Sábado, 26 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

VOZ DOS OUVIDORES > ‘FOLHA DE S. PAULO’

Suzana Singer

25/02/2014 na edição 787
“93 anos, mas cabeça de...”, copyright Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 23/2/2014

Muita gente se surpreendeu com as posições editoriais da Folha, resumidas na quarta-feira passada, dia do aniversário do jornal. Para uma senhora avançada na terceira idade (93 anos), a Folha é até moderninha. Defende a legalização das drogas, desde que seja “gradual” e aprovada por plebiscito ou referendo. Já o casamento gay deve ser igualado ao heterossexual, sem necessidade de consulta à população.

O jornal considera imprescindível o pedágio urbano. É a favor dos médicos estrangeiros, embora considere a medida paliativa. Na área econômica, defende a redução do gasto público e o aumento da idade da aposentadoria.

A Folha não faz a linha Sheherazade: é contra o endurecimento das penas e contra a redução da maioridade penal, mas acha necessário mudar a lei para que menores que cometeram delitos graves possam ficar internados por mais tempo.

Em política, é a favor do voto facultativo porque a participação em eleição deve ser um direito e não um dever imposto pelo Estado. Está correto concluir que o jornal se coloca no “espectro da social-democracia”, segundo o editor de “Opinião”, Uirá Machado. “Mas sem se confundir com partidos. O jornal é apartidário e não apoia candidatos.”

“O que a Folha pensa” (folha.com/no1414326) foi útil para o leitor que não tem paciência para os editoriais e para desfazer imagens equivocadas sobre o jornal. “Achei ‘animal’ explicitar as posições em campos polêmicos, alguns bem espinhosos. Com certeza, já não vejo vocês com os mesmos olhos”, diz o geógrafo Paulo Castro, 26.

Por causa de alguns colunistas e da forma como o jornal cobriu as manifestações de junho, Paulo considerava a Folha mais conservadora. “É bom saber que isso não é uma verdade por completo”, diz.

Num jornal com mais de uma centena de colunistas, a balbúrdia de opiniões é tamanha que muitas vezes a voz oficial, expressa nos editoriais, se apaga. Iniciativas como essa, de sistematizar pontos de vista assumidos ao longo dos anos, ajudam o leitor a entender melhor o jornal que ele tem nas mãos. Serve ainda de instrumento de fiscalização: sabendo o que a Folha pensa, fica mais fácil cobrar que o noticiário se mantenha plural e sem influência dos editoriais.

Imagens que enganam

Era uma vez um menino sírio de quatro anos que, fugindo do seu país, cruzou sozinho o deserto. Um conterrâneo seu, desamparado, dormiu entre os túmulos do pai e da mãe, vítimas da guerra civil.

As histórias, de cortar o coração, circularam pela internet e foram publicadas em alguns órgãos de imprensa. Felizmente, eram falsas.

O garotinho Marwan, com sua sacola de plástico, não foi encontrado perambulando sozinho rumo à Jordânia, como noticiou, na terça-feira, o site da Folha, o “Estado de S. Paulo” e o “Yahoo”, entre outros.

Marwan tinha se distanciado por alguns momentos do resto da família, que caminhava mais à frente, quando foi abordado por funcionários da ONU que ajudam refugiados.

Um deles colocou a foto de Marwan no Twitter, mas sem falar em cruzada solitária pelo deserto. Quem acrescentou a pitada dramática foi uma âncora da CNN que tem 122 mil seguidores na rede social. Dali, a imagem se espalhou.

O outro menino, do cobertor vermelho, não é sírio, os montes ao seu redor não são túmulos e ele não estava dormindo.

Nesse caso, houve má-fé. A imagem foi pinçada do Instagram de um fotógrafo saudita e ganhou uma legenda mentirosa. Era um ensaio artístico, em cenário montado, sobre o “amor insubstituível dos pais”. O menino é sobrinho do fotógrafo, não é órfão e não vive na Síria.

O propagador do engano é um americano que vive na Arábia Saudita e tem 179 mil seguidores no Twitter. A imagem explodiu na web, em janeiro, mas a grande imprensa não caiu na armadilha.

Os dois casos ilustram como não dá para confiar no que está nas redes sociais, onde “quem conta um conto aumenta um ponto”.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem