Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

NETBANCA >

Mara Gama

30/09/2008 na edição 505

‘Em agosto, foram 361 mensagens de internautas analisadas e tratadas pela ombudsman do UOL, com auxílio e suporte da central de atendimento do UOL.

A área de Esporte, devido à Olimpíada, foi tema de 85 mensagens de internautas.

Em segundo lugar, os temas mais abordados na comunicação com a ombudsman foram o Bate-papo – por causa da reformulação da navegação e do layout- , a Home page do UOL, e UOL Notícias, cada uma das três áreas com 33 mensagens.

Reclamações sobre publicidade, interrupção de exibição de Band News e Band Sports e problemas com webmail do UOL somaram 25 comunicações.

Pegadinha publicitária confunde leitor

O leitor Tiago reclamou: ‘Fui enganado por uma propaganda no UOL. Quando acessei a página do UOL vi uma imagem que me pareceu ser um carro em um alagamento.

Acreditando se tratar de um alagamento em alguma região de São Paulo cliquei na imagem e fui redirecionado para um blog que parecia um blog de piadas de fora do UOL. Achei estranho que o UOL estivesse noticiando em um espaço tão nobre, o primeiro lugar que as pessoas olham no site, um link para um blog externo. Só depois percebi que na verdade era uma publicidade. Me senti enganado. Assino o UOL por acreditar que seu conteúdo é de qualidade e, como está ligado ao maior jornal do país, confiável’.

O UOL deveria zelar pela qualidade do que é publicado sempre e ser ainda mais exigente nas áreas nobres como a foto principal da home page do portal.

O leitor confundiu a foto usada em publicidade com conteúdo noticioso, devido ao aspecto ‘realista’ da foto do carro. Embora houvesse uma mensagem acima da foto, a leitura da imagem é sempre mais rápida que a do texto.

Por mimetizar material editorial, considero que o anúncio fere as regras de Publicidade do UOL. Segundo a regra vigente, ‘anúncios que, para o UOL, simulam material do próprio UOL, notícias do UOL ou material editorial de parceiros do UOL e que com isso permitam a confusão entre notícia e produto editorial com informe publicitário e anúncio devem ser recusados pelo UOL. O uso de tipologia, cores e layout de páginas de conteúdo do próprio UOL são considerados meio de proporcionar esta confusão.’

O anúncio é uma ‘pegadinha’ publicitária. Ao clicar, se cai num site que parece um blog de humor.

‘Meu carro se matou. Reze para o seu não virar pauta’, se lê no cabeçalho do blog. Só na última linha da página está escrito: ‘Este blog faz parte de uma ação publicitária’.

Ninguém vai acreditar que um carro se matou, claro, mas o caso é que alguém, como Tiago, acreditou em primeiro lugar que se tratava de notícia e em segundo que se tratava de conteúdo de humor do UOL.

Se fosse um site de humor do UOL e estivesse sendo chamado na home page do UOL, teria chancela do portal. É assim que a página é lida.

Assim, por fim, pela falta de informações claras no blog, o leitor achou que a pegadinha era do UOL, conforme ele explica: ‘Ainda não descobri que empresa e de qual produto aquela publicidade era. Como não sei que empresa está por trás do site acredito que o UOL é responsável pelo mesmo.’

O anunciante deve ficar satisfeito, pois a campanha se vale, voluntariamente ou não, da confusão entre o produto e o portal. Mas e o UOL? na minha opinião, o

UOL se desgasta à toa.

Enor Paiano, diretor de Publicidade do UOL, considera que ‘o anúncio realmente é polêmico ao fazer uma paródia da linguagem jornalística. Mas não acredito que viole as nossas regras pois não mimetiza nenhuma característica detectável das notícias exibidas neste espaço da home page do UOL. Entre elas, tipologia, cor de fundo, local onde o texto é colocado. Além de ter um aviso bastante visível de que trata-se de publicidade’.

Intercalação de anúncios prejudica imagem

Muitos leitores reclamam na intercalação entre publicidade e conteúdo editorial no espaço nobre de imagem na home page do UOL. O UOL não é o único portal a fazer isso no Brasil, mas isso não diminui a indignação dos leitores. Eles reclamam por se sentirem capturadas pelo conteúdo editorial e logo em seguida verem um anúncio no decorrer da animação.

O internauta Marcio considera desagradável: ‘Quando clicamos em ‘‘próximo’’ na tela principal, para ver uma notícia – aparece imediatamente uma propaganda – isto é megadesagradável. Combinei com os alunos a quem atendo hoje sempre que uma propaganda forçada aparecer, não fique nervoso simplesmente registre a marca para nunca comprar, e ainda se tiver oportunidade, fale mal. Irônico, eu sei, mas é o troco do exagero e abuso’.

O leitor Alexandre também protesta: ‘Gostaria de fazer uma crítica àquelas imagens que estão na primeira página do portal, que são fotos do UOL Notícias. Acho aquele recurso excelente, mas detesto as propagandas que vêm mescladas às mesmas fotos. Por favor, tirem-nas dali e coloquem-nas em outro local da página’.

A situação piora quando se trata de conteúdo de governos. A inserção de propaganda de governos no espaço proporciona leitura de adesão do portal.

Foi este o teor da mensagem do leitor Alexandro: ‘Compreendo a venda dos espaços, apesar de acreditar que devessem ser vendidos para empresas e não para partidos políticos. O fato é que a mídia constantemente se diz atacada pelo governo no que diz respeito à sua liberdade e obviamente não estou defendendo que não se tenha liberdade, mas a vinculação de partidos políticos a empresas de mídia abre espaço para a discussão da liberdade de imprensa. Acredito que se UOL pretende tomar de forma direta partido na esfera política deve fazê-lo de forma aberta e transparente. O que soa ridículo é se julgar neutro e se mostrar parcial. A venda dos espaços publicitários para partidos políticos dentro do UOL, na minha maneira de ver, soa como manipulação e deveria ser evitada pelas empresas que querem ser consideradas sérias’.

Zelar pela navegação

Leitores apontaram problemas para acessar e-mail a partir das home pages do UOL e do BOL devido ao posicionamento dos anúncios.

O leitor Henry relatou que um banner na home page do UOL o impedia de acessar o e-mail. ‘Eu gostaria de saber até quando este banner vai ficar atrapalhando a caixa onde a gente escreve os dados para entrar no e-mail. Que coisa mais chata e inconveniente’. O internauta Joaquim apontou o mesmo erro.

Em alguns testes, verifiquei que o comportamento do banner era este quando se usava uma versão do browser Firefox. O problema deveria ter sido detectado pelo UOL no momento da inserção do anúncio. Graças ao leitor, poderá ser solucionado.

O leitor Bruno apontou a dificuldade para acessar sua caixa postal no BOL. ‘No que pese a gratuidade do serviço de e-mail do BOL, tenho como abusiva e extremamente impertinente as propagandas que surgem na tela do computador em forma de uma janela suspensa, que aparentemente não se trata de um ‘‘pop-up’’, pois não é bloqueado pelo ‘‘browser’’, porém age como tal. É irritante, a ponto de não permitir, em certos momentos, ler as manchetes do site, pois insiste em anunciar o produto’.

Neste caso, um monitoramento constante da página deve ser feito, para tomar providências caso novos anúncios interfiram na navegação.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem