Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1066
Menu

VOZ DOS OUVIDORES >

Mara Gama

27/10/2009 na edição 561

‘Durante a manhã de hoje foi veiculado na pagina do BOL que um monge teria andado sobre a água. Depois de algumas horas, a noticia foi mudada e foram agregadas informações à foto e à chamada, mudando de forma considerável o entendimento do conteúdo apresentado. Para que se tenha um canal informativo de qualidade na Net , confiabilidade é tudo. E particularmente tenho o BOL como um canal informativo de qualidade dentre as novas mídias’. A crítica foi enviada pelo leitor Klinger.

Segundo o gerente geral Ricardo Fotios, responsável pelo BOL, a primeira equipe de plantão editou uma primeira foto, supreendente, da agência Reuters, com a legenda ‘Monge budista corre sobre a água por 18 metros em reservatório na China’. A imagem recebeu chamada na home page do BOL as 9h30 desta sexta, 23 de outubro.

‘No começo da tarde, a Redação obteve mais informações e o desmentido. Produziu um álbum completo e chamou na home BOL com a legenda ‘Monge budista ‘corre sobre a água’ por 18 metros na China; veja como ele fez isso’, mostrando todo o truque em sequência com a foto que foi depois destacada na home page. Esta correção foi publicada às 13h30’.

Após o alerta do leitor, a Redação do BOL publicou também uma errata, com estas explicações.

Semana de violência

Os conflitos entre facções criminosas e Polícia no Rio de Janeiro tomaram sites, jornais, revistas e a TV esta semana. A queda de um helicóptero da Polícia, no sábado, 17, após ser alvejado por tiros disparados em solo por criminosos iniciou a série de imagens e informações chocantes que mostram o estado de guerra na cidade.

Às cenas do helicóptero em chamas, se seguiram os ônibus em cinzas, flashes de uma população apavorada, policiais armados até os dentes, a desova de corpos em locais públicos e, por fim, o vídeo que mostra o assalto e assassinato do coordenador do grupo AfroReggae, Evandro João da Silva, com a omissão de socorro e o saque de pertences por parte de dois policiais militares.

O UOL noticiou diariamente os fatos mais importantes, declarações oficiais, e algumas repercussões, principalmente através de links para a Folha Online.

A home page acompanhou os acontecimentos de forma desigual, ora destacando assuntos de menor importância só por serem mais recentes e ora retirando completamente da área superior da página a cobertura sobre a semana de violência que merecia acompanhamento mais constante.

O destaque da cobertura até o momento foi a publicação da tradução da reportagem feita em primeira pessoa com o depoimento do jornalista Francho Baron, do ‘El País’, relatando sua incursão e o contato com criminosos no Morro dos Macacos: ‘Jornalista, para de tremer; se quiséssemos, você já estaria morto’.

Na minha avaliação sobre esta cobertura, o UOL fica devendo aos leitores:

* uma interface que organize todos os textos, vídeos, depoimentos, reportagens, fotos e comentários sobre o tema, organizados de maneira dinâmica, inteligente e não automática;

* ferramenta e espaço para participação do público, com temas bem pensados e mediação responsável;

* entrevistas e debates em vídeo e texto com especialistas gabaritados que avancem nas análises e perspectivas sobre o assunto.

Site da Mostra com mais recursos

A Redação melhorou hoje o site da Mostra de Cinema no UOL.

Programação, listagem de filmes e indicados estão agora destacados.

Boa providência.

***

Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (22/10/09)

Começa nesta sexta, 23 de outubro, a 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Com cerca de 400 filmes, dezenas de diretores e atores convidados, exibição em 25 salas e público estimado pelos organizadores em 200 mil pessoas, segundo reportagem da Folha (colocar link para a versão da folha online) de hoje, é o maior evento cinematográfico do Brasil.

Hoje, a home page do UOL deu chamada para uma reportagem sobre o filme do diretor Ken Loach ‘À Procura de Eric’que será exibido logo mais, na sessão de abertura, para convidados. A chamada ficou durante algumas horas na home page do UOL, mas depois de ter ‘caído’da parte superior da home page, não foi substituída por outro destaque para a mostra.

A reportagem citada apresenta o filme que deve ser visto apenas pelos convidados. Deixa para o fim do texto, abaixo do intertítulo pouco elucidativo ‘novidades em terras brasileiras’as informações para o público geral, como quais os premiados em exibição, que títulos entram em circuito comercial, quais os filmes brasileiros presentes.

O site da Mostra, em UOL Cinema, traz como links fixos serviços, notícias, fotos, vídeos, conheça São Paulo e site oficia

Em relação ao ano passado, perdeu dois serviços importantes: filmes e programação. As duas páginas faziam uma ligação entre conteúdos que facilita a vida do leitor. Em programação, ordenação por dia, com salas, trailers, links para textos e rubricas para filmes indicados. Em filmes, o mesmo conteúdo, organizado de forma diferente, com uma listagem de títulos em ordem alfabética. A lista dos indicados também figurava na home page do site.

Empobrecida, a versão 2009 traz uma lista de 42 trailers, mas não assinala os indicados, aconselháveis e não traz uma caixa de busca que permita localizar um conteúdo já escolhido.

Ainda dá tempo para esquentar a cobertura e trazer algum diferencial para o leitor do UOL.

***

Títulos têm de funcionar em várias interfaces (21/10/09)

Guilherme apontou, através do botão ‘comunicar erro’do UOL, no dia 19 de outubro, problema com os títulos de textos do UOL replicados como conteúdo RSS. ‘Os títulos de alguns RSS estão curtos demais e, consequentemente, mal explicados. O ‘Descaso de autoridades é causa, dizem analistas’ é um deles. ‘Especialistas falam qual arma pode ter sido usada’ também soa de forma estranha, pois, não necessariamente o leitor acompanhou o jornal nos últimos dias.’

Os dois títulos citados pelo leitor têm por volta de 50 toques, somando-se caracteres e espaços. Os títulos de RSS podem ter de 130 e 150 caracteres, dependendo do programa agregador e do browser, segundo informa a área técnica de conteúdo do UOL.

Feitos sob medida para as páginas de texto ou para chamadas que, muitas vezes, funcionam de forma casada com imagens ou títulos de reportagens relacionadas, enunciados como os apontados pelo leitor não explicam ou resumem os assuntos que pretendem destacar.

A migração de conteúdos para interfaces diferentes impõe mais cuidado. Se os títulos são ‘exportados’, devem sobreviver a leituras descontextualizadas. Devem ter vida própria, ser autoexplicativos.

Os títulos foram exportados automaticamente da home page do UOL para a página de RSS. Na interface original, eles têm melhor performance:

Mas, para fazerem sentido separadamente, melhor seria ter usado os enunciados mais longos, que são os títulos das páginas de texto das duas chamadas:

Para especialistas, descaso de autoridades e fácil acesso às armas são as principais causas da violência no Rio de Janeiro

Qualquer arma leve de alta velocidade pode ter derrubado o helicóptero, dizem especialistas

O mesmo problema de inadequação na interface pode ser verificado em algumas chamadas de hoje nas páginas de Twitter do UOL.

Em UOL Celebridades, por exemplo, foi publicado o título: ‘Pai da cantora acha que a Grã-Bretanha gasta muito com usuários de drogas’.

No Twitter de UOL Cinema, dois outros exemplos do mesmo problema: ‘Filme é o mais visto pela terceira semana no país’ e ‘Menino tenta esconder o animal da cozinheira’’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem