Terça-feira, 19 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

VOZ DOS OUVIDORES > UOL

Mara Gama

26/08/2008 na edição 500

‘O UOL lançou nesta quarta-feira, 20, a nova versão do seu bate-papo.

O Bate-papo UOL nasceu junto com o portal, em abril de 1996. No final daquele ano, a capacidade do bate-papo era de 1,2 mil pessoas conversando simultaneamente. No ano seguinte, a capacidade foi ampliada para 10 mil pessoas com acesso simultâneo. Em 1998, eram 20 mil lugares.

O sistema que foi atualizado hoje ampliou a capacidade do Bate-papo UOL para 150 mil pessoas, em 6.627 salas. Foram criadas salas novas para várias cidades e não foi fechada nenhuma sala, mas houve uma reorganização temática.

As novidades, segundo a divulgação preparada pelo UOL, são:

* navegação por abas

* recurso de criar atalhos para cinco participantes

* opçâo de versão simples e completa

* leitor RSS de notícias, atalho para Rádio UOL, sons Midi na versão completa

* novo layout das salas

* inclusão de novos emoticons

* 100 salas para assinantes com temas namoro, regiões, idades e a dois

A mudança de visual foi significativa.

O layout anterior ficou no ar sete anos, tendo sido criado em 2001 e sofrido algumas alterações nos últimos anos.

As alterações de interface e recursos foram preparadas ao longo de quatro meses.

Em maio de 2008 foi feito um teste qualitativo de usabilidade.

Depois foram abertas salas teste, com link na home page do bate-papo, para que a equipe pudesse acompanhar o comportamento e os comentários do público.

Cerca de 5 mil internautas testaram estas salas, de acordo com Ricardo Fotios, gerente geral de bate-papo e webmail do UOL.

A mudança num dos pontos de encontro mais populares da internet brasileira não passou batida.

No grupo de discussão aberto especialmente para este fim as 9h da manhã desta quarta, foram inseridas mais de mil mensagens, até as 21h.

Das 9h as 17h, foram postadas 654 mensagens no grupo de discussão. Analisadas no detalhe, as 654 mensagens apontavam 819 temas, assim divididos:

* críticas quanto à navegação e layout – 267

* dificuldades técnicas – 258

* elogios – 140

* descontentamento não especificado – 102

* pedidos de salas – 21

* pedidos de recursos – 10

* outras sugestões – 11

* comentários genéricos – 6

* dúvidas – 4

Através de alertas dos usuários – o grande volume das categorizadas acima como ‘dificuldades técnicas’ – foi possível verificar uma falha do sistema em navegadores Explorer 6.0.

Para quem usava esta versão do navegador, o bate-papo travava e o botão sair não funcionava. Segundo o gerente geral de bate-papo e webmail, Ricardo Fotios, foram feitos testes durante a tarde e atualizações na programação e o problema foi resolvido.

Fotios também informa que é possível navegar com a interface antiga, que ainda tem link na home page do serviço.

‘O Grupo de Discussão sobre o tema ficará aberto, pois é um importante mecanismo de comunicação com o usuário. Todas as sugestões serão analisadas’, diz Fotios.

Recorde no formol

No último dia 14, o nadador Cesar Cielo bateu o recorde olímpico dos 50 metros nado livre, na fase eliminatória da prova, com o tempo de 21s47.

A antiga marca pertencia ao russo Alexander Popov, que nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, fez o tempo de 21s91.

Dois minutos depois de Cielo, o francês Amaury Leveaux superou o brasileiro, baixando em um centésimo a marca.

Nas páginas e na reportagem do site especial de Olimpíadas, a notícia foi atualizada: ‘Cielo torna-se recordista olímpico por instantes’, diziam os títulos.

A home page do UOL manteve o título ‘Cielo bate o recorde olímpico dos 50 m livre’

A internauta Olivia escreveu para a ombudsman apontando o erro:

‘A informação foi colocada logo pela manhã na home page do portal e, por volta das 14h40, permanecia como destaque.

Porém, pouco depois de bater o recorde – exatamente dois minutos –, o nadador francês Amaury Leveaux superou a marca histórica de Cielo, cravando novo recorde.

E o UOL insistia em não atualizar a informação, deixando como destaque até esta tarde. Ou seja, quem estava querendo saber sobre o dia das Olimpíadas e se atualizou pelo UOL, ficou mal informado’.

Perguntado sobre o porque da manutenção do enunciado na home page do UOL, O gerente geral de Notícias, Rodrigo Flores, respondeu:

‘A manchete foi motivo de discussões internas. No balanço, avalio que a decisão de manchetar o recorde do Cielo foi correta. Vamos aos fatos: Cesar Cielo quebrou o recorde olímpico.

Dois minutos depois, nadador francês superou a marca do brasileiro. O segundo fato desqualifica o primeiro? Claro que não. Quando olharmos o histórico de todos os recordistas olímpicos, o nome de Cielo estará lá. Isso é tremendamente raro para a natação brasileira – apenas segunda vez em mais de cem anos. Nossas opções de manchete diante disso:

* Cielo quebra o recorde dos 50 m livre

* Cielo vence eliminatória e vai à semifinal

* Cielo chega às semifinais com o 2º tempo

Avalio que a primeira é infinitamente melhor. E esse foi o caminho escolhido.

Vale ressaltar que a nota do UOL Esporte sempre esteve certa. Sempre trouxe essas informações acima, não cabendo aí margem de dúvida sobre a sucessão dos fatos.’

Encaminhei a resposta à internauta, que replicou:

‘É claro que o recorde de Cielo foi um grande feito para a natação brasileira – porém, não era um fato inédito! Além disso, o fato dele ter sido quebrado, tira toda a importância da conquista, já que, logo depois, apareceu um atleta com melhor desempenho do que o dele.

O próprio significado da palavra recorde comprova o erro cometido pela edição da home page do UOL.

Segundo o ‘Aurélio’ e o ‘Houaiss’, recorde é uma proeza desportiva verificada oficialmente e que sobrepuja o que foi feito anteriormente no mesmo gênero e nas mesmas condições.

Ou seja, o Cielo foi recordista, por alguns instantes, conforme informado corretamente pelas editorias Esportes e Olimpíadas.

Reitero, portanto, que o UOL informou erroneamente seus milhões de leitores e, acima de tudo, não soube avaliar bem o conteúdo informacional nem mesmo assumir, humildemente, os erros cometidos’.

Concordo com a internauta. Havia a opção de dar o título conforme o site de Olimpíadas, mostrando que o recorde durou o tempo que durou.

Consultada novamente, a edição da home page do UOL não admitiu que houvesse erro.

***

Onde estão os vídeos? (18/8/08)

O UOL não tem direito de transmitir ao vivo ou sob demanda imagens das competições olímpicas na internet.

Segundo o Gerente geral de Esporte, Alexandre Gimenez, o portal buscou ‘negociar com o Comitê Olímpico Internacional, em outubro de 2006, mas a entidade que organiza os jogos optou por vender os direitos para internet no Brasil para outra empresa’.

São direitos exclusivos. Ou seja, quem paga pega tudo e não tem para ninguém.

Segundo reportagem do IDG Now, o portal Terra teria investido U$ 7 milhões de dólares no projeto total das transmissões para a internet, custos que seriam em parte repassados para as operadoras de telefonia móvel pela exibição das Olimpíadas via celular.

Pois bem. Por não ter estes direitos, o UOL, que retransmite para a internet os canais BandSports e BandNews, tem de interromper as transmissões sempre que há entrada de imagem das competições.

Com uma grade de programação repleta de entradas de boletins olímpicos, foi tomada a decisão de suspender a transmissão ao vivo.

Por e-mail e pelo blog, leitores cobraram transparência, alegando que a interrupção não fora noticiada.

Estavam certos. Procurei mais informações sobre o assunto. Não obtive resposta de imediato, mas, alertada pelas reclamações dos leitores, a Redação repensou a decisão e está buscando uma solução para o caso.

Onde estão os vídeos? capítulo 2

Mesmo sem ter as imagens das competições, o UOL enviou repórteres e equipe de TV para Pequim. Em março, foi Marcelo Tas, numa viagem exploratória que virou a série Tas na China . Agora, durante os jogos, há repórteres que captam e produzem vídeos na China e a reportagem no Brasil, registrando repercussão e entrevistas dos atletas por aqui.

Onde estão estes vídeos? Se você começar a navegação pela home page do UOL e clicar TV UOL e Vídeos, vai cair na home page do canal TV UOL. Ali não há link fixo para Olimpíadas.

Se pensar que Olimpíadas podem ser parte de Esporte, pode clicar na barra da esquerda de home da TV UOL sobre a palavra Esporte . E não vai achar nada de Olimpíadas.

Você encontrará os vídeos de Olimpíadas na navegação do site especial, clicando em vídeos.

Se por acaso pensar que o UOL tem conteúdo feito por seus enviados especiais e achar sugestivo o link UOL em Pequim na home page do site especial, não vai encontrar os mesmos vídeos.

Ali, estão listadas reportagens e fotos.

Seria bom rever a navegação dos vídeos para dar mais visibilidade aos exclusivos do portal.

Esporte não é só Olimpíada

Para destacar as Olimpíadas, o UOL alterou sua home page inserindo um bloco temático móvel, com manchetes, chamadas, fotos, quadro de medalhas e links para blogs, resultados, agenda e mais fotos.

O bloco fica do fim da noite até o início da tarde na porção superior da página de abertura do UOL, e então, de tarde, cede espaço para o bloco das notícias ‘quentes’, que deve destacar política, economia, assuntos internacionais, cultura e… esporte.

A edição por blocos temáticos tem a vantagem de reunir links relacionados de um mesmo assunto. Mas pode tirar a visão geral e o mix do topo da página que, imagino eu, seria desejável manter.

Para Alexandre Gimenez, o espaço das Olimpíadas na home page do UOL é adequado na maior parte dos casos. ‘Porém, em casos excepcionais, como conquistas de medalhas por atletas brasileiros, acredito que esse noticiário deveria migrar do bloco temático para o topo da página durante o dia’, diz.

Alguns leitores que escreveram a ombudsman se ressentiram do que pode ser um outro subproduto da edição por blocos temáticos. Para o leitor Carlos, de Juiz de Fora, o assunto futebol foi banido da home page do UOL. Ele pergunta: ‘Onde andam as notícias sobre o futebol brasileiro e o Brasileirão? Não tenho encontrado nada na página inicial, nem mesmo um link. Vou acabar mudando minha página inicial se continuar como está’.

Fala o Gerente geral de Notícias, Rodrigo Flores, responsável pela edição da home page do portal: ‘O bloco fixo de Esporte foi substituído por outro de Olimpíadas durante os Jogos. Ao final das competições em Pequim, retomaremos o espaço a home do UOL. Independentemente disso, lembro que os acompanhamentos da rodada e os resultados das partidas têm sido noticiados com destaque na home do portal’.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem