Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

VOZ DOS OUVIDORES > THE WASHINGTON POST

Falha na missão de cobrir a política e os políticos

10/04/2012 na edição 689
Sobre artigo de Patrick B. Pexton, de Washington (EUA)

Quando o ator George Clooney foi à Washington, no mês passado, participar de um protesto pedindo ao Congresso que não esquecesse a violência no Sudão, recebeu ampla atenção do Washington Post, comenta, em sua coluna [6/4/12], o ombudsman Patrick B. Pexton. O destaque à causa por conta da participação do ator – que acabou preso – incomodou Dan Scandling, chefe da equipe do deputado republicano Frank R. Wolf, que representa comarcas da Virgínia do Norte. Wolf é tido como o especialista em Sudão no Congresso. O deputado já visitou o país seis vezes e acompanha seus problemas há duas décadas. No entanto, ele quase não recebe cobertura do Post sobre o tema.

A pouca atenção dada aos políticos locais repetiu-se na recente controvérsia sobre nova regra aprovada pelo presidente Barack Obama que obriga empregadores afiliados a uma religião a oferecer métodos contraceptivos, gratuitamente, a funcionárias. A regra foi elaborada pela senadora democrata Barbara Mikulski, de Maryland, que trabalha com o tema de saúde da mulher há 35 anos. Ela não foi consultada em nenhuma das matérias.

Partes de um todo

Membros do Congresso que são da Virgínia ou de Maryland recebem quase nenhuma atenção do jornal. Isto se deve, em parte, à mentalidade das editorias de notícias nacionais e internacionais, que não veem os distritos de Columbia, Maryland e Virgínia como partes separadas, mas sim como integrantes de Washington. Não é que não haja cobertura alguma – nos últimos 15 meses, houve uma cobertura consistente dos membros locais em temas como financiamento federal, necessidades locais de transporte e disputas eleitorais. Entretanto, membros do Congresso reclamam que os assuntos nos quais costumam investir mais tempo não recebem destaque. “Acredito que temos que nos perguntar se estamos escrevendo o suficiente sobre o trabalho que os membros locais do Congresso estão fazendo em seus distritos”, comentou o editor da seção de notícias locais, Vernon Loeb.

O ombudsman vai além e afirma que o Post poderia estar fazendo um trabalho melhor. Segundo o relatório “O Estado da Mídia 2012”, do Pew Research Center, leitores citam a cobertura de política e governo locais como uma das principais razões por que assinam ou leem um jornal local, seja na versão online ou impressa. A internet aprofundou o interesse nos temas locais – e não o contrário. “Se os jornais não cobrirem o trabalho dos políticos eleitos – e não apenas a disputa eleitoral – como as pessoas podem julgar se estão fazendo seus trabalhos ou não?”, indaga Pexton.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem