Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

VOZ DOS OUVIDORES > O POVO

Paulo Rogério

12/09/2011 na edição 659
“Sexo, forró e apelação”, copyright O Povo, Fortaleza (CE), 10/9/11.

‘O que vai diferenciar um jornal dito ‘sensacionalista’ de outro dito ‘sério’ é somente o grau’.

Marcondes Filho, jornalista

‘Achei uma apelação desnecessária para o padrão do jornal, a capa da Playboy na capa do Buchicho. Crianças, netos, jovens folheiam em nossa casa’. O protesto é da leitora Heloisa Melo diante da matéria com as dançarinas Dani, Daiane e Rosy, do Aviões do Forró publicada no O POVO de sábado (3.9). O trio é a atração do mês da citada revista. Heloisa não ficou só. Pelo Portal, a leitora Ana Cláudia também recriminou o fato.

Para ela o jornal, como instrumento de educação, não deveria reproduzir imagens sensuais e ‘contribuir para que crianças e adolescentes tenham acesso a fotos que estimulam precocemente a libido’. Além das garotas nuas, a matéria reproduziu frases das dançarinas sobre sexo, transas diferentes e outras intimidades. A pauta girou em torno da ansiedade do trio com o ensaio fotográfico, carreira e o lançamento da revista em um shopping.

Segundo o Editor Executivo do Núcleo de Cultura e Entretenimento, Magela Lima, houve um cuidado especial com o leitor no recorte das imagens – somente duas foram disponibilizadas pela revista e ambas usadas. ‘O trabalho da diagramação foi acompanhado pela Chefia da Redação, que determinou o melhor enquadramento e o posicionamento da tarja na capa, cobrindo a genitália das moças’ lembrou. A capa original, no entanto, foi reproduzida internamente sem qualquer tarja.

Audiência questionável

O assunto sexo sempre gera este tipo de polêmica. Recentemente houve movimento semelhante por conta da história de amor de um casal homossexual publicada também no Buchicho. Neste caso, porém, é diferente. O erotismo falou mais alto e as imagens foram acompanhadas de frases como ‘Eu acho que sou mais cachorrona na cama’ ou ‘Tem dia que fico subindo pelas paredes’. Textos evitáveis se a intenção era fugir da apelação.

A própria página central traz na cartola: ‘Para maiores’. Só que é bom lembrar que o Buchicho tem alvo diversificado, incluindo pessoas de várias idades e gerações. Para Magela o dilema é constante quando se fala deste tema. E justifica que, de acordo com dados do Portal, a matéria foi uma das mais lidas da semana o que leva a crer em acerto ‘no formato menos apelativo’.

Sexo e violência são fórmulas fáceis para obter audiência. Isso explica a proliferação de programas policiais e cenas de sexo em filmes e novelas. Jornais com linha popularesca – não é o caso do O POVO – também adotam essa linha. Uma audiência, aliás, bem questionável. No Portal foram deixados 10 comentários. Coisas do tipo: ‘Rosy. Vem pro meu lado bb não fica subindo pelas paredes não’ ou ‘Que tesão!’ Apelou, levou…

Balanço

Houve um crescimento de 34% no número de Erramos publicados no 2º quadrimestre de 2011 em relação ao primeiro. Foram 122 no primeiro balanço contra 164 registrados no período de 7 de maio a 6 de setembro. Política é a que mais marcou presença com 50 registros – foram 27 anteriormente. O número de atendimentos no período passou de 241 para 268.

ESQUECIDO PELA MÍDIA: Processo de pedofilia envolvendo padre cearense em 2010.

Fomos bem

MEMÓRIA

Mudanças de visual e conteúdo na seção ‘O POVO é História’.

Fomos mal

CÓPIA Jornal publicou, dois dias depois, a mesma coluna que Ferreira Gullar escreveu no concorrente.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem