Quinta-feira, 26 de Abril de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº984
Menu

VOZ DOS OUVIDORES > iG

Mario Vitor Santos

01/04/2008 na edição 479

‘A primeira página de hoje trazia a novidade no iG: uma reportagem de serviço, um teste de produto analisando um modelo de televisão digital de bolso.

A iniciativa merece elogios. Pela natureza da internet, seu público tende a ser atraído pelos temas tecnológicos.

O estilo do texto também é adequado. Há erros de português (‘juz’ com z, por exemplo) e um excesso de verbos na primeira pessoa do plural. Apesar disso, a redação é clara, simples e objetiva. A leitura flui bem.

A reportagem cumpre a função de dar as informações básicas sobre o aparelho. Testes de produtos e serviços do ponto de vista do consumidor são uma grande satisfação para os leitores. Às vezes, informam em primeira mão sobre a presença de um novo produto no mercado e já realizam o teste. É o caso dessa TV de 8x10x1cm.

Toda a edição da reportagem (excluída a foto que deveria ser de melhor qualidade, mais informativa, com mais cores e mostrar melhor o painel do produto) transpira, porém, um fascínio exagerado pela novidade. Poderia ser diferente numa cobertura jornalística de temas tecnológicos? Sim, poderia. Espera-se que haja outras reportagens nessa linha e que elas, além de descrever o assunto com competência, apontem com mais agudeza as limitações do produto.

Além disso, um certo grau de subjetivismo é inevitável nessas avaliações. Seria bom que se adotasse uma espécie de quadro em que os diversos aspectos, como, por exemplo, preço, beleza, e desempenho sejam organizados. Uma ficha crítica em que prós e contras do aparelho ficassem evidentes ao leitor em poucos instantes.

***

Nova capa, mais nítida, e branca (26/3/08)

O iG anunciou à meia-noite de segunda-feira mudanças em sua capa e adotou-as imediatamente. Foi retirada a cor azul de fundo que dominava toda a home. O azul, que faz parte da marca do iG e já havia sido adotado como uma espécie de identidade do portal, agora permanece apenas na barra superior e nas letras dos títulos e dos textos.

Cresceu o quadro com imagens ‘circulantes’ (com fotos, títulos e publicidade) abaixo da manchete da capa. Hoje o destaque é para o vencedor do Big Brother, noitadas de Ronaldinho, jogos de futebol e para artistas presentes ontem na festa do iG Gente.

As imagens principais da capa nova, além do tamanho maior, parecem ter mais nitidez e definição do que no modelo anterior. A impressão de nitidez é também causada pelo maior contraste com o fundo branco, que agora se impõe na capa. Isso acaba favorecendo a comunicação, tanto jornalística como a publicitária. O iG havia promovido o azul em sua última reforma, em julho do ano passado. Agora troca a roupa de novo, e se rende ao branco.

Ainda não é o preto no branco do jornalismo impresso clássico, e que predomina nos sites internacionais de notícias, principalmente dos que derivam de veículos impressos.

O modelo do iG, como de outros portais, combina jornalismos (no plural), serviços e entretenimento (não necessariamente nessa ordem). É uma confluência de vários modelos com diferentes objetivos e públicos.

A nova capa continua reservando sua manchete e a área nobre central para o jornalismo, o que é significativo. Mas ele diminuiu de espaço, com a retirada uma área do Último Segundo que havia abaixo do destaque de notícias patrocinado pelo Bradesco. Impossível não notar também que uma área de publicidade ocupa com sobras o local do antigo destaque do site Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim. Durante alguns dias, o próprio iG parecia não como preencher aquele vácuo, como que tomado de surpresa pela decisão que tomara.

A nova capa ainda tem a aparência de projeto realizado com pressa, que precisa de ajustes, como um maior equilíbrio entre os pesos e as proporções entre as letras usadas em títulos e textos. A marca do Último Segundo, colocada agora acima da manchete, por exemplo, parece espremida e sem lugar, engarrafando e interferindo na leitura do título principal. É uma solução confusa. Pelos movimentos mais recentes, o iG ainda não parece ter encontrado o lugar ideal de exibição do Último Segundo, a área de hard-news do portal. Justo agora quando, com a saída do Conversa Afiada, seria importante injetar jornalismo e opinião na fórmula.

Leitores comentam nova capa

‘Quero deixar minha queixa sobre o novo visual: não gostei. Acho pouco pratico. Porque essa fobia de querer mudar o que já estava ótimo?’

Antonio Belleza

‘Achei muito estranho o site de voces hj A data é de hoje, mas as notícias…

BBB8 falando da Juliana, que saiu tem mais de um mes. Outra repsrtagem falando ‘ conheça os sambas enredo’. O CARNAVAL Já ACABOU…’

Lica Eugenio

‘Procurei um ‘Fale Conosco’ ou talvez um ‘Dê a sua Opinião’ para nova versão beta do IG.

Nada! É aquela velha história..quem descobriu o mar não foi o peixe. Mesmo assim, lá vai.

Na forma, até que enfim essa turma se lembrou de quem tem mais de 50 e os olhos cansados já não enxergam as telinhas como deviam e, por isso, aumentaram o corpo dos textos..obrigado.

O layout deu uma boa melhorada, ficou mais fácil de buscar e ler, especialmente na página inicial. O resto, pouca coisa.

No conteúdo, ainda não deu para perceber muita coisa, aqui e ali ainda tem ranços de estagiário e outras bobagens do tipo ‘baixo salário, pouca prática’. Podiam ter uma edição Rio, talvez, outra de BH, esse tipo de cobertura, em vez de notinhas tolinhas. Fazer o quê? No geral, achei legal, parabéns pela iniciativa.’

Douglas C. H. Menhinick

Leia acima a opinião do ombudsman sobre as mudanças no visual do iG.

***

Aula inaugural em Minas (25/3/08)

O ombudsman encontra-se em Belo Horizonte para aferir a aula inaugural do Curso de Formação em Mídias Convergentes, destinado a jornalistas do Estado de Minas, TV Alterosa e Portal Uai.

***

O iG age e o leitor reage (25/3/08)

Este ombudsman recebeu 66 novas manifestações sobre a ruptura do contrato do iG com o jornalista Paulo Henrique Amorim. As manifestações são publicadas abaixo. Elas foram editadas, com retirada de trechos considerados ofensivos, linguagem chula e para que houvesse mais concisão. O ombudsman manifestou-se a respeito do assunto, criticando o iG, no mesmo dia em que o Conversa Afiada foi retirado do ar. O iG explicou-se oficialmente em editorial.

‘Considerei a ´descontinuidade` (eufemismo para demissão) do contrato com Paulo Henrique uma decisão de evidente caráter político. Considero ruim para o iG vir com essa história do mercado etc e tal,,, Engana a poucos, mas não à maioria. Não seria mais honesto – com os leitores inclusive – assumir a decisão política?’

Cesar Sanson

‘Nunca imaginei abrir hoje a página do iG e ter em frente a notícia, a grande notícia.’

Peço enviar este e-mail para o Sr. Caio Túlio Costa, parabenizando-o integralmente pelo texto, conteúdo e posturas adotadas, em nome do que ainda se pode chamar de democracia no País, pois, se a Igreja Universal vai mais longe, não sei, só Deus, que parece já começar a agir agora, contra todos aqueles que se escondem em sua face.

Deus é Mais! Feliz Páscoa, Feliz Renascimento, o iG estava morrendo com aquilo, Feliz Páscoa,’

Estelle

‘Que pena, o iG está começando a cheirar a PIG. Um abraço.’

Milton Ferraz

‘Parabéns ao site por ter demitido o PHA. Seu jornalismo marrom estava na hora de ir embora. A Record o merece. Fique por lá.’

Marcos Panza

‘É com grande satisfação que recebo a notícia da rescisão do contrato do IG com o’jornalista’ Paulo Henrique Amorim.’

Sérgio Penha Ferreira

‘Sobre o editorial de Caio Túlio,

1- Descontinuar é verbo inexistente nos dicionários brasileiros. Existe o substantivo feminino descontinuidade e o adjetivo descontínuo. Descontinuar é inglês (EUA) mal traduzido.

2- Mesmo se aceitássemos o argumento de prejuízo (non profit) para o IG, e que não se tratou absolutamente de qualquer questão relativa à liberdade de expressão, não foi respondida a questão que não quer calar: por que os internautas não foram avisados? Por que ficaram à procura do conteúdo procurado e encontraram, em lugar de’Conversa Afiada’, no mesmo quadrinho abaixo e à esquerda das manchetes principais, coisas como:’elas nunca se satisfazem…’?

3- Por que só três dias depois a direção do IG se pronuncia? Certamente pressionada pela grande repercussão do caso na internet, do contrário… Que internet não é jornal impresso, vocês sabem, traz respostas rápidas e não há como fugir às perguntas.

4- E quanto ao Blog do Mino – isso sim é jornalista — ficará pendurado até quando? Será esta uma tentativa de penitência ( na semana apropriada) à posição contrária e abrupta de retirada do ar de PHA? Podem tirar, o Mino já se despediu.’

Elizabeth Lorenzetti

‘O que de real aconteceu para a ruptura manifestada pelo IG em relação ao Conversa Afiada? Com certeza, algo de bom não é. Além disso, tudo leva a crer que a democracia saiu arranhada do episódio. O senhor poder relatar a realidade dos fatos. No aguardo.’

Orlando Pagnussatti

‘Gostaria de falar da minha decepção com o iG ao saber que Paulo Henrique Amorim foi excluído. Não posso entender como vinda do iG a afirmação de que sua exclusão se deu porque havia um número pequeno de internautas acessando seu site. Fica evidente que houve uma razão política para isso. E que deve ter havido pressão de políticos reacionários para que isso acontecesse.

Acho que o IG perde muito com essa atitude. Se antes ainda poderia ser visto como um reduto de pessoas pensantes, que dava voz àqueles que não se dobram à força da grana, agora o portal será visto como uma vara fraca que foi quebrada por quem sempre teve seus privilégios mantidos através da força e da intimidação.’

Manuel Rosa Bueno

‘Realmente patético. O iG demitir sem mais nem menos o Paulo Henrique Amorim, grande jornalista, num ato de clara censura e autoritarismo, é revoltante.’

JP Ferreira

‘Finalmente Deus ouviu minhas preces e o iG se livrou de uma das maiores aberrações jornalísticas dos últimos tempos! Uma pessoa que trocou anos de credibilidade por uma conduta totalmente parcial e tendenciosa não poderia mesmo continuar nesta casa. Profissional brilhante que preferiu vender sua alma ao diabo, defendendo vergonhosa e escancaradamente um partido político em seu espaço. Tomara que essa pessoa seja feliz lá na outra empresa onde trabalha.’

Alexandre Moreno

‘O Internet Group assume seu papel e o seu lado como meio de comunicação. Não comunga com o contraditório e fica ao lado dos que acham que têm o poder de tomar qualquer ação. Inconsistentes os argumentos utilizados para censurar a palavra de Paulo Henrique.’

Edson Sousa

‘Lamento muito ao fato de o iG se curvar a fatores’econômicos’, para retirar da noite para o dia o blog de PHA. O iG acabou com qualquer credibilidade ou respeitabilidade que tinha para mim.’

Eng° Agrônomo Fernando Puga.

‘A nota emitida pelo diretor do IG, Caio Túlio, está, no mínimo, rançosa.’

Rogério de Almeida Abreu

‘O que me motivava era o blog Conversa Afiada. Lia várias vezes ao dia e de reboque aproveitava para ler também o que o portal iG noticiava’

Wilson e Micaele Queiroz

‘Caíram no meu conceito de site confiável. Onde está a falada liberdade de expressão?’

Cleiton da Cinha Silva

‘Por que o PHA foi demitido? Na minha opinião, foi um absurdo, pois ele, sem medo, falava as verdades sobre o Partido da Imprensa Golpista e seus aliados.’

Rogerio Marinho

‘Com muito pesar, fui obrigado a retirar dos meus’favoritos’ o blog Conversa Afiada, antes hospedado nesse portal. A violência perpretada contra o jornalista Paulo Henrique Amorim é inaceitável.’

Nailton de Paula

‘Jamais imaginaria tal atitude.’

Maurício Almeida Gameiro

‘Reclamei a ausência da página de Paulo Henrique Amorim e, me foi dito que citado blog estava com problemas e nem havia previsão de seu retorno. Também reclamei respeito ao leitor, que deveria pelo menos ter sido avisado de’problemas’ com a página.’

Agora me é dito o que de fato ocorreu. Parece que continua a verborragia em torno de multiplicidade de opiniões, liberdade de opinião e quejandos.’

Ferreira

‘Vergonha.’

Cesar Alaor Fantinel

‘E eu que achei que o IG era um dos únicos portais independentes da internet.

Que decepção…’

Lisiane BML

‘Caro Ombudsman,

Sou um jovem de 22 anos, trabalho, pago meus estudos, ajudo minha família, moro em casa de aluguel, mas, mesmo assim, sei que serei tachado de elite, ou elite branca (sem ao menos saberem quem e como sou), após expressar minha opinião. Mais uma vez tive uma demonstração da coesão e da mobilização petista, com esta chuva de e-mails em solidariedade a PHA, tentando, em vão, desmoralizar o iG.’

Rodrigo Rios

‘Sou assinante brturbo em grande parte pela presença do PHA.

Espero que o site reconsidere sua postura pela alegada necessidade de manter a pluralidade de opinião que tanto faz falta na mídia brasileira.

Não que concorde com tudo o que ele falava, mas sua presença na grande mídia é necessária para equilibrar as coisas.’

Estelita Lima de Oliveira

‘Vi o IG nascer e, indiretamente, contribuí para o seu funcionamento, implementando sua infra-estrutura de acesso em vários estados do Brasil. Na época fiz este trabalho com bastante prazer e torcia para que a proposta inovadora desse certo. De lá para cá a Internet cresceu muito em tamanho e importância, o Brasil mudou bastante e eu também passei por várias mudanças, tanto de caráter pessoal como profissional, sempre para melhor, mas continuei como leitor assíduo do IG. Ultimamente, aprendi a apreciar a leitura de alguns blogs que faziam uma leitura digamos diferente do pensamento único reinante em nossa mídia. Não se trata de concordar ou discordar, mas ter a possibilidade de ver a análise dos fatos sob outro ponto de vista. O site Conversa Afiada, liderado pelo jornalista Paulo Henrique Amorim era o expoente máximo desta postura. Infelizmente, com esta atitude lamentável do iG com o referido jornalista e seus leitores caiu por terra a ilusão de termos um grande site realmente pluralista. Por último, quero deixar registrado que deve ser muito difícil para você, se realmente fores um jornalista sério como parece ser, fazer o seu trabalho de ombudsman.’

Wellington Brito

‘Quero dar os parabéns ao pessoal do IG pela demissão do jornalista Paulo Henrique Amorim. Costumava ler a coluna dele, mas parei de ler ao perceber que ele passou a vetar a publicação de comentários que eram contrários ao modo de pensar dele.’

Murilo

‘Acho muito estranho o jeito que foi tirado do ar o Conversa Afiada. Pergunto. Como se deve posicionar um Ombudsman nesse episódio? Sei por acompanhar no Conversa Afiada os problemas e pressões que o IG poderia ter sofrido e deve ter sofrido por conta das possíveis mudanças do controle acionário do grupo controlador do próprio iG. Seja ombudsman, defenda os leitores e não o IG.’

José Luís

‘Gostaria de manifestar minha opinião sobre a saída do Paulo Amorim. Parabéns ao Caio Túlio Costa por ter demitido esse senhor. É muito fácil ficar apenas denegrindo a imagem do Fernando Henrique Cardoso e colocando Luiz Inácio da Silva em um patamar elevado.

Difícil, é se colocar em uma posição de neutralidade e analisar os fatos com coerência.

Que se inicie uma fase de muito sucesso e jornalismo profissional para vocês.’

Alberto Lolito

‘Na medição de forças, já conhecemos bem o final, sempre arrebenta no elo mais fraco.’

Eurico Januario

‘Só tenho a dizer: já foi tarde.’

Silmara Pawluzyk

‘Gostaria de externar o meu pesar pela saída repentina do nosso querido jornalista Paulo Henrique Amorim. Acho desrespeitosa a forma como a mesma se deu, tanto para nós como para o próprio. Só me pergunto o porquê de o iG ter-se dado’esse direito’. Fica aqui o meu protesto.’

Cristiane Polimeni

‘É com grande satisfação que vi a notícia da saída de Paulo Henrique Amorim. Parabéns.’

Rogério Angelini

‘Sua função me parece ser a de criticar as ações do iG, baseado nas declarações dos leitores.

Não é só colocar as críticas dos internautas. Só há um lamento a ser feito, para preservar seu equilíbrio: o IG emburreceu.’

Marcio Chagas Fernandes da Silva

‘Apesar de não ser assinante formal sempre acessava o’conversa afiada’ do Paulo Henrique Amorim. Com preocupação, observei a saída dele. Seus comentários serviam de contraponto a uma guinada à direita raivosa, expressa em outros órgãos, no Diogo Mainardi, da Veja, e em Alexandre Garcia, da Globo. Apesar de alegação empresarial e do direito à pluralidade me parece que o iG toma o caminho do pensamento único.’

Paulo Cesar Inácio

‘Fiquei surpreso ao saber que o IG havia rompido contrato com o jornalista PHA e tirado do ar o Conversa Afiada.’

Luiz Roberto

‘É lamentável a decisão da Presidência do iG em relação ao rompimento do contrato com o jornalista Paulo H Amorim. Fazia um jornalismo corajoso e isto incomodou tanta gente.’

A decisão foi desastrada, ainda que no exercício do direito da empresa.’

Valdir de Campos

‘Percebi pelas suas limitadas posições sobre a saída de PHA que há preocupação com número de pessoas (maior ou menor) que se manifestou sobre mais este absurdo cometido contra pessoas que não participam do sistema criado para a manter o Brasil como está (e sempre esteve).’

José Victor Brandao de Faria

‘É com grande satisfação que vejo a saída do Paulo Henrique Amorim do iG.’

Jobson

‘Como é ser Ombudsman de um site que, apesar de sua existência, não liga a mínima para a opinião dos leitores, nem para sua inteligência? Óbvio que a saída de Paulo Henrique Amorim está calcada em problemas de ordem política, e não por ´razões comerciais´‘

Márcio Amêndola de Oliveira

‘Quando pela primeira vez ouvi o anúncio de que teríamos no Brasil acesso à internet gratuita e de qualidade, confesso que fiquei um tanto desconfiado. Contudo, descobri que as promessas eram de fato verdadeiras. Concretizou-se um sonho de acesso democrático ao espetacular mundo da internet. Desde então, passei a ser um leitor assíduo do iG – basta mencionar que www.ig.com.br era o endereço da página inicial do meu computador em casa, no trabalho e do meu laptop. A qualidade e diversidade das informações ali presentes, na maioria das vezes eram suficientes para que eu pudesse me manter razoavelmente bem informado. Em esporádicas ocasiões me senti insatisfeito com as informações contidas no IG, e busquei encontrá-las em outros portais. Mas na semana passada, essa fantasia se desconstruiu.’

Allan Nuno.

‘É uma pena.’

Daniel Wong Costa

‘Parabéns pela demissão do Paulo Henrique Amorim.’

Samuel Castelhano

‘Lamentável a maneira como foi retirado o site de Paulo Henrique Amorim.’

Fátima

‘Recebi com imensa satisfação a noticia do desligamento de PHA’

Evaldo Miranda

‘A atitude do IG mostrou como o PIG está desesperado.’

Cassio Baldi

‘Isso é algo absolutamente inaceitável e insano.’

Edson Barbosa

‘Ficou clara a forma desrespeitosa com que o IG tratou os seus usuários.’

José Lourenço da Rocha.

‘Parabéns pelo serviço prestado à democracia. Democracia é tomada de posicionamento e convivència social com respeito e imparcialidade.’

O IG mais uma vez demonstrou que sua página é dos internautas.’

Jornalismo é arte e, absoluta imparcialidade de idéias e opiniões. Jornalismo não é fofoca.’

Filipe de Sousa

‘É com grande indignação que venho enviar o meu protesto à atitude arbitrária, ditatorial e prepotente da direção do IG.’

Dário José do Carmo Lopes

‘Me parece esdrúxula a [desculpa], de que o ‘Conversa Afiada era altamente desvantajoso para o modelo de negócios do iG´‘

Marcondes Witt

‘Venho declarar repúdio à censura e à cassação antes do término previsto do contrato do Paulo Henrique Amorim..’

Leo Nicol

‘Gostaria de externar o meu protesto contra o modo como o Conversa Afiada foi retirado do ar.’

Roberto Góes

‘É inadmissível em um país dito democrático, em que a mídia corporativa o tempo todo apregoa a liberdade de imprensa como direito absoluto, haver por parte desses mesmos meios de comunicação, uma brutal, inexplicável e desonrosa compactuação a abominável censura sofrida por parte de Paulo Henrique Amorim em seu Conversa Afiada.’

Marcos Victor

‘Venho manifestar a minha surpresa e desagrado pelo acontecimento da demissão de Paulo Henrique Amorim deste portal.’

Felipe

‘Com o cancelamento do blog do PHA, o iG mostrou qual vai ser o seu caminho, mostrou tb que infelizmente a imprensa do Brasil ainda não acordou.’

Ramiro

‘O que aconteceu com o blog do PHA, que sumiu da página principal do IG?

Carlos Hely

‘Tudo bem que a empresa iG tinha a prerrogativa de romper o contrato unilateralmente quando julgasse oportuno mas, se esse portal tivesse ao menos um pouco de respeito pelos seus leitores e blogueiros, faria isso de forma sensata, dando tempo hábil para que o jornalista buscasse e divulgasse outro endereço alternativo.’

Daniel Lima

‘Um absurdo a demissão de Paulo Henrique Amorim do jeito que ela se deu. Revejam o que fizeram. Pegou mal, muito mal.’

Élcio Filho

‘Será essa a verdadeira face da ditadura?’

Luiz Carlos de Souza

‘Sou assinante do IG, e gostaria de saber o motivo da saída do Conversa Afiadal. Era um dos melhores canais do site e por isso fiquei chateado com a saída repentina, sem aviso aos assinantes.’

Marcelo José Gonçalves

‘O editor de conteúdo do site foi consultado sobre a saída de PHA?

O Sr, como ombudsman, foi consultado?’

Alencar Andrade

‘Como assinante do IG, fiquei profundamente chateada ao tentar acessar sem sucesso, por várias vezes, o blog do Paulo Henrique Amorim. Fiquei profundamente decepcionada ao saber que o mesmo foi tirado do ar com argumentos inconsistentes.’

Jane Eyre de Melo

‘Quero registrar minha total surpresa e decepção com a saída de PHA. Foi um absurdo a maneira como se deu o fim do contrato. Nós, leitores,’consumidores’, fomos tratados como se não significássemos absolutamente nada.’

Mike2e

‘Parabéns. Custou, mas o IG tirou. Obrigado, obrigado, obrigado.’

Athequip

‘Fiquei extremamente decepcionado quando soube que o iG tirou do ar o site’conversa afiada’.

Saulo Almeida

‘Gostaria de deixar registrado meu protesto pelo tratamento desrespeitoso dado pelo portal IG a seus usuários no episódio da demissão/censura imposta ao jornalista Paulo Henrique Amorim.’

Rosalina Fernandes

‘A finalidade deste e-mail é deixar expresso meu repúdio ao cancelamento do site ‘Conversa Afiada’.’

Carlos Costa

***

Difícil é corrigir-1: Não houve indulto (24/3/08)

Depois de publicar apenas uma correção durante todo o mês de fevereiro, e após uma cobrança pública deste ombudsman, o iG divulgou até agora no mês de março cinco correções de erros que cometeu.

É um índice sofrível, que mostra a lentidão do portal na adoção efetiva de uma atitude de transparência.

Aguardam exame e correção do iG erros apontados pelos leitores desde novembro de 2007. Há, porém, sinais positivos, embora tênues.

Na quarta-feira passada, o iG chegou a publicar duas correções (clique aqui) num mesmo dia.

As únicas vezes em que publicou duas correções no mesmo dia foram em 14 de janeiro e em 28 de setembro. Ou seja, na prática, o iG ainda não tem uma política e uma rotina de reconhecimento de erros, embora no papel ela esteja prevista no Manual de Redação do Último Segundo (clique aqui).

Apesar de tudo, o iG e seus parceiros continuam cometendo erros de informação, muitas delas percebidas por leitores que, generosa ou indignadamente colaboram para a melhoria da qualidade dos serviços.

É o caso, por exemplo, do leitor Murilo de Paula Souza, que estava atento na quinta-feira da Semana Santa. Diz ele:

‘Hoje saiu no iG matéria da Agência Estado (clique aqui) sobre indulto de páscoa.’

‘Confundiram indulto com saída temporária.’

‘Indulto é redução ou perdão da pena e se dá por decreto presidencial. Tanto indulto quanto saída temporária estão contemplados na lei 7210, de 1984, do Figueiredo, que trata de execuções penais.’

‘A saída temporária é autorizada pelo juiz de execução penal, ou no caso de falecimento de ascendentes ou descendentes, por exemplo, pelo próprio diretor do presídio. Neste último caso, sob escolta policial, o que não é necessário na saída temporária de Páscoa.’

‘Não sou formado em direito, tampouco tenho grande conhecimento de leis. Todavia, procuro interpretar o que leio e quando necessário, valho-me do auxílio luxuoso da internet para pesquisar.’

‘Creio que os jovens jornalistas de hoje também poderiam valer-se mais da internet, evitando equívocos como o da matéria. Afinal, informação tem que ser no mínimo correta.’

O leitor, como se vê, chama a atenção para uma informação errada que leu no iG e que deve ter sido lida por várias pessoas. Percebeu o erro e ajuda ao apontar o erro. O iG deveria agradecer imediatamente. A melhor forma de agradecimento seria a retificação, pois o intuito deste portal, como de qualquer veículo jornalístico, é divulgar a informação certa. Infelizmente, a atenção dada às queixas, a lentidão das correções e a baixa freqüência com que são publicadas, indicam que a política de qualidade do iG tem que melhorar muito.

Só com cobrança constante, externa e interna, o padrão vai melhorar. O primeiro passo é tomar conhecimento dos erros, e corrigi-los rapidamente. Com insistência e cobrança, o cuidado com a qualidade e a checagem das informações tende a melhorar. Não há outra saída.

Este caso apontado por Murilo de Paula Souza será encaminhado ao iG e à Redação do Último Segundo. Vai juntar-se aos que aguardam a correção transparente, fazendo enfim jus à credibilidade do leitor.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem