Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº974

ENTRE ASPAS > FOLHA DE S. PAULO

Carlos Eduardo Lins da Silva

17/11/2009 na edição 564

‘Um dos temas que esta coluna mais tem enfatizado -com grande suporte de leitores- é a necessidade de o jornal dedicar mais espaço e prioridade à cobertura de temas de educação.

Por isso, foi com grande satisfação e esperança que muita gente se deparou no domingo com a chamada que anunciava a criação, a partir de segunda, de uma página semanal para tratar desses assuntos.

Era menos do que se poderia esperar (uma página semanal num diário que nos anos 1970 e 1980 tinha quase três diárias para isso), mas melhor do que o quase nada existente. Não serei eu a me apressar em emitir opinião definitiva sobre a nova seção. Mas sem dúvida a estreia de Saber foi decepcionante.

A abordagem de questões seriíssimas e complexas que constam da enorme arte e do curto texto que a compõem é superficial. Tenta-se chegar a conclusões com base em um ou outro estudo, isoladamente e mal explicados, apesar de ser provável que outros os contestem.

Além disso, reduz-se o ‘sucesso’ na educação à aprovação em exames, a ter nota mais alta em provas, o que é uma visão excessivamente limitada do ‘saber’. E a redução à rápida comprovação ou não de ‘mitos’ é incompatível com a constatação de que inúmeras variáveis interagem no ensino.

Vários leitores expressaram pontos de vista semelhantes. Dagmar Zibas, doutora em educação pela USP, escreveu: ‘É necessário sempre considerar que o processo educacional é complexo e multidimensional. O enfoque de apenas um aspecto nunca será suficiente para melhorar a qualidade do ensino.

Salários dignos, planos de carreira sólidos e motivadores, melhores estruturas físicas e pedagógicas das escolas e adequada e constante formação em serviço da equipe escolar são fatores indispensáveis para o aumento do rendimento dos alunos. No entanto, essas condições não podem ser consideradas isoladamente; ao contrário, devem ser tratadas como um conjunto básico, estruturante de qualquer política’.

O leitor Edmir Figueiredo argumenta: ‘Os problemas da educação são históricos, envolvem debates claros sobre objetivos e finalidades por especialistas inteirados sobre a realidade escolar’.

O filme abaixo ilustra como até em sociedade por tempos considerada exemplar em educação, a deterioração de certas condições pode desencadear retrocessos.

Aliás, um consenso nesta controvérsia é que nenhum elemento sozinho pode ser responsável pela qualidade do ensino, como mostra um dos capítulos do livro indicado.

O próprio texto de Saber reconhece isso. Mas tal ressalva, feita em poucas linhas, se dilui na escandalosa roda da fortuna da ‘verdade ou mentira’ que atrai e concentra o olhar e a atenção.

Para não permanecer como começou, na contramão do saber, a muito bem-vinda nova página precisa abandonar o reducionismo, a supersimplificação e o maniqueísmo.

PARA LER

‘A Qualidade do Crescimento’, vários autores, Editora Unesp, 2003 (a partir de R$ 51)

PARA VER

‘Mr. Holland – Adorável Professor’, de Stephen Herek, 1995 (no canal de TV paga Telecine Light em 31 dezembro, às 10h30; em VHS usado a partir de R$ 20 ou em DVD importado a partir de R$ 70,90)’

***

‘‘Parem as rotativas!’’, copyright Folha de S. Paulo, 15/11/09

‘Nada é mais difícil para a Redação de um jornal diário do que já estar com a edição do dia fechada ou praticamente fechada e ser informada de que algo extraordinário, muito importante e imprevisível acaba de ocorrer.

Foi assim nesta terça, quando parte da edição nacional já estava impressa e metade do país mergulhou no apagão elétrico de 2009.

Na quarta, como cada vez mais raramente ocorre, muitos leitores abriram a Folha e se surpreenderam com sua manchete, que tratava de um fato público da véspera que eles desconheciam (já que não poucos foram dormir sem ligar rádio, TV ou internet por falta de energia).

O trabalho na média foi muito bom: factual, isento, bem ilustrado com artes eficientes e fotos de impacto, edição atraente, diagramação agradável. Uma das poucas lacunas que notei foi não ter contado ao público nada sobre os bastidores de como esse trabalho foi feito.

Quem tiver curiosidade pode ouvir depoimentos interessantes dos jornalistas que participaram da operação no blog Novo em Folha, na Folha Online (http://is.gd/4TjOT).’

***

‘Onde a Folha foi bem’, copyright Folha de S. Paulo, 15/11/09

‘MURO DE BERLIM

Está caprichado e completo material sobre 20 anos da queda do muro de Berlim ao longo da semana

FGTS

Na terça, nova manchete econômica que afeta o interesse material e direto de milhões de brasileiros: FGTS tem em 2009 o menor ganho da história

…E ONDE FOI MAL

FORT HOOD

Edição avalia mal e enfatiza pouco possíveis consequências políticas das mortes em Fort Hood provocadas por coronel psiquiatra muçulmano

HONDURAS

Leitor está desde o dia 5 sem explicação para o aparente fracasso do acordo promovido pelos EUA em Honduras, fartamente interpretado em seu anúncio em 31 de outubro

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS DA SEMANA

1. Aluna assediada em faculdade

2. Página Saber

3. Apagão

PRÓ-MEMÓRIA

Nesta quarta-feira faz um ano que Andréia Cristina Bezerra Nóbrega morreu em consequência de sua queda, com o filho, do apartamento onde moravam em Guarulhos. Seu ex-marido foi denunciado como suspeito de homicídio e tentativa de homicídio (o menino sobreviveu). Como está o caso?’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem