Sábado, 23 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

VOZ DOS OUVIDORES > FOLHA DE S. PAULO

Crítica interna

Por Marcelo Beraba em 21/11/2006 na edição 408

17/11/06

Folha e ‘Estado’ deram grande destaque – com infográfico, no caso da Folha – para o resultado parcial das investigações do acidente que derrubou o Boeing da Gol: ‘Relatório oficial sugere falha do controle aéreo’ (Folha) e ‘FAB aponta Legacy fora de rota e pane de comunicação’ (‘Estado’).

Os jornais do Rio comemoraram o acordo firmado entre o governador eleito do Estado, Sérgio Cabral, e o prefeito do Rio, Cesar Maia: ‘Cabral e Cesar fazem união inédita no Rio’ (‘Globo’) e ‘Cabral e Cesar acertam ação conjunta em obras no Rio (‘JB’).

Modelo

Observei ontem, na Crítica Interna, que a edição da morte da modelo Ana Carolina na Primeira Página tinha esfriado a notícia. A Secretaria de Redação ponderou que a notícia da morte já havia sido dada na Edição SP de anteontem (foi um furo, portanto). Mas a notícia ainda não havia saído na Edição Nacional. De qualquer forma, continuo achando que, tal como foi editada, a notícia perdeu força.

Sobre o uso do recurso do que a Redação chama de ‘caramelo’ (os destaques coloridos na capa do jornal), a Secretaria de Redação admite que possa esfriar o assunto, mas acha que isso seria compensado por ‘um tratamento visual mais sofisticado’.

Juízes

O jornal recuperou hoje o furo que levou ontem dos outros jornais que cobriram a abertura do congresso da Associação dos Magistrados Brasileiros, em Curitiba (‘Pesquisa mostra que juízes querem lei eleitoral mais dura’, pág. A8 da Ed. Nacional e A9 da Ed. SP). Mas passou ao largo do questionamento do patrocínio do congresso.

Acredita, deve, cogita

Profusão de textos com verbos imprecisos.

– ‘CPI vê ligação entre deputado petista e envolvidos com dossiê’ (pág. A9 da Ed. Nac. e A8 da Ed. SP): ‘…Fernando Gabeira disse acreditar que Abicalil [deputado Carlos Abicalil, PT-MT) tenha envolvimento’. É uma questão de fé, portanto.

– ‘PF cogita atribuir a envolvidos no caso do dossiê responsabilidade por crime eleitoral’ (pág. A9 da Ed. Nac.) e ‘PF pode indiciar envolvidos no dossiê por crime eleitoral’ (A8 da Ed. SP). Em relação ao caso dossiê, a questão levantada ontem por Janio de Freitas continua pertinente: de que crimes foram acusados os petistas na hora da prisão em SP?

– ‘Serra deve dar pasta a engenheiros que trabalhou com FHC’ (pág. A10): ‘…o governador eleito estuda criar…’, ‘…José Luiz Portela deverá assumir…’, ‘…a secretaria … deverá ser ocupada…’, ‘…Portela … teve o nome cogitado…’, ‘…ele está cotado…’, ‘…Pinotti é apontado…’.

Aliás, como é uma reportagem inconclusa sobre o futuro secretariado de Serra, não há justificativa jornalística para o destaque que teve na Edição Nacional. Em compensação, uma informação relevante para os leitores do Rio (que recebem a Edição Nacional) foi ignorada pelo jornal, que foi o surpreendente acordo firmado entre o governador eleito Sérgio Cabral e o prefeito Cesar Maia.

Imprecisões

O texto ‘Cartel pagou ação do M-19, diz informe’ (pág. A13 da Ed. Nac.; na Ed. SP, ‘Escobar financiou guerrilha, diz informe’) não informa quantos foram mortos na tomada do Palácio da Justiça, em Bogotá, em 1985. Segundo texto, foram ‘centenas de mortos’. Fala também em ‘diversos reféns’ torturados e assassinados pelas Forças Armadas.

Ortotanásia

Entendo que o caderno ‘Cotidiano’ estava hoje repleto de assuntos relevantes que justificam os destaques que tiveram, como o relatório sobre morte de jovens, o laudo do acidente aéreo que derrubou o Boeing da Gol, o caso da modelo morta por anorexia, o impasse no caso do Incor, o aumento das tarifas de ônibus e (ufa!) o pedágio na marginal. Mesmo assim, acho que ficou prejudicado, principalmente na Edição Nacional, o depoimento mais forte do jornal, a entrevista com a pedagoga Haydee Barone que acompanha o noticiário sobre a ortotanásia (‘Com câncer, pedagoga não quer ficar na UTI’, C11 da Ed. SP).

‘Esporte’

O título da nota da capa do caderno é para iniciados: ‘Surpresa: Levantadora do Japão é a MVP’. O texto não explica o que vem a ser MVP. Supõe que todos os leitores saibam do que se trata.

‘Ilustrada’

O texto ‘Mídia dos EUA é racista, acusa cineasta’ (pág. E6 de ‘Ilustrada’) informa erroneamente que o filme ‘Caminho para Guantánamo’ ‘estréia hoje no país’. No Rio já estreou há dias.



16/11/06

A Folha ‘esfriou’, na Primeira Página, a notícia da morte, por anorexia, da modelo Ana Carolina Reston Marcan (‘Modelo morta por anorexia usava droga para emagrecer com 46 kg’). Digo esfriou porque deu à notícia o mesmo tratamento gráfico dos suplementos (‘Equilíbrio’ e ‘Turismo’) e de ‘feature’ (‘Os bastidores do supercasamento de SP’). Ela está editada com certo glamour, provavelmente para evitar um tom sensacionalista. Mas, como está, enfraqueceu uma notícia que interessa a todos e que funciona como uma advertência, principalmente para os leitores que tem filhos na pré-adolescência e no começo da idade adulta.

O ‘Estado’ foi mais direto: ‘Morte de modelo por anorexia traz alerta’, com um complemento: ‘Na internet, a inimiga comida’. O ‘Globo’ reservou o seu alto da Primeira Página para um quadro com destaque, mas com título sem a força da manchete: ‘Anorexia leva modelo de 21 anos à morte’. Tem a foto da mãe da modelo: ‘Cuidem de seus filhos. Não tem o que sare a dor’.

Os jornais de banca foram mais explícitos, com manchetes: ‘Modelo morre ao passar fome para emagrecer’ (‘Extra’), ‘Ditadura da magreza leva modelo à morte’ (‘O Dia’, do Rio) e ‘Modelo passa fome para ficar magra e morre com 40 quilos’ (‘Diário de S. Paulo’).

Com uma quarta-feira relativamente calma em termos de notícias nacionais por causa do feriado, as manchetes dos grandes jornais são diferentes e nenhuma delas tem informações exclusivas relevantes.

Folha – ‘INSS e gasto com pessoal dificultam investimento’.

‘Estado’ – ‘Governo estuda MP para ajudar o Incor’ e ‘Por eleitor, Lula trava reforma da Previdência’.

‘Globo’ – ‘Nem aquartelamento acaba com atrasos em aeroportos’.

Ao publicar, na Primeira Página, a foto de Dunga, treinador da Seleção Brasileira, a Edição SP da Folha corrige parcialmente uma falha da Edição Nacional. Embora o texto interno (pág. D4) informe que o treinador ‘mais uma vez ousava no figurino’, não há na Edição Nacional a imagem do figurino ousado. Foi uma correção parcial, porque a foto na capa do jornal não faz referência à moda ousada de Dunga, que chamou mais atenção do que o futebol do time brasileiro.

Na capa do ‘Globo’, com foto: ‘Um show de estilo, com pouco futebol’.

Está errado o desenho da tartaruga publicado na Primeira Página da Edição Nacional? Na Edição SP, o desenho é outro e o animal é identificado como tartaruga-da-amazônia.

Dossiê

A coluna de Janio de Freitas de hoje – ‘Dossiê dos silêncios’ – traz um rol de questões que deveriam ser cobradas pelo jornal à Polícia Federal, ao Ministério Público e à Justiça. A principal indagação do colunista é a seguinte: de que crimes foram acusados os petistas na hora da prisão em SP? Ele entende que não foi explicitado até hoje o fundamento do ato de prisão.

O ‘Estado’ informa que a Polícia Federal ‘relaciona 11 crimes na compra do dossiê Vedoin’. Três são atribuídos a Luiz Vedoin (extorsão, chantagem e ocultação de documento) e os outros oito aos petistas, quase todos eles relacionados à origem do dinheiro encontrado no hotel e um a estelionato (atribuído a Hamilton Lacerda).

O jornal prestará um bom serviço ao se debruçar sobre este aspecto do caso do dossiê, que ainda está confuso e continua a gerar informações a conta-gotas, incompletas e inconclusas (como hoje, ‘Telefonemas ligam deputado do PT a envolvido com dossiê’, pág. A7).

Juízes

A coluna de ontem de Brasília (‘Os juízes e os patrocínios’, de Fernando Rodrigues) chamou a atenção para o congresso da Associação dos Magistrados Brasileiros, iniciada ontem à noite em Curitiba com o patrocínio questionável de grandes empresas privadas e do Banco do Brasil. A notícia gerou, inclusive, uma carta no ‘Painel do Leitor’ de hoje (‘À luz do dia’, pág. A3). Mas não houve cobertura do jornal.

Segundo os jornais que cobriram – vi reportagens no ‘Estado’ e no ‘Globo’ -, foi divulgado o resultado de uma grande pesquisa com juízes. Não sei se perguntaram se acham normal ser patrocinados por empresas que têm ações na Justiça. Se sim, por que? Há outras questões que o jornal poderia ter levantado em Curitiba: A ética será discutida no congresso? Houve reação à notícia da Folha?

O jornal cobriu bem o evento patrocinado pela Febraban para 40 juízes no feriado de 7 de setembro. O tema volta a interessar.

Vale x índios

O ‘Estado’ informa que a Vale do Rio Doce entrou com uma petição contra o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos (OEA). A Vale quer fazer o governo federal assumir as responsabilidades pelas comunidades indígenas que hoje recebem ajudas da empresa. É ainda a discussão sobre o caráter desta ajuda, que apontei como um dos pontos obscuros do conflito na coluna do domingo retrasado (‘O Pará é logo ali’). A Funai e os índios acham que a ajuda é uma obrigação legal garantida por decreto presidencial e a Vale acha que não tem a obrigação por ter havido uma revisão do tal decreto. O assunto continua, portanto, obscuro.

Modelo

O jornal não ouviu a agência para a qual trabalhava a modelo Ana Carolina Reston Marcan.



14/11/06

O ombudsman participa hoje do seminário ‘Zonas Urbanas Desfavorecidas’, organizado pelo governo da França no Rio de Janeiro. Por esse motivo, não haverá crítica interna.



13/11/06

Hoje, excepcionalmente, não circulará a crítica interna do ombudsman.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem