Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

VOZ DOS OUVIDORES > THE NEW YORK TIMES

Continua a polêmica sobre anúncio do MoveOn

02/10/2007 na edição 453

A última coluna de Clark Hoyt, ombudsman do New York Times, tratou do anúncio do grupo liberal MoveOn e rendeu 350 mensagens de leitores. Por isso, neste domingo [30/9/07], o tema continuou em destaque. O grupo pagou valor abaixo da tabela pela publicação de uma peça crítica ao chefe das Forças dos EUA no Iraque, general David Petraeus – no mesmo dia em que ele testemunharia no Congresso sobre a previsão para a retirada dos soldados americanos do país.

Muitos leitores acusaram o ombudsman de, ao criticar a publicação do anúncio, limitar o debate público sobre o conflito no Iraque. Hoyt alega que acredita profundamente na liberdade de expressão, mas diz que é preciso diferenciar o direito das organizações de expressar suas opiniões e o direito do jornal de aceitar publicá-las ou não.

Regras

O NYTimes tem normas sobre aceitação e rejeição de anúncios publicitários. Algumas delas: não são publicados anúncios daqueles que negam o Holocausto, nem peças racistas, as consideradas de mau gosto ou as que ofendam alguém. Para o ombudsman, o anúncio do MoveOn violou estas regras.

Outros leitores escreveram para saber por que o jornalão cobrou um valor abaixo da tabela ao grupo antiguerra. Como o NYTimes não revelou o responsável, no departamento de vendas, pela negociação, não é possível saber se o abatimento no preço foi intencional. Mas, com mais de 40 anos de experiência na indústria jornalística, Hoyt admite que o setor publicitário se guia mais pelo lucro do que pelo manual da redação.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem