Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

VIOLêNCIA CONTRA JORNALISTAS > Repórteres sem fronteiras

Brasil cai três posições no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa

Por Equipe do Observatório da Imprensa em 23/04/2019 na edição 1034

Elaborado desde 2013 pela organização não governamental Repórteres sem Fronteiras, o Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa 2019, divulgado esta semana, classifica o Brasil na 105ª posição, três abaixo do posto ocupado no ano anterior.

Em um pequeno texto com o título “Um período sombrio que se anuncia”, a ONG faz um diagnóstico da prática jornalística na página de seu site dedicada ao país:

“Ameaças, agressões, assassinatos… O Brasil continua sendo um dos países mais violentos da América Latina para a prática do jornalismo. Em 2018 ao menos quatro jornalistas foram assassinados no país em decorrência da sua atividade. Na maioria dos casos, esses repórteres, locutores de rádio, blogueiros e outros comunicadores mortos cobriam e investigavam tópicos relacionados à corrupção, políticas públicas ou crime organizado, particularmente em cidades de pequeno e médio porte em todo o país, nas quais estão mais vulneráveis.

A eleição de Jair Bolsonaro em outubro de 2018, após uma campanha marcada por discursos de ódio, desinformação, violência contra jornalistas e desprezo pelos direitos humanos, é um prenúncio de um período sombrio para a democracia e a liberdade de imprensa. O horizonte midiático ainda é bastante concentrado no Brasil, sobretudo ao redor de grandes famílias, com frequência, próximas da classe política. O direito ao sigilo das fontes já foi questionado em diversas situações no país e muitos jornalistas e meios de comunicação são alvos de processos judiciais abusivos.”

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem