Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

TV EM QUESTãO > TV ASSEMBLÉIA

O espetáculo ganha platéia

Por Ismar Capistrano Costa Filho em 17/04/2006 na edição 377

Desde 30 de março opera a primeira emissora de televisão de um poder legislativo do Brasil em canal aberto. A proeza acontece no estado do Ceará, o qual deve a realização também a seu ex-ministro das Comunicações (quem mais autorizou concessões para aliados conterrâneos nesta década). A TV Assembléia marca não somente uma inovação na programação televisiva de Fortaleza, mas também promove mudanças no comportamento dos parlamentares.

As, por vezes, sonolentas sessões transformaram-se em verdadeiros espetáculos dignos de qualquer casa da Broadway. Deputados que só apareciam no placar onde estavam seus nomes e muito raramente faziam qualquer participação, passaram a entusiasmadamente falar para as câmeras e holofotes. Um pronunciamento, que era possível marcar com uma ou duas sessões de antecedência, agora deve ser agendado com, pelo menos, uma semana. Os parlamentares pensam, por isso, até em mudar o próprio regimento interno para adequar-se à mídia. Num mundo, como defende Guy Debord, marcado pela exibição e pelo aparecer, falar, no Legislativo cearense tornou-se tão ou mais importante do que agir. A retórica, arma tão eficaz quanto a prática. Discursos apelativos à emoção, brigas acirradas, vocabulários rebuscados ou popularescos, gestos faciais e até gritos são, desde então, cenas constantes na casa.

Independentemente de qualquer juízo entre o abismo do que se fala e o que se faz, esta emissora nos leva a um questionamento sobre o poder da Assembléia Legislativa estadual. Para que esta casa serve mesmo? Para legislar e fiscalizar o Executivo e o Judiciário? Como, se nenhum projeto de lei que onere o cofre público pode ser aprovado sem o encaminhamento do governo? Se os deputados governistas são maioria e não permitem investigação contra o Poder Executivo estadual? Realmente, sem a TV Assembléia esta casa estaria vazia, em outras coisas, de sentido. Agora sim, o Poder Legislativo do Ceará ganhou uma função: o espetáculo político para a platéia dos telespectadores.

******

Jornalista, mestrando em Comunicação na UFPe, assessor de comunicação e professor de ensino superior

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem