Sábado, 25 de Abril de 2015
ISSN 1519-7670 - Ano 18 - nº 847

TV EM QUESTãO > A GUERRA DA ANCINAV

O Globo contesta Observatório

Por Rodolfo Fernandes (*) em 28/12/2004 na edição 309

A propósito do artigo "A guerra da Ancinav – A primeira vítima é a verdade", gostaria de fazer os seguintes comentários e dividi-los com os leitores do Observatório:

1. A instituição de observadores da imprensa representa um avanço para o permanente aprimoramento dos meios de comunicação e, nesse sentido, o Globo tem estado sempre atento às discussões inerentes a este processo;

2. Entendemos, entretanto, que, por sua importância, a tarefa de fazer crítica de mídia requer cuidados específicos, sendo o mais básico deles o de ler o jornal que se pretende criticar;

3. Foi com surpresa, portanto, que tomei conhecimento dos comentários de Nelson Hoineff sobre a cobertura do jornal O Globo nas discussões da criação da Ancinav. Uma leitura mais atenta do jornal, ou mesmo, na impossibilidade disso, uma pesquisa sobre o tema, teria evitado algumas distorções e muitas imprecisões;

4. O autor cita apenas uma matéria e dois textos de colunistas do jornal para julgar toda a cobertura do Globo sobre o assunto. A matéria citada registrava a reunião de uma entidade amplamente representativa do setor audiovisual, com órgãos de classe legitimamente eleitos, e reproduziu os debates existentes. A comparação feita pelo autor com matéria do Estado de S.Paulo, que em vez de registrar a discussão travada optou por um bastidor sem autoria ("Globo põe artistas na trincheira contra Ancinav". E subtítulo: "Num evento em São Paulo, que teve a emissora nos bastidores, projeto do Minc foi dissecado. E enxovalhado"), é capciosa e parte do pressuposto simplista de que alguns dos maiores artistas brasileiros estão manipulados pela TV Globo. Não é o caso aqui de entrar nessa discussão, mas o fato é que a reportagem do Globo reproduziu fielmente o que foi discutido naquele fórum. Detalhe: o Globo noticiou que eram 17 entidades, representando 13 mil empresas, e não que eram 13 mil entidades, como erradamente escreveu o autor;

5. A citação a textos de dois colunistas do Globo sobre a Ancinav chega a ser infantil. Supor que em pleno século 21 um jornal é capaz de manipular a opinião de um dos mais experientes jornalistas políticos de Brasília (Jorge Bastos Moreno) e da maior crítica de teatro do Brasil (Bárbara Heliodora), é risível. Quem acredita nisso seguramente não coloca os pés numa Redação de jornal há muitos anos – ou nunca colocou;

6. A pesquisa que o autor do texto não fez poderia revelar de forma mais precisa a cobertura que o Globo vem dando à Ancinav. Ele poderia ter lido, por exemplo, a matéria que o jornal publicou no dia do encerramento do Festival de Cinema de Brasília (2/12/04), em alto de página, com o título: "Candangos políticos/ Sob gritos de ‘Viva a Ancinav!’, prêmios vão para ‘Peões’ e diretora do Vidigal". Se houve exagero nesta matéria, foi justamente o de privilegiar a discussão da Ancinav em detrimento da própria produção cinematográfica do mais tradicional festival do país. Detalhe para a chamada na primeira página do Segundo Caderno: "Cinema: Apoio à Ancinav marca o Festival de Brasília – página 2".

Não é segredo que, em seus editoriais, o Globo tem criticado a criação da Ancinav. Mas uma rápida pesquisa no arquivo do jornal mostra diversas matérias registrando outras opiniões sobre o assunto.

** No dia 10/11: "Presidente defende projeto da Ancinav e Gil"

** No dia 29/10: "Cineastas pedem Ancinav com mais funções"

** No dia 28./10: "Criação da Ancinav recebe o apoio de 344 profissionais"

** No dia 5/10: "Compositores foram ao MinC para pedir uma `Ancinav´ da música"

** No dia 22/9: "Ancinav poderá fiscalizar empresas de telefonia"

** No dia 30/8: Tema em discussão: Lei do audiovisual/ Nossa opinião: "Retrocesso"// Outra opinião: "A tela é nossa" (senadora Ideli Salvatti)

** No dia 13/8: "Representante da Cultura acha que discussão tem "mediação apaixonada da imprensa"

Da mesma forma, o Globo publicou, com destacada chamada na primeira página, artigo encomendado ao ministro Gilberto Gil defendendo seus pontos de vista sobre a Ancinav;

7. A cobertura do jornal tem sido, como se vê, pluralista, registrando as diversas opiniões a respeito – não obstante salte aos olhos a grande diferença de peso entre os personagens envolvidos dos dois lados. Isso já ocorrera na discussão do Conselho Federal de Jornalismo: embora estejamos sempre atentos para dar o "outro lado" da discussão, não há como encobrir o fato de que alguns dos principais nomes da área cultural estão contra a Ancinav, assim como os principais jornalistas do país estavam contra a criação do CFJ;

8. E, por fim, uma última curiosidade, que definitivamente não ajuda a argumentação do autor do texto do Observatório da Imprensa: o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Orlando Senna, principal patrocionador da Ancinav no governo, foi um dos três indicados, na área do cinema, para o Prêmio Faz Diferença, que O Globo organiza com as principais personalidades do ano. A escolha é feita por jornalistas do Globo, em votação livre. Ele acabou ficando atrás do cineasta Walter Salles, mas a simples indicação demonstra que os argumentos do autor do artigo do Observatório se devem mais a preconceitos arraigados do que propriamente a fatos pesquisados.

(*) Diretor de Redação do Globo

Nelson Hoineff responde

1. O texto em questão não se referia à cobertura do Globo em relação ao caso Ancinav. Comentava especificamente o tratamento dado ao seminário promovido pelo FAC dois dias antes. Explicitava o objeto de sua crítica desde o início: "O texto diz respeito a um ciclo de debates promovido desde o dia anterior pelo Fórum de Audiovisual e Cinema (FAC)".

2. A matéria publicada no encerramento do Festival de Cinema de Brasília foi citada sim, assim como várias outras publicadas na mesma ocasião – justamente para demonstrar que inferir que a categoria está toda contra o projeto Ancinav é tão absurdo quanto supor o contrário. Cito o trecho: "Isto não é verdade, assim como não seria verdadeiro afirmar que a categoria inteira está fechada com o projeto – o que várias coberturas das reuniões do CBC ocorridas durante o Festival de Cinema de Brasília, realizado há duas semanas, deixaram transparecer –, menos por compromisso do que por falta de competência".

3. Não existe a mais tênue insinuação que o jornal estivesse manipulando a opinião de seus colunistas e, francamente, não sei de onde o missivista pode ter tirado isso. O texto referiu-se a uma piada de Jorge Bastos Moreno (defendendo o próprio Ministro da Cultura) e uma comparação do projeto da Ancinav a Zdhanov e Goebbels feita por Barbara Heliodora (mas até agora não explicada), que coincidentemente apareceram no mesmo sábado. O texto do OI estranhou, isto sim, que a comparação feita por Heliodora, que tomou apenas 11 linhas de um longo artigo sobre outro assunto (a crise do teatro brasileiro), tivesse assim mesmo merecido chamada na primeira página.

Todos os comentários

  1. Comentou em 28/12/2004 Márcia Meireles

    Não é necessário ser especialista em crítica de mídia para diagnosticar que a cobertura sobre a ANCINAV tem sido majoritariamente desfavorável. Rodolfo Fernandes (porta voz da Globo) lista meia duzia de matérias para tentar nos convencer de que a cobertura do jornal ‘O Globo’ sobre o assunto é pluralista…não convence. Também não é verdadeira sua afirmação de que os personagens de peso da cultura brasileira estão contra a criação da ANCINAV. Tem gente forte da área da cultura defendendo as duas posições. Não é um procedimento ético desqualificar os emissores de opiniões divergentes.
    A verdade é que a ANCINAV mexe com interesses das grandes empresas de comunicação. A questão real não é o tal ‘controle de conteúdo’ mas sim a mudança de regras nas concessões e taxações. Aí é que o bicho pega. As ondas do ar são públicas e não privadas e é justo que o poder público exerça controle e regulamente a utilização de seus bens.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem