Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1034
Menu

VOZ DOS OUVIDORES >

Mara Gama

31/03/2009 na edição 531

‘Leitores apontaram ‘patrulhamento’, ‘manipulação’ e acusaram o UOL de ser tendencioso na cobertura da operação ‘Castelo de Areia’. Reproduzo algumas mensagens sobre o tema:

‘Chega a ser cretina a primeira manchete da página do UOL de hoje. O patrulhamento que vocês fazem no governo é tão escancarado que dá nojo. Por que vocês não citam na manchete (com a mesma enfase) o nome das outras 14 empresas que receberam mais dinheiro que a Camargo Correa do PAC? Isto é jornalismo?’.

*

‘Quer dizer que 8 PARTIDOS são mencionados na investigação e o UOL coloca como manchete ‘PT pode ser investigado por doações da empresa’. Manipulação pouca é bobagem… Estou cancelando minha assinatura desse provedor de ‘conteúdo’.

*

‘Está mais do que claro para todos que muitos partidos estão sendo investigados por receber dinheiro da Camargo Correa, entre eles os mais citados PSDB, PSB, PDT, PP, DEM e PPS, como, de resto, saiu na primeira página da versão impressa da Folha de S. Paulo. Não sejamos ingênuos em achar que o PT ficaria completamente de fora dessa. Esses ‘doadores de campanha’ não apostam em um único cavalo, para não correr o menor risco de apostar apenas no perdedor. Agora, a chamada na página inicial para o assunto é absolutamente tendenciosa. Não cita os outros partidos investigados e coloca o PT na manchete, como se fosse o principal alvo das investigações. E a FIESP, citada no despacho do Juiz? Quem não viu a versão impressa vai achar que o PT é o único a ser investigado. No corpo da matéria, a informação de que a Camargo Correa é a 15ª construtora que mais recebeu dinheiro do PAC. Estamos falando de uma das maiores construtoras do país e a 15ª posição, apenas, no ranking de repasse de recursos está longe de indicar favorecimento. Entretanto, as manchetes tentam induzir os leitores a pensar exatamente o contrário. Sinceramente, a Folha e o UOL ou brincam com os leitores ou os consideram perfeitos estúpidos.’

Confrontada com estas críticas – pertinentes e consistentes, no meu ponto de vista – a Redação afirma que o destaque dado às duas reportagens citadas foi indevido.

A resposta do gerente geral responsável pela edição da home page do UOL, Alexandre Gimenez:

‘Num caso complexo como a ‘Operação Castelo de Areia’, a missão da primeira página do UOL é prover o maior número de informações e pontos de vista ao internauta, obviamente sem nenhum viés partidário. Foi essa a motivação que fez o portal exibir na manchete de sua home page, na última quinta-feira, a matéria ‘Camargo Corrêa recebeu R$ 129 milhões do PAC’, produzida pelo site parceiro ‘Contas Abertas’. Porém concordo com o internauta que esse texto não merecia o ocupar o espaço mais nobre do portal. O lugar correto, talvez, fosse uma chamada menor, compondo material mais amplo. O mesmo raciocínio vale para a matéria ‘PT pode ser investigado por doações da empresa’, produzida pela Folha de S. Paulo’. De qualquer maneira, a equipe que edita a home page do UOL foi alertada para ter cuidado redobrado.’

É recomendável que se avalie continuamente os seus critérios e aprimore a avaliação das publicações. No caso do UOL, dar destaque na home page é chancelar a publicação.

E é engano pensar que publicar ataques diversos componha um bom quadro, amplo, e signifique ser apartidário. É apostar na confusão. As reportagens sem fundamento simplesmente não devem ser publicadas e muito menos destacadas. É preciso publicar apenas o que tem consistência e foi apurado.

Em artigo que comenta a crise econômica dos jornais, hoje, em sua coluna, o ombudsman da Folha de S. Paulo, Carlos Eduardo Lins da Silva, faz observação sobre a publicação da reportagem ‘PT pode ser investigado por doações da Camargo’ pela Folha Online, que foi chamada na home page do UOL e originou duas das críticas aqui citadas. Cito aqui:

‘Esta semana, na cobertura da Operação Castelo de Areia, a versão on-line da Folha deu uma derrapada feia, em decorrência de vícios estruturais dessa plataforma: a pressa me colocar no ar informações e a frouxidão dos controles. Das 8h41 às 10h30 de quinta-feira, a terceira chamda da página inicial da Folha Online tinha um titulo errado (‘PT pode ser investigado por doações da Camargo’) sem nenhuma base nas informações disponíveis. O erro, que não apareceu no jornal impresso, foi corrigido e o título mudado. O rigor e o cuidado imprescindíveis no jornal impresso devem ser obrigatórios no eletrônico. As sociedades decmocráticas podem até sobreviver sem jornalismo de papel, mas sem jornalismo independente serão castelos de areia’.

***

BBB, cobertura de TV e chamadas personalizadas (28/3/09)

Em uma única mensagem, nada elogiosa, o leitor Juan deu muitas janelas interessantes para discutir cobertura e edição no UOL.

A mensagem traz crítica ao destaque recebido pelo programa Big Brother Brasil no UOL, pergunta se a Globo ‘paga alguma coisa’ pelo destaque , cobra reportagens sobre outros programas de TV e sugere a personalização de chamadas.

Reproduzo a mensagem e comento na sequência:

‘Simplesmente não aguento mais ser agredido quando vomitam mais e mais informações (???) sobre essa baboseira da TV chamada BBB. Será que só existe na TV essa porcaria de programa? Eu, por exemplo, gosto de assistir às terças-feiras o programa ‘‘O Encantador de Cães’’ na Animal Planet. Nunca vi nem sequer uma referência a esse excelente programa. Será que a Rede Globo paga alguma coisa para vocês insistirem nessa imundície do BBB? Se há pessoas (????) que acham interessante essa porcaria, ponham um ‘‘path’’ para que só elas vejam e leiam. Eu não quero nem saber disso. Sinto-me insultado na minha dignidade e inteligência toda vez que entro e me deparo com fotos e notícias dessa pouca vergonha. Merecemos coisa melhor.’.

O programa Big Brother Brasil tem seguidores mais ou menos fanáticos, detratores idem e também os que o vêem como fenômeno midiático e antropológico, documento de novas práticas e padrões do que seja público e privado, real e ficcional, natural e fabricado e tantas outras duplas.

É também um dos elementos presentes na mudança na economia da rede de TV que teve por muitos anos as novelas como campeãs folgadas de audiência e que agora concentra nele um filão de patrocínio, merchandising e mídia espontânea bastante importante.

Portanto, não considero possível que o UOL passasse completamente ao largo de sua existência. Mas é importante analisar o grau de destaque, a frequência e o tipo de abordagem.

Pedi ao gerente geral responsável pela home page do UOL, Alexandre Gimenez, comentário sobre a mensagem do leitor. Gimenez ponderou que existe um público numeroso interessado no assunto – o que justifica as chamadas – e considera que o destaque dado ao programa é ‘discreto’.

Na opinião do editor de Entretenimento, Marcelo Negromonte, o destaque dado atualmente na home page do UOL é menor que o espaço dedicado ao programa nas edições anteriores.

Entendo estas ponderações, mas, ao mesmo tempo, como internauta, sinto que o programa invade a minha leitura da home page do UOL diariamente, mesmo quando não estou interessada.

Uma das hipóteses para esta sensação de excesso é o fato de a cobertura ser tão duradoura. O site especial do UOL foi ao ar em 8 de janeiro. O programa BBB na Globo começou em 13 de janeiro e termina 7 de abril. Durante os 70 dias já passados do programa, fiz uma estimativa de que deve ter havido chamadas 5 dias por semana, 54 dias, na home page do UOL. Em alguns dias, houve mais de uma chamada, e uma delas com foto.

São poucos os temas, além de eleições e campeonatos esportivos, que merecem cobertura tão extensiva. A repetição dos nomes e das caras faz com que, independente da vontade, você acabe ‘conhecendo’ os participantes. Será que é mesmo uma pauta obrigatória com esta frequência?

*

Um segundo fator que pode explicar a repulsa ao ‘noticiário’ do BBB: talvez visando o máximo de adesão ao suspense, a cobertura e as chamadas tratam os lances do programa como se fossem ‘reais’: ‘Flavio e Francine brigam, e a sister passa a evitar encontrá-lo na casa’, era uma chamada desta sexta, 27, na home page do UOL. Não há sinal de distanciamento. Não me surpreende que isso possa irritar alguns leitores.

*

Ainda que seja só uma forma de cutucar, a pergunta do leitor: ‘Será que a Rede Globo paga alguma coisa para vocês insistirem nessa imundície do BBB’ é boa para refletir.

A confusão sobre o que é site de cobertura do programa no UOL e o que é o programa na TV Globo aparece também quase diariamente nas mensagens de internautas que se comunicam com a Redação do UOL como se estivessem falando com a produção do programa. Há reclamações sobre as regras e desfechos do programa. O que isso quer dizer? Para Negromonte, parte da reclamações parece ser escrita por crianças. E outra por gente que realmente não faria diferença entre uma coisa -programa da TV – e outra -site no UOL.

*

O internauta Juan também se queixa de que o tipo de programa de TV que gosta, como ‘O Encantador de Cães’, não é tema de reportagens ou chamadas. Ele tem certa razão. A estação UOL Televisão se dedica aos campeões de audiência, como novelas, BBB, e séries da TV paga. A TV UOL tem como parceiros, por exemplo, Discovery Channel, com vídeos na íntegra disponíveis no site, mas este conteúdo não é frequentemente abordado nas notícias sobre TV. É assunto que poderia ser repensado.

*

Um último ponto a considerar, na mensagem do leitor, é a idéia de chamadas relativas a temas previamente selecionados (‘se há pessoas que acham interessante essa porcaria, ponham um ‘‘path’’ para que só elas vejam e leiam’). Ainda que não seja facilmente executável para um site com o tamanho e a audiência do UOL, é demanda que deve ser analisada, independentemente do formato final de sua realização.

***

Dia de imagens espetaculares (25/3/09)

Hoje foi um dia de grandes fotos na primeira página do UOL.

Há mais de 30 fotos no álbum ‘Fotos do Dia’ e muitas delas com alto grau de informação e ótimas qualidades plásticas. Pelo menos três foram chamadas no espaço nobre da home page do portal.

Da Reuters, sem link: Sete bebês tomam banho em baldes em IJmuiden, Holanda, durante uma aula de massagem para as mães.

Da AFP, sem link: Embalagem de preservativos que trazem a foto do papa Bento 16 e a frase ‘Eu disse não!’, em Paris, França, protesto contra a proibição da Igreja Católica ao uso de camisinha.

Distribuída pela EFE, creditada à IFW (uma organização protetora dos animais) e sem link: Navio de caçadores de focas carregado de peles do animal, no golfo de São Lourenço, no Canadá.

Pena que as legendas não tragam links para quem quer saber mais sobre os assuntos abordados. Ainda assim, foi um gol publicá-las na home page.

Boa foto, história perdida

Uma foto excepcional (da Reuters) esteve fora do espaço do alto da home page nesta quarta, aparecendo nos destaques do corpo da página. Tinha grande qualidade gráfica e dramaticidade, o que chamou a atenção para a história. Infelizmente, o caso foi mal contado, e a imprecisão começou com a legenda da home page.

Trabalhador observa janela quebrada na casa do ex-presidente do RBS, sir Fred Goodwin

Enquanto a página de economia legendava: ‘Por causa de pensão milionária, casa de banqueiro é atacada’, a home page do UOL dizia: ‘Manifestantes depredam casa de banqueiro’. Depois, corrigiu o verbo, mas manteve como ‘culpados’, ‘manifestantes’: ‘Manifestantes apedrejam casa de banqueiro’.

Equivocado atribuir um crime a ‘manifestantes’. Havia referência imprecisa à autoria do apedrejamento da casa no texto que era acessado via link da home page: ‘Os supostos manifestantes teriam se revoltado pelo fato de Goodwin ser considerado um dos responsáveis pelas dificuldades do RBS em meio à crise financeira global e ainda assim ter sido premiado com a pensão para a vida toda depois de ter se aposentado’.

Manifestantes fazem manifestações. O ataque teria sido feito de madrugada e um grupo ‘desconhecido’ teria mandado carta aos jornais locais assumindo a autoria do ataque. Por que ‘manifestantes’?

Mais preciso era o enunciado de outra matéria, sobre o mesmo caso, também publicada no UOL: ‘Casa de ex-chefe de banco britânico é alvo de vândalos’.

Além da imprecisão na chamada, o texto publicado em Economia que tinha link na home page do UOL deixou de explorar o histórico do personagem.

Goodwin, que comandou o Royal Bank of Scotland por oito anos, fazendo do RBS um dos maiores do mundo e depois levando o mesmo banco a um prejuízo de 24,1 bilhoes de libras em 2008, foi apelidado de ‘o pior banqueiro do mundo’, depois que a ‘Newsweek’ de dezembro (em inglês, aqui ) fez um artigo contando sua história.

A revista ‘Time’ incluiu seu nome na lista dos 25 culpados pela crise financeira internacional.

É um personagem e tanto. E sua história poderia ser melhor explorada.

Placar UOL – previsão de melhorias

‘Estou lhe escrevendo para reclamar da situação caótica do Placar UOL, especialmente o de futebol. Não foram poucas as vezes que, irritado por ver mudanças sem sentido no placar do portal, acabei por migrar para a concorrência’, escreveu o leitor Helder.

‘Não raras vezes me deparo com resultados de jogos que aconteceram há semanas, ou, então, o jogo ‘‘muda de lugar’’ simplesmente ao se clicar nele para observar detalhes.

Todas as áreas do site evoluíram no quesito navegabilidade e também no quesito facilidade, menos o placar de futebol, que permanece o mesmo há mais de 3 anos (acompanhei nele campanhas dos 3 títulos nacionais do São Paulo e também a Libertadores e o Mundial de Clubes, ganhos em 2005.

Acho que já passou da hora de o UOL seguir a tendência da internet e melhorar a navegabilidade de seu placar que, repito, em conteúdo, é o melhor do Brasil!!!’

Helder não é o único leitor que se queixa deste tipo de problema. Resultados que ‘mudam de lugar’, aparecem em datas erradas ou não podem mais ser pesquisados são problemas frequentes que aborrecem, com razão, os internautas que frequentam o UOL.

‘O Placar UOL, antes perfeito, ultimamente tem apresentado muitos defeitos. Toda vez que entro lá para acompanhar alguma partida, há alguma coisa de errado. Hoje, por exemplo, o jogo entre Aalborg e Manchester City está ‘fora de enquadramento’- só dá para ler metade do que está escrito na narração da partida, pois parte do texto está fora da área visível. Durante os jogos do Campeonato Paulista é muito comum os jogos estarem no dia errado. E o pior é que às vezes essa mudança ocorre DURANTE a partida… na hora em que a tela é atualizada, MUDA o jogo e volta para um jogo que já ocorreu’, escreveu o leitor Diego.

A Redação está ciente dos problemas. Recebe cópia de todas as mensagens enviadas para a ombudsman sobre o assunto e também analisa os comunicados de erros que os leitores mandam diretamente pelo botão ‘comunicar erros’.

Segundo o editor de Esporte, Murilo Garavelo, o sistema está sendo ampliado e foi mantido no ar mesmo com bugs porque a interrupção causaria mais dano aos internautas que os eventuais erros. ‘O Placar UOL Esporte acompanha dezenas de jogos simultaneamente, veiculando enorme quantidade de informação em tempo real para um fluxo de audiência gigantesco. O desafio (editorial, de equipe e tecnológico) de construir uma interface adequada, confiável, para exibi-la é enorme’.

Pedi uma previsão para a resolução dos problemas:

‘Já na madrugada desta sexta-feira (27) para sábado, o novo Placar UOL Esporte de F-1 estará no ar, para a cobertura dos treinos oficiais do GP da Austrália, o primeiro do ano. O de futebol será utilizado no dia 9 de maio, data do primeiro jogo do Campeonato Brasileiro’, disse o editor.

***

Dica para tapear o fisco (24/3/09)

‘Acabei de me deparar com uma matéria na capa do UOL que me chamou muito a atenção. Fiquei impressionado em ver no maior portal do Brasil, uma matéria de capa que dava dicas de como sonegar impostos. Não quero parecer hipócrita, pois sei o quanto já pagamos de impostos para o governo, e sei que a dica que a matéria dá é praticada por muitas pessoas que fazem compras no exterior via Internet. Só quero deixar aqui registrado meu ‘susto’ ao ver uma matéria desse tipo, que sugere atitudes de certa forma ilícitas, exposta bem na capa do maior portal do Brasil’.

Assim escreveu André Lorente em mensagem para a ombudsman.

Infelizmente o leitor está correto. Um ‘guia’ de dicas de compras de games, publicado no fórum de jogos, tinha o seguinte texto:

‘Se eu pedir uma coisa que custa menos de US$50, ela não vai ser taxada?

Isso é um mito, qualquer produto de qualquer preço pode ser taxado pelos fiscais. Segundo a lei, apenas livros, revistas, jornais e produtos abaixo de US$50 que foram enviados de pessoa física para pessoa física não são taxados. Por isso, é interessante você pedir para o seu vendedor, declarar um valor mais baixo e enviar como presente’.

O material foi chamado na home page do UOL. Um erro grave. O portal tem de zelar pela qualidade do material oferecido aos leitores.

O texto foi alterado após o alerta do internauta.

Erros amplificados

‘Crocodilo reconstrói rosto com placas de metal’ diz a chamada principal da primeira página da estação UOL Bichos.

O público da seção é formado pelos interessados em ambiente, ecologia, vida selvagem e pets, adultos ou crianças.

A informação correta é bem menos bizarra, claro. Médicos usaram quatro placas de metal e 41 parafusos para reconstruir o crânio de um crocodilo de um zoo na Flórida, que fora atropelado e não conseguia mais abrir a boca.

Na reportagem, de 20 de março com chamada ainda hoje, o título maluco se repete. E o vídeo inserido na página tem enunciado ainda pior: ‘Jacaré reconstrói o rosto’.

A reportagem veio da BBC. A home page é de UOL Bichos. Simples revisão evitaria o erro.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem