior credibilidade nos telejornais do país são Fátima Bernardes, William Bonner e Carlos Nascimento.


PORTUGUESITOS


Desta vez não é uma polêmica entre Brasil e Portugal, como a que envolveu a atriz Maitê Proença.A TV Rá TIM Bum estreia em novembro a animação brasileira independente ‘Portuguesitos’, sobre um time de futebol formado por adolescentes de diversos países lusófonos, como Brasil, Angola e Timor Leste.


TERCEIRO PESADELO


O GNT adquiriu para o ano que vem a terceira temporada americana de ‘Kitchen Nightmares’, reality show que recupera restaurantes apresentado pelo chef britânico Gordon Ramsay, e a série de três episódios ‘Gordon’s Great Escape’, que mostra a viagem feita pelo polêmico chef à Índia.


EFEITO NOVELA


Roupas, maquiagens e acessórios usado sem’ Viver a Vida’, a nova novela das oito, lideram os pedidos feitos à Central de Atendimento ao Telespectador da Globo na primeira quinzena de outubro.


TELETON SEM BAND…


A edição 2009 do Teleton, campanha beneficente promovida pelo SBT, que começa nesta sexta, não terá artistas da Band. Datena não foi liberado para participar, e Galisteu desmarcou ontem por conta de gravações.


…CHEIO DE SERTANEJO


Dos 32 artistas confirmados para o evento, pelo menos 14sãoligadosaosertanejo, como Daniele a dupla Victor & Léo.’


 


 


Mônica Bergamo


Para baixinhos


‘Marcelo Tas vai estrear em novembro um telejornal infantil no Cartoon Network. O ‘Plantão do Tas’ vai interromper a programação do canal com ‘uma notícia absurda, com humor, mas com assuntos relevantes para as crianças’, conta ele, que terá a companhia de repórteres mirins na bancada.’


 


 


***


Oprah no Brasil


‘O programa de Oprah Winfrey deve exibir hoje matéria gravada no Rio. Com o gancho da escolha da cidade como sede da Olimpíada de 2016, a atração entrevistou uma telespectadora carioca, que levou a equipe a pontos turísticos como o bondinho do Pão de Açúcar e mostrou pratos brasileiros como pão de queijo e churrasco.’


 


 


***


‘Meu pai deu a cara pra bater’


‘Eduardo Suplicy (PT-SP) roubou a cena no lançamento do site da ex-mulher, Marta Suplicy (PT), no Studio SP, anteontem. Antes mesmo de o senador chegar, a ex-prefeita, só sorrisos ao falar do site (www.sigampost.com.br), ‘um espaço democrático para falar de comportamento até culinária’, interrompia a entrevista ao ser perguntada sobre o que achou de o ex vestir sunga em pleno Senado a pedido do ‘Pânico na TV’. ‘Não vou fa-lar so-bre is-so’, dizia, pausada e claramente.


O ‘caso da cueca’ era o assunto da noite. ‘Uma pessoa com a trajetória dele deveria tomar mais cuidado para não se vulgarizar com essas intervenções midiáticas’, dizia o deputado Rui Falcão (PT-SP). Supla saía em defesa do pai: ‘Meu pai deu a cara pra bater. Tem problema muito mais sério do que essa brincadeirinha, como a parada dele da Renda Mínima, que pode ajudar milhões’.


Mal coloca os pés na casa noturna, Suplicy é abordado por amigos e convidados, que queriam tirar fotos com ele a todo instante. Um estudante, que se diz fã do petista, tenta puxar o assunto: ‘E aquela história da sunga?’ Uma convidada o interrompe: ‘Ele já falou disso’.


Em um canto da festa, Suplicy diz à coluna que ainda guarda a sunga em seu gabinete. ‘A Sabrina [Sato, apresentadora do ‘Pânico’] disse pra vocês [da coluna] que eu não devolvi a sunga, mas ela me deu de presente! Mas, quando eu a encontrar, vou devolver.’ O senador afirma que, ao dar entrevista ao ‘Pânico’, ‘só queria divulgar o Renda Básica de Cidadania, para que mais pessoas compreendam o que é, inclusive a Sabrina. Se ela não tiver, vou dar um livro [sobre o projeto] pra ela’, afirma.


Na saída da festa, já no estacionamento, nova abordagem. ‘Suplicy! O senhor não está de cueca hoje, está?’, pergunta um jovem. ‘Ora, é claro que estou. Estranho seria se não estivesse’, responde o senador.’


 


 


PROPAGANDA


Letícia Sander e Fábio Zanini


União PT-PMDB dobra tempo de TV de Dilma


‘O ‘pré-compromisso’ eleitoral entre PT e PMDB vai garantir à pré-candidata governista às eleições de 2010, ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), o dobro do tempo de propaganda gratuita na TV. Em troca, o PMDB exige a vice na chapa e uma solução nos Estados onde estão concentradas as principais divergências com o PT.


Os peemedebistas também querem assento na coordenação da campanha da ministra e participação ativa na formulação do programa de governo.


Para selar o acordo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convidou as cúpulas dos dois partidos para um jantar ontem no Palácio da Alvorada. Até a conclusão desta edição, o jantar estava acontecendo. A expectativa era que, no final, fosse divulgada uma nota à imprensa detalhando o acerto.


O anúncio é simbólico, já que a aliança precisa ser aprovada na convenção nacional do PMDB em junho de 2010. Mas serve para isolar a ala do partido que defende o apoio à candidatura do PSDB à Presidência.


Serve ainda como uma demonstração de força, num momento em que o Planalto busca uma candidatura única da base governista, o que exigiria tirar o deputado Ciro Gomes (PSB-SP) da disputa nacional.


O interesse do PT em atrair o PMDB se explica na força da máquina peemedebista, a principal legenda hoje do país, com o maior número de prefeitos e congressistas. Por isso tem o maior tempo de TV no horário eleitoral gratuito da campanha.


Num cenário hipotético com sete candidatos à Presidência -Dilma, José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Ciro, além de ao menos três outros de legendas nanicas-, o PMDB pode chegar a ter 16% do tempo semanal de propaganda na TV. O PT teria 15% e o PSDB, 13%.


O texto da nota de ontem foi discutido num almoço de peemedebistas na casa do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), hoje o nome mais forte para assumir a vice na chapa. Outros nomes cogitados foram o do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o do ministro das Comunicações, Hélio Costa. O teor da nota ainda seria submetido ao PT no jantar de ontem.


A nota tem cinco pontos. O mais importante diz que os ‘partidos levarão a suas instâncias o pré-compromisso, construindo soluções conjuntas nas alianças regionais’.


Esse trecho é o que mais interessa ao PMDB e foi colocado como forma de ameaça velada ao PT. Se os petistas não abrirem espaço para peemedebistas em vários Estados, o ‘pré-compromisso’ será rasgado.


Outro ponto deixa claro que o PMDB terá a vaga de vice. Para aprovar o apoio a Dilma, é preciso a maioria dos 719 votos da convenção peemedebista -360, portanto. A cúpula governista do PMDB calcula que hoje há 450 pela aliança. Como os Estados têm grande força na decisão, resolver problemas regionais se torna mais relevante.


Hoje, PT e PMDB não se entendem em alguns dos principais Estados, como Minas, Rio, Bahia e Rio Grande do Sul.


Ontem à tarde, as lideranças peemedebistas no Congresso saíram em defesa do acordo com o PT. Temer afirmou que, sem dúvida, este é um passo importante por mostrar ‘que o PMDB está presente’.


O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que, com o apoio explícito de Lula, se segurou no cargo após uma série de denúncias ao longo deste ano, foi na mesma linha de defesa da aliança com o PT.


Colaboraram VALDO CRUZ e ADRIANO CEOLIN , da Sucursal de Brasília’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


O tom da guerra


‘Na manchete do UOL, no fim de um dia voltado ao mercado, ‘Taxa faz dólar ter a maior alta diária em quatro meses’. Nos portais Terra e iG, quase o mesmo enunciado. E a ‘Bovespa tem a maior perda diária desde junho’, acrescentou o Valor Online, que atravessou o dia entre o dólar e a Bolsa.


Resumindo, manchete na Reuters Brasil, ‘Imposto para estrangeiro seca o fluxo externo’.


Por Dow Jones, Bloomberg e outras, atenção aos movimentos no Brasil e às repercussões. O peso chileno ‘fecha mais forte por causa da taxa brasileira’ e o peso colombiano ‘mergulha com preocupação sobre controle de capitais’, lá também.


Segundo analista americana da RBS Securities, ‘o movimento do Brasil deu o tom na guerra contra a desvalorização do dólar’.


CABELO EM PÉ


No iG, o colunista José Paulo Kupfer destacou que a volta da taxação é ‘medida óbvia e que vem tarde’, mas ‘os ortodoxos, mesmos os carecas, estão de cabelo em pé’. No Terra, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo destacou que ‘só demente pode achar que a valorização do real é favorável’ e acrescentou:


‘Quem está contra a taxação quer cuidar dos próprios investimentos e interesses. Na minha opinião, deveria ser mais radical. Deveria ter alterado a forma de atuação do Banco Central no câmbio.’


AJUSTE


A ‘Economist’ posta manchete sobre o dólar e ressalta a ‘imposição da taxa pelo Brasil, sinal de que os países estão ficando nervosos’. Prevê intervenção crescente ‘conforme o mundo se ajusta ao dólar em declínio’


NO ‘WSJ’


O ‘Wall Street Journal’ postou pelo menos três longos textos de análise da decisão brasileira, ontem.


Avalia, por exemplo, que ‘o movimento sublinha a enorme demanda dos investidores pelos títulos brasileiros no rastro da crise global’.


Que ‘os países com moedas flutuantes foram atingidos de forma injusta pelo dilúvio do dólar’, prevendo medidas da Colômbia e do Peru e cobrando ação do G20.


E que ‘o efeito da taxa pode ser de pouca duração -e ao mesmo tempo remover parte do lustre da política econômica’ tão louvada.


NO ‘FT’


O ‘Financial Times’ postou pelo menos quatro análises sobre a taxação, em vídeo do editor de investimentos, texto do correspondente e post no blog Alphaville.


A principal, da coluna Lex, abre dizendo que o ‘Brasil é vítima de seu sucesso econômico’, daí a valorização, ‘novidade num país acostumado a crises de dívida’.


Diz que pode ser efeito do capital desenraizado e daí se justifica intervenção; mas também da ‘riqueza em commodities’ e daí ‘não há o que fazer’. No médio prazo, defende que ‘a melhor resposta é elevar produtividade’.


ENQUANTO ISSO


Sites e blogs avisam que o Banco Central lança hoje campanha na televisão para ‘ensinar como evitar dinheiro falso’. Seu nome é ‘Dinheiro de Verdade’ e abre com quatro comerciais


SOMBRA


Na capa do ‘WSJ’, a foto de um policial na frente de um bar na favela do Jacarezinho. No enunciado, ‘Violência nas favelas do Brasil assombra a vitória olímpica do Rio’. De novo, deu no ‘JN’


E TOME E-BOOK


O ‘WSJ’, menos simpático do que o ‘NYT’ ao Kindle, da Amazon, destacou o dia todo o lançamento do Nook, da Barnes & Noble. O tom da cobertura, até com ‘live-blogging’, foi de enunciados como ‘Será que o e-reader Nook será um assassino de Kindle?’. Estreia com o mesmo preço, para disputar ‘um dos poucos segmentos em crescimento nas editoras, os livros digitais’.


Ao fundo, destaque no mesmo ‘WSJ’, ‘Wal-Mart e Amazon duelam on-line’, em ‘guerra de preços por livros badalados que é apenas a ponta do iceberg’. Deve avançar sobre os mais variados produtos.’


 


 


INTERNET


Folha de S. Paulo


Demissão faz lucro do Yahoo! subir 240%


‘Apesar de faturar menos, o lucro da empresa subiu para US$ 186,1 milhões no terceiro trimestre, ante US$ 54,3 milhões no mesmo período de 2008. A melhora está associada ao corte de 2.000 funcionários.’


 


 


Julio Wiziack


Ambulantes já vendem Windows 7 pirata


‘A Microsoft lança hoje o Windows 7, a nova versão de seu sistema operacional (programa que faz o computador executar suas funções). O produto começa a ser distribuído hoje, mas, desde ontem, ambulantes na rua Santa Ifigênia já vendiam as três versões completas do programa com guia de instalação em português. Preço: R$ 10.


A Santa Ifigênia é uma área da capital paulista conhecida pela quantidade de lojas e bancas de rua especializadas em produtos eletrônicos e de informática que entram ilegalmente no país. Por isso, oferecem preços menores que o das lojas.


Nessas bancas, a Folha encontrou até promoções. Em uma delas, era possível adquirir o Windows 7 por R$ 15, levando o Office 2010 como brinde. O Office 2010 deve ser lançado em novembro.


Em outra barraca, o vendedor chegou a oferecer o Windows 7 por R$ 8. Esse preço é mais elevado que o da versão anterior, o Windows Vista, porque ela está sendo vendida em DVD. O Vista foi vendido em CD na região por cerca de R$ 3.


A Microsoft anuncia hoje o início das vendas das três versões de seu Windows 7: Home Premium, Professional e Ultimate. A companhia não antecipou os preços, mas a Folha apurou que a versão mais simples custará R$ 399. A mais cara deverá custar R$ 699. A versão Starter, mais econômica em termos de recursos, não será vendida nas lojas porque virá instalada nos computadores pelos fabricantes.


A Microsoft sabe da existência dessas cópias piratas. A companhia informa que a nova versão do Windows tem itens de segurança que impedirão essas cópias de funcionarem adequadamente.


Isso porque diversos recursos do programa dependem de uma conexão com o site da Microsoft para serem habilitados. Essa operação ocorre automaticamente, toda vez que se liga a internet. Quando isso ocorrer, a fabricante detectará instantaneamente se a cópia é ilegal. A punição: o programa deixará de funcionar (trava).


Natal dos PCS


Analistas de mercado preveem aumento modesto nas vendas. Para Ivair Rodrigues, do IT Data, as grandes empresas devem ser as maiores interessadas. Uma pesquisa interna feita pelo instituto revelou que a maior parte das empresas ainda utiliza máquinas com o Windows XP. ‘O Vista [versão posterior] não emplacou’, disse Rodrigues. ‘Eles estavam esperando esse lançamento.’


Os fabricantes de computadores apostam alto. Para eles, o Windows 7 deverá turbinar as vendas de fim de ano.


A Positivo, líder do mercado, já anunciou 20 novos modelos com o Windows 7 pré-instalado. Os cerca de 50 modelos que já estão nas lojas do país (com o Windows Vista) receberão um pacote especial vendido aos consumidores por R$ 29,90 para a atualização do sistema, desde que ele tenha a versão mais completa (a mais cara).


O diretor de marketing da Positivo, Cesar Aymoré, acredita que o Windows 7 impulsionará as vendas de fim de ano para que o setor ultrapasse a marca de 12 milhões de unidades vendidas (entre PCs, notebooks e netbooks). ‘A crise financeira impediu que em 2008 tivéssemos o Natal dos PCs’, diz. ‘Esperamos que com o Windows 7 isso seja possível.’


O computador mais barato da Positivo custará R$ 799 já com o Windows instalado. ‘Vale muito mais a pena trocar a máquina agora do que comprar apenas o programa separadamente’, diz Aymoré. Essa é a aposta do setor.’


 


 


Folha de S. Paulo


Governo estuda lançar banda larga a R$ 9,90


‘O governo federal estuda elaborar um programa que ofereça acesso à internet em banda larga a R$ 9,90. Para esse preço, a conexão estaria limitada a 256 Kbps (quilobits por segundo). Para tornar o programa viável, seria preciso negociar com as operadoras de telecomunicações e oferecer, em troca, um pacote de benefícios tributários ainda não definido.


Na semana passada, o governador de São Paulo, José Serra, anunciou isenção da alíquota de 25% do ICMS para os planos de banda larga destinados à baixa renda. A assinatura mensal deverá custar até R$ 29,80 para velocidade mínima de 200 Kbps e máxima de 1 Mbps.


O programa federal seria uma versão mais elaborada do ‘Computador para Todos’ que, desde agosto de 2007, permite que seja oferecido à população um programa de acesso discado com mensalidade de R$ 7,50.


Há divergências no governo em relação à forma do projeto. O Ministério do Planejamento defende uma rede estatal de banda larga (administrada pela Telebrás ou pelo Serpro), solução que esbarra em um impasse jurídico envolvendo a Telebrás. Já o Ministério das Comunicações quer uma aliança com as atuais operadoras.’


 


 


Rodrigo Bueno


No Real, Kaká abre a vida no Twitter e lamenta o Milan


‘‘É a primeira vez que jogo contra um ex-clube. É um pouco estranho’, afirma Kaká, para o mundo todo, pelo Twitter.


A nova onda virtual alcançou Kaká depois de ele alcançar o clube mais midiático do planeta, o Real Madrid, que hoje enfrenta o ex-time do brasileiro, o Milan, no Santiago Bernabéu, pela Copa dos Campeões.


‘É a primeira vez que jogo contra o meu ex-time. Tem sido uma grande novidade’, falou Kaká em um outro tweet, respondendo a um seguidor.


Até ontem, o melhor jogador do mundo de 2007 (título que conseguiu com a camisa do time italiano) contava com pouco mais de 15 mil seguidores no Twitter -os brasileiros mais populares nessa rede social, como o apresentador Luciano Huck e o técnico Mano Menezes, ultrapassaram a casa de 1 milhão de seguidores.


‘Gostei muito de morar em Milão. E estamos superbem em Madri’, disse Kaká no domingo. No dia seguinte, ele visitou o diário espanhol ‘Marca’.


‘Acabo de voltar de uma visita ao jornal esportivo ‘Marca’ aqui em Madri. Foi bem legal e interessante ver como funciona uma redação de jornal’, contou ele, que deu uma entrevista ao diário que repercutiu às vésperas do duelo contra o Milan.


‘O Milan e o Real Madrid são dois clubes grandes, mas o Real Madrid é um pouco maior em nível mundial porque mobiliza mais gente’, disse o brasileiro, que promete se esforçar para marcar muitos gols, mas que, por respeito ao passado no Milan, não quer comemorá-los.


No Twitter, ele leva o nome do seu clube atual (@realkaka), que voltou a adotar nesta temporada uma política de contratação de grandes estrelas. Os dois principais galácticos do momento, Cristiano Ronaldo e Kaká, custaram juntos mais de 160 milhões -contundido, o português não irá jogar hoje.


Sem a sua estrela mais cara e marqueteira, o Real Madrid aposta hoje, em especial, em Kaká. ‘Ele tem um brilho especial nos olhos’, afirmou o técnico Manuel Pellegrini, confiando em uma motivação extra de Kaká por enfrentar o ex-time.


‘O jogo será às 20h45, horário de Madri. No Brasil, quatro horas a menos’, escreveu Kaká no Twitter, onde segue três grupos de música gospel, a Igreja Renascer, o Real Madrid, Luciano Huck, William Bonner, Belletti, Atletas Cidadania e o seu assessor de imprensa.


Kaká jamais enfrentou o São Paulo, clube que o revelou, e por isso encara o jogo contra o Milan como algo especial, inédito. ‘Acabou o treino agora há pouco. Faltam dois dias para mais um jogo histórico na minha carreira’, falou ele, anteontem, às 9h48 (de Madri).


Após recusar proposta do inglês Manchester City para a temporada passada e fazer juras eternas de amor ao Milan, aceitou a oferta do Real, que pagou 65 milhões por ele.


Em crise financeira, o Milan vive temporada difícil. Treinado pelo brasileiro Leonardo, que como dirigente ajudou Kaká a ir para o time italiano, e esperando pela recuperação do futebol de Ronaldinho, o clube de Silvio Berlusconi é visto hoje como inferior ao espanhol.’


 


 


Nina Lemos


William Bonner mostra lado ‘quase normal’ na internet


‘No passado, ficávamos chocados ao ver fotos de Sérgio Chapelin e Cid Moreira fora da televisão. Como assim, os apresentadores do ‘Jornal Nacional’ existiam fora daquela bancada? Agora, na era da internet, o robô tomou corpo (virtual). E acompanhamos com interesse o Twitter do William Bonner, o Sérgio Chapelin moderno.


Acessando a internet, podemos ver que ele existe de verdade. Fora da bancada, ele lê antes de dormir para os filhos, corre de um lado para o outro e parece até que é um de nós, reles mortais desprovidos da moeda da fama. Bonner é tão humano que se irrita com comentários de ‘seguidores’ e os responde. Alguém imagina o Chapelin discutindo?


No Twitter, os famosos ganham voz. E se sentem ‘normais’, como disse Bonner em uma entrevista. Deve ser triste só se sentir normal em um espaço virtual, mas enfim. O que faz o @realwbonner (apelido que ele usa no Twitter) na sua vida ‘normal-real-virtual’? Entre outras coisas, ele explica que é normal. ‘Sou uma pessoa rigorosamente quase normal’, escreve. E se diverte postando fotos de sua poltrona favorita, de seu cachorro e por aí vai.


E o público aplaude, ou melhor, segue. William Bonner tem 141 mil seguidores. Isso significa que essas pessoas, sempre que acessarem o Twitter, poderão receber as informações que ele acabou de postar. Entramos com gosto na intimidade do apresentador do ‘Jornal Nacional’, até antes inanimado, e ficamos chocados com coisas simples. ‘Como assim, ele gosta de brigadeiro?’


Enquanto isso, a celebridade em questão brinca em um quintal onde se sente livre para comentar as coisas da vida que quem não é famoso comenta com o taxista.


Mas a nossa intimidade com Bonner parece maior do que a que temos com passantes que cruzamos na rua. Sabemos de antemão, por exemplo, que no dia tal ele não estará apresentando o jornal. Está ali, escrito em seu Twitter, com antecedência. E sabemos até o motivo! Ele deu uma palestra e só dormiu três horas (coitado!). Se já nos sentíamos íntimos de uma pessoa que entra todos os dias em nossas casas, agora nos sentimos praticamente parte do seu círculo familiar.


Agora, nossa relação com o ‘Jornal Nacional’ corre o risco de não acabar nunca mais. Podemos acompanhar o dia do apresentador, que twitta cerca de 15 vezes diariamente, e até ajudar a escolher seu figurino. Ele faz enquetes no microblog, nomeadas por ele de ‘interativas’, nas quais os internautas podem, por exemplo, escolher a cor da gravata que ele vai usar. Nesse caso, podemos nos sentir praticamente a Fátima Bernardes. E depois de desligar a TV, ainda podemos acompanhar seu trajeto para casa e receber um ‘boa noite’.


Não é por acaso que o apresentador do ‘Jornal Nacional’ nunca esteve tão em evidência. Ele nunca esteve tão próximo de nós, telespectadores. Agora, quem diria, o apresentador é nosso amigo virtual (como se isso significasse alguma espécie de amizade real).’


 


 


Folha de S. Paulo


Para competir com a Amazon, Google lançará livraria virtual


‘A gigante Amazon vai ganhar, em breve, a concorrência de outro titã: o Google anunciou na semana passada que vai lançar uma loja on-line para vender livros digitais.


O objetivo é colocar à disposição dos internautas, a partir do primeiro semestre de 2010, cerca de meio milhão de e-books, em uma parceria com editoras que já fizeram acordo com o Google e disponibilizam trechos de suas obras no Google Books (books.google.com.br).


Segundo o Google, a compra dos e-books poderá ser feita no site ou em lojas como a Amazon e a Barnes & Noble.


O Google planeja dividir o lucro das vendas tanto com editoras quanto com livrarias, de acordo com o site News.com. Para os livros vendidos diretamente pelo site, o gigante das buscas dará às editoras 63% das vendas. Para títulos vendidos pela Amazon e outras varejistas, editoras receberão 45% – a maior parte dos 55% restantes vai para o varejista, e o Google terá uma pequena participação.


A companhia afirmou que os consumidores conseguirão ler livros em qualquer dispositivo conectado, como computadores, netbooks e smartphones. Usuários de iPhone conseguirão acessar os e-books por meio de suas contas no Gmail.


Amazon


Para tentar frear a competição de outros e-readers, a Amazon anunciou na semana passada que vai expandir o mercado de atuação do seu leitor Kindle.


Agora, os downloads de livros poderão ser feitos em cem países -o Brasil está incluído na lista. A compra do dispositivo continua sendo feita apenas pelo site da companhia (www.amazon.com).’


 


 


Folha de S. Paulo


Ingleses reprovam corte de acesso por download ilegal


‘A maioria dos internautas ingleses discorda do plano dos Provedores de Serviço da Internet, que pretende cortar o acesso para suspeitos de download ilegal de conteúdos protegidos. O resultado é fruto de uma pesquisa da organização Open Rights Group. Quase 70% dos entrevistados defendem o direito de julgamento para casos suspeitos. Apenas 16% são a favor de penas automáticas, disse o ‘Guardian’.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 21 de outubro de 2009


 


LIBERDADE DE IMPRENSA


Roberto Almeida


Caso prejudica imagem do País


‘A ONG Repórteres Sem Fronteiras, principal entidade em defesa do jornalismo no mundo, divulgou ontem seu ranking anual de liberdade de imprensa. O Brasil ficou em 71º lugar de um total 175 países avaliados, ainda atrás de Paraguai e Argentina. Uma das razões, sublinha a entidade, é a quantidade de decisões judiciais impondo censura prévia, como a que amordaça o Estado desde o dia 31 de julho.


Para avaliar o nível de liberdade de imprensa no País, a ONG enviou questionários com 40 tópicos a serem respondidos por jornalistas, pesquisadores, juristas e ativistas na área de direitos humanos. Na avaliação, a crítica à mordaça aos meios de comunicação. ‘A censura prévia permanece ativa em certos Estados, nos quais as autoridades controlam a mídia local’, alerta a entidade.


De acordo com rankings anteriores da Repórteres Sem Fronteiras, o Brasil vem subindo de posição. Em 2007 era o 84º. Em 2008, o 82º, e agora emplacou o 71º lugar.


A escalada de 13 posições em três anos, segundo a entidade, ocorreu por causa da queda da Lei de Imprensa, em 1º de maio de 2009, e ‘dos esforços desenvolvidos pelo governo Lula em matéria de acesso à informação’. No entanto, as ameaças à liberdade de imprensa continuam e o Brasil poderia ter subido ainda mais.


Em termos de América Latina, além de ter ficado atrás de Paraguai e Argentina, o Brasil observa de longe a evolução do Uruguai – o melhor colocado entre os latino-americanos, em 29º – e do Chile, o 39º da lista. E é observado de perto por Nicarágua, o 76º e El Salvador, o 79º.


‘Apesar dessas evoluções positivas, o Brasil ainda padece de uma violência persistente contra os meios de comunicação nas grandes aglomerações urbanas e nas regiões Norte e Nordeste’, descreve a ONG, que reportou em 2009 atentados contra jornalistas no Pará.


‘BAGUNÇA JURÍDICA’


A Repórteres Sem Fronteiras acompanha de perto a batalha judicial envolvendo a censura ao Estado e considera o caso ‘emblemático’ para o Brasil. Durante o andamento do processo, que já dura 82 dias, a ONG se pronunciou duas vezes.


Em ambas, fez duras críticas às decisões do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), responsável pela mordaça. O chefe para as Américas da entidade, Benoît Hervieu, em entrevista ao Estado chegou a classificar a situação como ‘bagunça jurídica’ e as decisões do TJ-DF como ‘absurdas’.’


 


 


JORNAL EM CRISE


O Estado de S. Paulo


‘NYT’ anuncia novas demissões


‘O jornal The New York Times vai cortar 100 empregos em sua redação, por meio de demissões e acordos de demissão voluntária, como forma de compensar a perda na receita com anúncios. ‘Vamos direto ao ponto: recebemos ordens para reduzir a redação em 100 postos de trabalho até o fim do ano.’ Este foi o recado do editor executivo do jornal, Bill Keller, transmitido aos seus empregados num memorando. É a segunda vez em pouco mais de um ano que o jornal reduz a equipe. Em 2008, o jornal cortou também 100 postos de trabalho na redação. Neste ano, já foi implementado um corte de 5% nos salários.’


 


 


INTERNET


Marili Ribeiro


‘O Twitter está só no começo’


‘Aos 34 anos, o americano Biz Stone está à frente de uma empresa que, com apenas três anos de vida, já está avaliada em mais de US$ 1 bilhão. O Twitter, rede de microblogs criada por ele e pelos colegas Evan Williams e Jack Dorsey, transformou-se em pouco tempo em um dos maiores sucessos da história da internet, atingindo a marca de 45 milhões de usuários cadastrados. No Brasil, o Twitter vem registrando uma ascensão fulminante – já são oito milhões de usuários, sendo que a maior parte deles, cerca de cinco milhões, ingressou no sistema nos últimos três meses. O sucesso, porém, ainda não se reverteu em bons resultados financeiros. Situação, por sinal, similar à de outras investidas do gênero, como os sites de vídeos YouTube e a rede social Facebook. Todos ainda estão em busca de gerar receita para seus acionistas. Stone participa hoje no Brasil do II Encontro Agenda do Futuro, organizado pela empresa de serviços de comunicação TV1. Antes de chegar ao País, deu a seguinte entrevista, por e-mail:


Em três anos, o Twitter conquistou 45 milhões de usuários e está avaliado em cerca de US$ 1 bilhão. Você e seus sócios previam isso quando criaram a rede?


Sob muitos aspectos, o Twitter cresceu mais rápido do que o esperado. Os números mencionados impressionam em muitos níveis, e certamente não esperávamos tamanho crescimento num período tão curto. Dito isto, ainda sentimos que estamos apenas no começo do Twitter enquanto serviço e enquanto empresa, e por isso esperamos um crescimento ainda maior no futuro.


Em Cannes, durante o festival de publicidade, você demonstrou certa tranquilidade pelo fato de o Twitter ainda não apresentar receita. Quando você acredita que a empresa vai começar a dar lucros?


Vamos lançar este ano produtos capazes de proporcionar renda. Um desses produtos que estamos desenvolvendo, mas que ainda não lançamos, permitirá às contas comerciais um novo nível de acesso à informação relativa às suas próprias contas do Twitter. Todas as contas do Twitter permanecerão gratuitas, mas algumas empresas podem estar dispostas a pagar por uma ferramenta analítica que lhes permita avaliar seu sucesso e aprimorar o uso que fazem do Twitter – o que beneficia a todos no longo prazo.


Que modelo de negócio é o mais apropriado para que o Twitter sobreviva à onda de expansão na internet e não tenha o mesmo destino de projetos, como o Second Life, que não se viabilizaram economicamente?


O Twitter é uma rede de informações a caminho de se tornar indispensável no dia a dia das pessoas – para negócios, política, emergências, festas e muitos outros usos. O modelo mais apropriado para o Twitter valoriza o sistema e torna o serviço ainda mais relevante sem se tornar um obstáculo.


O Twitter não estaria apenas à espera de uma oferta de compra bilionária?


Não estamos interessados em nos envolver com negociações de aquisição, porque o Twitter pode ser uma empresa muito importante e rentável por si mesma. Há alguns serviços mais difíceis de operar do ponto de vista da monetização, mas o Twitter não é um deles. O Twitter está em boa posição para gerar receita.


Há algum impedimento técnico para a adoção de anúncios pelo Twitter?


O sistema TweedSpeed (que gerencia o tráfego do Twitter em tempo real), mostra que são enviadas cerca de 12 mil postagens por minuto e, caso os vídeos de anúncios fossem implementados, seria necessário muito mais banda de internet.


Não há motivo técnico que nos impeça de entrar no ramo da publicidade.


Incluir no Twitter miniaturas de imagens e vídeos (mesmo que esse conteúdo seja hospedado em sites de terceiros) não seria o próximo passo para a expansão do negócio?


Atualmente, há muitas formas de incluir imagens e vídeos nos tweets (postagens), mas elas são desenvolvidas por terceiros com os recursos de nossa plataforma de tecnologia aberta. Há dezenas de milhares de aplicativos que funcionam com o Twitter, e muitos mais são criados todos os dias. Esses aplicativos permitem que os usuários compartilhem fotos, por exemplo, mesmo que a Twitter, Inc. não esteja no ramo da hospedagem de fotos. Como resultado final, os usuários encontram grande conveniência em nosso serviço, e isso é o mais importante.


Como você interpreta os estudos que dizem que 90% dos conteúdos veiculados no Twitter são produzidos por apenas 10% dos seus usuários e que mais de 30% dos que entram uma primeira vez e se registram nunca regressam uma segunda vez?


Não tenho certeza se esse dado está correto, mas é verdade que haverá no Twitter mais pessoas consumindo informação do que a criando. Nossas ferramentas de busca e descoberta estão melhorando, o que significa que muitos virão ao Twitter para aprender e descobrir, e nem sempre para criar novo conteúdo. Não há problema nisso. Uma questão separada é a de superar a lacuna entre conhecer o Twitter e engajar-se verdadeiramente com o produto – reconhecemos que esse aspecto poderia ser melhorado, e estamos trabalhando nisso no momento. Reitero que o mais importante é oferecer um serviço relevante para nossos usuários.


Como tem sido essa sua atual vida de viajante para divulgar o Twitter?


Todos os dias as pessoas usam o Twitter para fazer coisas notáveis. Elas se organizam para arrecadar recursos destinados a causas importantes, comunicando-se e ajudando umas às outras durante situações de emergência, e descobrem formas de partilhar informações importantes em partes do mundo onde isso não é tão fácil. Minha esperança ao partilhar o pouco que aprendemos até o momento é de que as pessoas compreendam o seguinte: não importa o quão sofisticada seja a tecnologia ou quantas máquinas sejam acrescentadas à rede, o Twitter não é um triunfo da tecnologia, mas um triunfo da humanidade.’


 


 


Pedro Venceslau


E até Marta caiu na rede…


‘Dois convidados muito esperados não apareceram no lançamento do Mpost, site interativo de Marta Suplicy, segunda, no StudioSP. Dilma ligou no celular de Marta avisando que não chegaria a tempo. Antonio Palocci também telefonou explicando que ficou preso em Brasília.


Mesmo sem estar presente, Palocci foi o único político lembrado ali para disputar o governo. E foi também quem apareceu no telão durante depoimento gravado sobre Marta. É candidata? ‘Sou, mas não sei ainda a que cargo,’ afirmou, garantindo que seu site está aberto até para a oposição. ‘Convidei o Luiz Carlos Bresser Pereira para escrever’.


Márcio Toledo, presidente do Jockey e namorado de Marta, se absteve de falar sobre política. ‘Não sou filiado, nem vou ser. Aliás, vou promover debates com todos os candidatos ao governo do Estado no Jockey’, disse ele.


Eduardo Suplicy chegou no fim da festa. E contou que, em reunião interna do PT, circulou lista de assinaturas com seu nome para o governo do Estado. ‘Mais de cem filiados assinaram. E como são necessárias 2.970 (para entrar na disputa), acho que ainda dá tempo.’


Sobre a polêmica da cueca vermelha, o senador não perdeu as esperanças:


‘Uma senhora da Zona Leste me ligou dizendo que essa história ainda vai reverter a meu favor…’’


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Eu, comigo mesmo


‘Confinamento já é dureza, imagine em um solitária. Esse é o novo reality show do SBT – não, as emissoras não cansaram disso ainda. Formato comprado da Fox, (Solitary) Solitários, já em fase de produção, isolará em cabines nove participantes, submetendo cada um deles a provas de resistência física e psicológica. O último a desistir será o vencedor.


Já dentro das solitárias, o único contato dos confinados com o mundo externo é um computador do sexo feminino – voz que apresenta o programa -, nos EUA batizada de Val. É a voz dela que eles ouvem no comando das provas e na tortura psicológica feita no confinamento. Sim, Val não para de tocar o terror em cada uma das celas. Entre as provas do programa estão camas de tortura, testes de privação de sono e de fome, de comilança, games escatológicos e de lógica. Em uma das etapas, os participantes devem permanecer o máximo de tempo possível com dezenas de pregadores presos em todo o corpo.


Com estreia prevista para o início de 2010, Solitários já recebeu cerca de 1.400 inscritos no site do SBT. O prêmio deve ficar na casa dos R$ 100 mil reais.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem